Tesouro Direto – ótimo investimento em renda fixa

10 Flares Twitter 3 Facebook 7 Google+ 0 Filament.io Made with Flare More Info'> 10 Flares ×

Um dos melhores investimentos em renda fixa é o Tesouro Direto. É uma modalidade de investimento que proporciona ótima rentabilidade (dentro dos padrões da renda fixa), diversas opções de produtos (títulos), facilidade de aplicação (tudo é feito via Internet, de sua casa), baixo custo (desde que se saiba escolher bem o agente de custódia) e segurança (já que o investimento não está vinculado à situação financeira de nenhum banco, e sim do Governo Federal), dentre outras vantagens.

Traduzindo em termos bem simples, o investimento em Tesouro Direto se aproxima da idéia de um empréstimo: você empresta seu dinheiro ao Governo Federal e, depois de um certo tempo, o Governo Federal lhe devolve o valor aplicado acrescido dos juros (= rendimentos do título), descontados os valores dos impostos e taxas de administração. É como um CDB: no CDB, você empresta o seu dinheiro a um banco, que, depois de um certo período, lhe devolve o dinheiro acrescido de juros, também descontandos os custos da transação. A vantagem do Tesouro Direto é a possibilidade de emprestar valores pequenos (a partir de R$ 150, R$ 200), e conseguir ótimas rentabilidades, pela baixa incidência de custos de transação.

A página oficial do Tesouro Direto na Internet contém excelentes informações e tudo o que o investidor precisa saber para começar a operar com essa nova modalidade de investimento. Por isso, vamos nos basear nela para o aprendizado do nosso público leitor.

O que é o Tesouro Direto?

De acordo com a descrição contida no site:

Se você quer segurança e tranqüilidade em seus investimentos, você precisa conhecer o Tesouro Direto. O Tesouro Direto é um programa de venda de títulos a pessoas físicas desenvolvido pelo Tesouro Nacional, em parceria com a Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia – CBLC.

É simples e você não precisa de muito dinheiro para investir. Com apenas R$ 100,00 você já pode iniciar uma aplicação. E o melhor: não precisa nem sair de casa, pois as transações podem ser feitas pela Internet.

No Tesouro Direto, você mesmo gerencia seus investimentos, que podem ser de curto, médio ou longo prazo. É uma ótima opção para quem quer investir com baixo custo, alta rentabilidade e liquidez quase imediata. Sempre que você precisar, poderá resgatar os títulos antes do vencimento pelo seu valor de mercado, uma vez que o Tesouro Nacional garante a recompra de seu título todas as quartas-feiras. Caso não queira gerenciar seus investimentos, você pode autorizar uma das instituições financeiras habilitadas a operar no Tesouro Direto (Agentes de Custódia) para efetuar compras e vendas dos títulos públicos.

As vantagens não param por aí. O rendimento da aplicação em títulos públicos é bastante competitivo se comparado com as outras aplicações financeiras de renda fixa existentes no mercado. As taxas de administração e de custódia são baixas e o Imposto de Renda só é cobrado no momento da venda ou vencimento do título (quanto aos títulos que pagam cupom de juros, também é descontado Imposto de Renda no pagamento do cupom).

Uma observação: de acordo com os títulos disponíveis hoje, o investimento inicial não é exatamente de R$ 100, mas sim de aproximadamente R$ 150, que corresponde a 0,2 título da NTNB Principal 2024. O investimento mínimo corresponde a compra de uma fração de 0,2 de qualquer título. Como o título com o preço “mais baixo” é o da NTNB Principal 2024 – R$ 749,74 – pela cotação atualmente posta no site no momento em que esse artigo está sendo escrito, então 0,2 de R$ 749,74 corresponde a R$ 149,94.

O que são títulos públicos?

Direto da fonte:

Os títulos públicos são ativos de renda fixa que se constituem em boa opção de investimento para a sociedade. Os títulos públicos possuem a finalidade primordial de captar recursos para o financiamento da dívida pública, bem como para financiar atividades do Governo Federal, como educação, saúde e infra-estrutura.

Anteriormente, sem muitos recursos, você só podia comprar títulos públicos indiretamente pela aquisição de cotas de fundos de investimento. Neste tipo de investimento, as instituições financeiras funcionam como intermediários ao adquirirem os títulos públicos, que compõem as carteiras dos fundos, com os recursos oriundos de suas aplicações. No caso do Tesouro Direto, você pode comprar diretamente os títulos que desejar, com redução do custo de intermediação.

Isso ocorre porque você monta a sua própria carteira de investimentos, ao escolher os prazos e os indexadores dos títulos conforme seu interesse. Esse programa permite que o pequeno investidor administre diretamente suas aplicações.

Se preferir também, poderá autorizar uma das instituições financeiras habilitadas a operar o Tesouro Direto (Agentes de Custódia) em seu nome, realizando as compras e as vendas de seus títulos públicos.

Essa nova alternativa de aplicação dos recursos permite investimentos a partir de R$ 100,00, com rentabilidade e segurança. Uma vez comprados os seus títulos, você pode aguardar o vencimento do papel (data predeterminada para resgate do título), quando os recursos são depositados em sua conta. Ou, caso seja do seu interesse, você também poderá vendê-los antecipadamente ao Tesouro Nacional nas recompras semanais, às quartas-feiras, pelo preço vigente no mercado.

Observação: hoje, o mercado de investimentos está bem mais acessível ao pequeno investidor pessoa física do que anos atrás. Além do investimento direto em títulos públicos, é possível também adquirir títulos privados, como debêntures, que algumas empresas fornecem de vez em quando ao mercado. Sobre os títulos privados, que podem ser tão atraentes quanto os títulos públicos, falaremos em outro post, caso seja interesse do leitor.

Vantagens do investimento no Tesouro Direto

Eu concordo com o que está escrito na respectiva página do site:

Ao investir no Tesouro Direto você está, ao mesmo tempo, garantindo seu futuro e fortalecendo a economia do País. Com isso, todos saem ganhando.

Entenda por que você ganha:

O Tesouro Direto é uma excelente opção em termos de rentabilidade;
As taxas de administração são muito baixas;
Você tem a possibilidade de diversificar seus investimentos, obtendo variadas rentabilidades, como pós-fixadas (pela taxa básica da economia), prefixadas e indexadas a índices de preços;
Você pode se garantir realizando poupança de longo prazo ao optar por títulos indexados a índices de preços, e ainda obtém rentabilidade real significativa;
Você pode gerenciar seus investimentos com comodidade, segurança e tranqüilidade;
Você investe com objetivos definidos e levando em conta fatores como: valor a investir, prazo, taxa de juros e riscos;
A liquidez é garantida pelo Tesouro Nacional;
Você tem maior poder de tomada de decisão e controle do seu patrimônio;
Os títulos públicos são considerados de baixíssimo risco pelo mercado financeiro.

Entenda por que o Brasil ganha:

Agora todos podem ter acesso ao mercado de investimentos em títulos, que antes era restrito às instituições financeiras;
Assim, haverá um aumento considerável na formação de poupanças de longo prazo;

Como me cadastrar?

Eis as informações do site:

O primeiro passo para adquirir títulos é ser cadastrado em algum dos Bancos ou Corretoras habilitados no Tesouro Direto (Agentes de Custódia).

Para se cadastrar, você deve entrar em contato com a Instituição escolhida, fornecer as informações solicitadas e enviar a documentação exigida.

Em seguida, você irá receber sua senha no endereço eletrônico informado em seu cadastro, sendo integralmente responsável pelo seu uso e manutenção do seu sigilo.

Títulos Custodiados na CBLC

Quem possui ações e outros títulos custodiados na CBLC poderá utilizar a mesma conta para custodiar seus títulos públicos. Tudo o que você precisa fazer é solicitar ao seu Agente de Custódia o envio da senha provisória para acesso ao Tesouro Direto.

Alterações Cadastrais

Caso queira alterar suas informações cadastrais, você deverá efetuar a solicitação de alteração ao seu Agente de Custódia e apresentar a documentação solicitada.

As alterações de endereço eletrônico e senha poderão ser realizadas por você mesmo, diretamente na área de acesso exclusivo do Tesouro Direto.

Área Exclusiva do Tesouro Direto

Para acessar a área exclusiva do Tesouro Direto, você deverá informar seu CPF e senha na página do Tesouro Direto.

Um dos maiores divulgadores do Tesouro Direto como bom investimento é o Mauro Halfeld, que sempre faz questão de frisar que o pequeno investidor pessoa física sempre encontrará barreiras e dificuldades para se cadastrar no Tesouro se for procurar informações em seu banco, pois o Tesouro Direto é um concorrente direto dos produtos de renda fixa da instituição financeira. Desse modo, recomendo a leitura atenta da lista de instituições disponíveis para atuarem como agentes de custódia no Tesouro.

O site do Mauro Halfeld contém um guia de corretoras habilitadas a operar tanto no home broker quanto no Tesouro Direto, oferecendo dados como taxa de administração cobrada.

Dica pessoal: procure se cadastrar numa corretora que não cobre mais do que 0,5% a.a. de taxa de administração. Com isso, o investimento nos títulos públicos será tão competitivo quanto nos melhores investimentos de renda fixa oferecidos por instituições privadas.

Um curso amigável

Uma coisas legais recentemente implantada no site oficial do Tesouro Direto é o curso virtual, bastante amigável, que facilita o entendimento do Tesouro pelas pessoas físicas interessadas nessa nova modalidade de investimento.

Tesouro Direto - Curso

O link para o curso virtual está aqui. Existe também um novo simulador no site, mas dele falaremos em outra oportunidade.

Conclusão

Conhecimento é poder. E isso é verdade quando estamos falando de Tesouro Direto. O legal dessa forma de investimento é que ela desenvolve uma habilidade que também é necessária para quem quer ser investidor no mercado de ações via home broker, que é o envolvimento direto do investidor com o investimento. A independência financeira não quer dizer apenas a possibilidade de viver apenas dos rendimentos de suas aplicações, mas também a capacidade de autonomia e de gerenciamento próprio de seu portólio pessoal.

Lembre-se sempre disso: quanto mais você souber gerenciar seu dinheiro, mais retorno ele trará para você. Não delegue pura e simplesmente a tarefa de lidar com seu dinheiro a terceira pessoa, precisamente porque o dinheiro não é de outra pessoa, mas seu. A independência financeira passa necessariamente pela eliminação de muitas dependências, dentre elas a dependência de outros para gerenciar seus investimentos. O Tesouro Direto prova que é possível extrair o máximo de seu dinheiro não apenas na renda variável (ações), mas também na renda fixa. Um pequeno valor bem investido hoje trará enormes benefícios no futuro. Seja ativo na gestão de seus investimentos. O esforço valerá a pena. Wink

É isso aí!

Um grande abraço e que Deus lhes abençoe!

,

95 Responses to Tesouro Direto – ótimo investimento em renda fixa

  1. J 5 de outubro de 2009 at 15:07 #

    Na lista do Mauro existem diversas corretoras, mas todos os bancos cobram a “custódia”. As outras corretoras (que não são bancos) praticamente não cobram a “custódia”, mas como confiar nelas? Existe um ranking?

  2. hotmar 5 de outubro de 2009 at 21:39 #

    J, as corretoras, para poderem participar do sistema do Tesouro Direto, precisam passar por um processo de credenciamento, em que são analisados diversos aspectos da instituição solicitante. Tudo isso com o intuito de garantir segurança às transações para o consumidor.

    O sistema é seguro, sim, ainda mais levando-se em conta que as corretoras não ficam com os títulos em poder delas. Os títulos ficam depositados na CBLC. Assim, caso vc não queira mais uma corretora, basta solicitar a ela a mudança dos títulos para outra corretora.

    Eu, que antigamente operava no Tesouro Direto via banco, passei a operar por corretoras independentes, e o processo é extremamente seguro, simples e confiável, até porque toda a movimentação é feita na página da Internet do Tesouro Direto, e não na página da corretora.

    É isso aí!
    Um grande abraço e que Deus lhes abençoe!

  3. Tony 6 de outubro de 2009 at 9:32 #

    Prezado Hotmar, no primeiro lugar, queria agradecer o fabuloso esforço de educação financeira que você está fazendo através do seu blog. É muito importante poder receber informações de alguém que conhece o tema e em cuja independência acreditamos (sou amigo e parceiro do Rodrigo do Aquela Passagem! e também conheço seu trabalho no blog dele).

    As corretoras que não cobram nada, lucram com quê? Trazendo outros negócios para a firma? É um tipo de investimento na imagem da marca?

    Muito obrigado!

  4. hotmar 7 de outubro de 2009 at 21:09 #

    Tony, inicialmente muito obrigado pelas palavras de incentivo! Fico feliz em saber que nosso trabalho está sendo bem recepcionado pelo público de leitores. :D

    Exatamente isso que vc falou, as corretoras que não cobram nada lucram pela atração dos clientes para outros produtos dela, geralmente os de renda variável. Muitas vezes a corretora trabalha com taxa zero no Tesouro Direto como estratégia de marketing para atrair o público para o seu home broker. É como se fosse uma propaganda: “venha operar no nosso home broker, que oferece tais e quais vantagens, e ainda ganhe como benefício extra a taxa zero para operar no Tesouro Direto”.

    É isso. O lucro das corretoras vem das corretagens e comissões sobre as operações realizadas na Bolsa. O TD é apenas um complemento, de muito fácil atratividade e praticamente isento de custos para a corretora, já que a operação de compra e venda de títulos nem é feita pelo home broker ou site da corretora, mas sim pela própria página do Tesouro Direto. Ou seja, nem custos com manutenção de um site de segurança para operar no TD elas têm, já q as operações são estruturadas a partir de home pages do site oficial do Tesouro Direto.

    No TD em si, as corretoras com taxa zero no TD não ganhma nada no TD, mas ganham aoa verem seus clientes cadastrados operarem no home broker.

    É isso aí!
    Um grande abraço e que Deus lhes abençoe!

  5. Tony 8 de outubro de 2009 at 8:09 #

    Hotmar, muito obrigado pela sua atenciosa resposta. Suas explicacões sobre o Tesouro Direto são muito interessantes. Como você falou, banco não vai te dar esses esclarecimentos, não interesa para eles (ou quando interesa, a corretagem é absurda).

    Di uma olhada no cadastro no site da Banif. É possível se cadastrar unicamente para operar no TD? Chegam um momento no cadastro que é preciso escolher operar entre Bovespa e Bovespa / BM&F. E se eu não estiver interessado em operar em Bolsa?

    Abraço!

  6. hotmar 8 de outubro de 2009 at 12:54 #

    Realmente, Tony, os bancos ficam escondendo a possibilidade de conseguir cadastro no TD. O jeito é buscar uma corretora.

    Quanto à Banif, acredito que seja, sim, possível, se cadastrar somente para operar no Tesouro Direto. Considero prudente vc ligar pra lá – 4003-2643 | 0800-703-2643 – pra tirar essa dúvida se deve não marcar nada nos campos de Bovespa e BM&F, ou se deve marcar algum campo.

    Caso não seja possível, pergunte se eles vão cobrar alguma tarifa mensal de manutenção de conta na Banif – muito provavelmente não irão cobrar, até porque vc tem interesse apenas no TD, e não nas ações.

    Meu palpite: eu acho (não tenho certeza), de q vc teria q marcar uma das opções. Por quê? Simples: porque, ao se cadastrar em uma corretora, ela vai ter que abrir uma conta para vc. Essa conta, chamada conta-corrente, ou conta-depósito, é para onde vc deve transferir os recursos (dinheiro) para investimentos nos produtos da corretora.

    Meu caso: na corretora onde tenho conta, se em um mês eu compro R$ 150 de um título do Tesouro Direto, esses R$ 150 são debitados, ou descontados, do saldo encontrado na minha conta-depósito (normalmente, tiram primeiro da conta-investimento, que era uma conta criada para movimentar a grana sem pagar CPMF, hoje, sem CPMF, perdeu um pouco a razão de ser dessa conta-investimento).

    Mas não se preocupe que vc, por não comprar nem manter ações, não será tarifado com nenhuma cobrança de tarifa de custódia de ações.

    É isso aí!
    Um grande abraço e que Deus lhes abençoe!

    É isso aí!
    Um grande abraço e que Deus lhes abençoe!

  7. Rosa 21 de outubro de 2009 at 16:50 #

    Hotmar, como eu disse em outro post, eu só tenho uma aplicação em poupança (pouco risco para quem pouco entende), mas gostaria de diversificar e me interessei por essa modalidade, sou cliente do BB. Eu queria ter uma noção melhor, tipo um comparativo entre poupança e tesouro direto. Eu vi no gráfico que o tesouro tem melhor rendimento comparado à poupança, mas é tão seguro quanto a poupança? Ou envolve algum risco? O cargo de gerente no BB não é exatamente um escritório especializado em aplicações, deu para entender? Abraços,

  8. hotmar 21 de outubro de 2009 at 20:19 #

    Rosa, seu questionamento é muito importante, porque o fator “segurança” deve ser um dos principais itens que o investidor deve avaliar antes de fazer qualquer tipo de aplicação.

    O Tesouro Direto é tão seguro quanto a poupança, e bem mais seguro que qualquer investimento em renda fixa em qualquer banco, aí incluídos o Bradesco e Itaú, a título de comparação. Isso ocorre porque no Tesouro Direto vc empresta dinheiro para o Governo Federal, que fica com a obrigação de, ao final do prazo de um título (01.01.2010, p.ex.), lhe devolver o dinheiro acrescido de juros.

    Os riscos existentes dizem respeito à rentabilidade de um mês para outro, que pode variar negativamente se houver uma crise no mercado. Exemplificando: no pico da crise do ano passado, em outubro de 2008, quem tinha títulos do TD viu a rentabilidade de um mês para outro diminuir. Isso não quer dizer que o investidor perderá dinheiro, ele só sofrerá prejuízo se, nesse momento de crise, resolver resgatar o investimento antes do prazo.

    É preciso ficar bem claro: se vc, amanhã, compra um título que remunere 10% a.a., ao final de um ano, vc terá a rentabilidade de 10% brutos – aí precisam ser descontados os custos de IR e taxas. Mas vc terá uma rentabilidade positiva, e boa, se ficar com o título até o seu vencimento.

    No vencimento do título, não é preciso fazer nada. Automaticamente, quando se vence um papel, o dinheiro, que antes estava vinculado ao título, é creditado em sua conta-corrente, já líquido de impostos e taxas. E o TD lhe manda um email avisando que o título venceu e q o dinheiro estará disponível na sua conta após as 13:00 do dia x. Simples assim. Normalmente, os rendimentos são ótimos, quando comparados com a maioria dos fundos de renda fixa, e tb ganham da poupança na maioria dos casos – e por isso a atratividade do TD para diversificação, para obtenção de melhores rentabilidades sem riscos e para o aperfeiçoamento pessoal no ramo dos investimentos.

    Como vc é cliente do BB, pode fazer um test drive no próprio BB. Foi assim q comecei a operar no Tesouro Direto: foi pedindo a senha pra operar junto ao meu gerente. Ele provavelmente irá resistir, mas recomendo q vc insista, insista e insista. Caso ele se negue, procure uma corretora com a qual tenha facilidade de comunicação, e vá em frente.

    A taxa q o BB cobra não é cara (0,5% a.a.), e a vantagem inicial é q vc movimenta seu investimento com o dinheiro de sua conta-corrente no BB. Mas tb há sempre a alternativa de buscar logo uma corretora, se quiser eliminar de cara esses 0,5%. :D

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus lhes abençoe!

  9. Rosa 22 de outubro de 2009 at 8:56 #

    Bom dia Hotmar! Obrigada mais uma vez. Super didático e esclarecedor.
    Você não gostaria de se arriscar como corretor? Eu sou a 1ª da fila…
    Abraços!!!

  10. hotmar 6 de fevereiro de 2010 at 15:27 #

    Hehehe, eu é q agradeço, Rosa!

    Quem sabe um dia no futuro eu pense em investir na carreira de corretor. :D

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  11. José P 13 de fevereiro de 2010 at 14:06 #

    Prezado Hotmar, estou interessado em começar a investir no TD mas tenho uma dúvida.
    Quando efetuo a compra de uma Letra ou Nota ela tem data de vencimento pré-estabelecida, assim caso eu decida por investir regularmente (aplicando um determinado valor por mês), em sua opinião, essa seria a melhor opção?

  12. hotmar 13 de fevereiro de 2010 at 16:55 #

    José, obrigado pelo comentário. Bom, todos os títulos do Tesouro Direto têm prazo de vencimento, de modo que o método de investimento depende muito de seu perfil de investidor: vc tanto pode comprar regularmente, de modo periódico, ou de uma só vez. Só atente para o fato de que, comprando regularmente, as compras efetuadas em datas mais próximas à do vencimento estarão sujeitas ao pagamento de uma maior alíquota de IR. P.ex., se investir num título a 3 meses de sua data de vencimento, vc pagará 22,5% de IR sobre a rentabilidade. Investindo num título há mais de 2 anos da data de vencimento, e esperando o vencimento, vc pagará apenas 15% de IR, pela alíquota regressiva.

    Se vc quiser investir no TD com uma grana q já tem em mãos, o melhor, pelo menos pra fugir do IR mais alto, é aplicar o quanto antes, ao invés de investir regularmente num determinado título. Outra idéia é vc diversificar, escolhendo, para os próximos meses, aplicar em títulos q tenham datas de vencimento mais distantes.

    De qqer forma, boa sorte em sua tomada de decisão. :D

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  13. Carlos 7 de março de 2010 at 11:41 #

    Caro Hotmar,
    Em primeiro lugar obrigado por suas explicações que são muito esclarecedoras.
    No entanto fico com uma dúvida a respeito das corretoras que não cobram nenhuma taxa para custodiar os TTD. As corretoras não são instituições de caridade, portanto estão lá para ganhar dinheiro. Se eu abrir uma conta, p.e. no BANIF, posso comprar e vender TTD pagando somente a taxa de negociação de 0,10% e a taxa de custódia da BM&FBOVESPA de 0,30%. Sou correntista do BB e se esta mesma operação fosse efetuada no BB eu teria que pagar a taxa do agente de custódia que no caso e de 0,5%.
    Como o risco, com relação aos agentes de custódia, é o mesmo, ou seja, nenhum. A lógica me faz optar por uma corretora que não cobra taxa de custódia. Então fica a pergunta: O que ganha o BANIF para custodiar os meus títulos?

    Muito obrigado!

  14. hotmar 7 de março de 2010 at 11:46 #

    Carlos, obrigado por sua participação.

    Sua dúvida é comum a de muitos investidores, e aqui está a resposta: as corretoras que não cobram nada lucram pela atração dos clientes para outros produtos dela, geralmente os de renda variável. Muitas vezes a corretora trabalha com taxa zero no Tesouro Direto como estratégia de marketing para atrair o público para o seu home broker. É como se fosse uma propaganda: “venha operar no nosso home broker, que oferece tais e quais vantagens, e ainda ganhe como benefício extra a taxa zero para operar no Tesouro Direto”.

    É isso. O lucro das corretoras vem das corretagens e comissões sobre as operações realizadas na Bolsa. O TD é apenas um complemento, de muito fácil atratividade e praticamente isento de custos para a corretora, já que a operação de compra e venda de títulos nem é feita pelo home broker ou site da corretora, mas sim pela própria página do Tesouro Direto (algumas já estão permitindo operar no TD pelo HB). Ou seja, nem custos com manutenção de um site de segurança para operar no TD elas têm, já q as operações são estruturadas a partir de home pages do site oficial do Tesouro Direto.

    No TD em si, as corretoras com taxa zero no TD não ganham nada no TD, mas ganham aoa verem seus clientes cadastrados operarem no home broker, pois isso funciona como um estímulo para operarem no home broker, e, assim, ganharem com corretagens.

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  15. Flávio 28 de março de 2010 at 0:05 #

    Existe uma famosa frase do Economista prêmio Nobel Milton Friedman: “There is no free lunch”. Quem disse que as corretoras não estão ganhando… Pois bem, vamos aos fatos: “São 3 as taxas cobradas no Tesouro Direto. No momento da compra do título, é cobrada uma taxa de negociação de 0,10% sobre o valor da operação. Há também uma taxa de custódia da BM&FBOVESPA de 0,30% ao ano sobre o valor dos títulos, referente aos serviços de guarda dos títulos e às informações e movimentações dos saldos, que é cobrada semestralmente, no primeiro dia útil de janeiro ou de julho, ou na ocorrência de um evento de custódia (pagamento de juros, venda ou vencimento do título), o que ocorrer primeiro.”
    Portanto, a BOVESPA está ganhando 0,30%aa mais um fee de 0,10% para fazer muito pouco. Ela não faz gestão, só o serviço de guarda dos títulos. Quem eram e ainda são(possuem uma pequena parte)os donos da BOVESPA? Acertou quem falou as corretoras. Portanto, indiretamente elas estão beneficiando-se das aplicações no TESOURO DIRETO. Deve haver uma compensação interna e/ou redução de custo para as corretoras que destacarem-se na venda do TESOURO DIRETO, assim como acontece na venda de ações em ofertas públicas. Há muito tempo eu me perguntava sobre o motivo do Cartão de Crédito presentear-me com milhas para viajar. Muito parecido com aquela história da torradeira, não é hotmar… Em tempo, isso não tira o brilho do TESOURO DIRETO. A medida que o volume crescer a taxa deve cair. Os grandes bancos cobram mais porque tem produtos mais caros para vender.

  16. hotmar 28 de março de 2010 at 9:47 #

    Flávio, seu raciocínio faz muito sentido! :)

    Como a Bovespa é constituída por uma reunião das corretoras, então é consequência desse raciocínio que elas ganhem também com a custódia dos títulos do TD (aquela taxa de 0,3% a.a.).

    Não tinha me atentado para esse pequeno detalhe (que faz toda a diferença…)

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  17. Isabel 31 de março de 2010 at 15:49 #

    Boa tarde, Hotmar
    Venho acompanhando seu blog e outros sobre investimento há algum tempo e tenho aprendido muito por aqui, e como conseqüência gostaria de aplicar melhor meu dinheiro.
    Tenho algumas aplicações divididas entre: fundo referenciado DI, fundo multimercado, small cap e previdência VGBL, tudo do mesmo banco. Estou querendo melhorar os rendimentos e principalmente reduzir as perdas com as taxas.Tenho a intenção de comprar um apartamento daqui a 3 anos , por esse motivo não posso me arriscar muito.
    Me interessei pelo TD. Mas vejo que são oferecidos poucos títulos com vencimentos antes de 2013, quando pretendo comprar meu ap. O que acontece se eu vender os títulos antes do vencimento, estou arriscada a perder muito? Quais os riscos? E o que você acha do PIBB11, vale a pena por curto prazo? Falam que não tem boa liquidez, isso significa o que em termos de tempo? Desculpe tanta pergunta mas é que estou com muitas dúvidas.
    Muito obrigada!
    Isabel

  18. hotmar 31 de março de 2010 at 17:54 #

    Olá, Isabel, obrigado pelos comentários! :D

    Bem, vamos lá:

    1) A venda dos títulos antes do vencimento pode ou não resultar em prejuízo. Resultará em prejuízo se vc vendê-los em uma época de forte crise, e os tiver comprado num momento de “bonança” do mercado. Os riscos são representados, basicamente, pelas bruscas oscilações no mercado, e atingem com maior magnitude títulos públicos de prazo mais longo, como as NTNBs 2024, 2035 e 2045. Os títulos de prazo menor tendem a sofrer menos com a oscilação. E dentre esses, as Letras Financeiras do Tesouro – LFTs – são as que sofrem menos, justamente porque seu valor tende a se manter positivo com o decorrer do tempo.

    2) O PIBB11 é um fundo de ações, seu alvo é preferencialmente para o longo prazo. Como no seu caso, a meta é de médio prazo – 3 anos – é melhor escolher um investimento mais conservador, como um fundo referenciado DI, Tesouro Direto – LFT me parece uma ótima opção nesse caso, porque oscila menos – ou fundo multimercado sem renda variável e sem alavancagem, que fique concentrado, portanto, em renda fixa.

    Olhando os títulos do TD próximos de 2013, vejo dois com prazo ali: a LTN 010113, com rentabilidade de 12,21%, e a LFT 070313, pagando atualmente algo em torno de 8,75% brutos, que é a taxa SELIC – lembre-se de descontar IR e taxas de administração e custódia desse cálculo.

    À primeira vista, portanto, a LTN seria mais interessante, certo? Seria, não fosse o fato de que a taxa é prefixada, ou seja, mesmo que a SELIC dê um salto pra 14% a.a. em 2011 e permaneça nesse patamar até 2013 – vamos exagerar na hipótese porque tudo pode acontecer – a LFT nesse caso seria mais vantajosa, porque, nesses casos, como esse título é pós-fixado, acompanhando a SELIC, a rentabilidade seria superior.

    Ou seja: investindo numa LTN, vc está apostando que a SELIC não suba. Se investir numa LFT, é porque acredita que a tendência dos juros é subir?

    Qual é a estratégia melhor?

    Não há uma resposta única. A resposta depende de seu perfil de investimento, de seu grau de aversão ao risco, e de seu conhecimento do mercado. Uma estratégia mista talvez seria ainda uma terceira possibilidade – metade em título prefixado e a outra metade em pós-fixado atrelado ao CDI.

    A melhor resposta realmente cabe a vc decidir.

    Lembre-se também de escolher uma corretora barata pra operar no TD.

    Bons investimentos!

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  19. Isabel 1 de abril de 2010 at 15:00 #

    Hotmar, muitíssimo obrigada pela resposta, você é muito generoso!
    Dei mais uma olhada no site do TD e reparei que há uma diferença muito grande entre os valores dos títulos LTN (aprox. 800 reais)e LTF ( aprox. 4 mil reais). Isso também deve influir na minha escolha? É melhor eu comprar o mais barato ou nesse caso não importa? Há uma procura maior pelo LTF?
    Obrigada!

  20. hotmar 1 de abril de 2010 at 19:22 #

    Isabel, às ordens! :D

    Bem, isso q vc apontou é um dado interessante: a variação dos preços dos títulos. Alguns são mais fáceis de comprar, exemplo clássico: NTNBP-2024, a qual, com pouco mais de R$ 160, já dá pra adquirir um “pedaço” – 0,2.

    Já o pedaço mais “barato” (barato no sentido de comprar com menos dinheiro) de uma LFT é em torno de R$ 800 (0,2 de um título inteiro).

    Para o seu caso específico, não faz diferença comprar uma quanto outra, a menos q vc tenha menos dinheiro pra investir (uns R$ 200). O que eu quero dizer é que o preço do título não pode ser o critério principal a orientar a compra de um título ou outro, mas sim a natureza do titulo q vc está comprando. Se tiver tiver em mãos R$ 2000, pode muito bem investir toda essa grana numa LFT, ou adotar uma estratégia híbrida: parte em LFT, parte em LTN, por exemplo, até para vc “sentir” seu comportamento em relação a possíveis oscilações nas rentabilidades mês-a-mês, e poder gradualmente tomar a decisão de se no futuro investe mais em uma ou em outra.

    Normalmente, a demanda dos títulos reflete o cenário econômico: em cenário de pressão inflacionária, tendem a ter maior procura os títulos vinculados a índices de preços, como as NTNBs, e as LFTs, que acompanham a SELIC, que, por sua vez, tem seu índice puxado pra cima normalmente pra conter a inflação.

    Já em épocas em tendência de queda dos juros, movimento q vimos ao longo do ano passado, a procura é maior pelos prefixados, como as LTNs e NTNFs. Basta ver a rentabilidade bruta dos últimos 12 meses desses títulos: http://www.tesouro.fazenda.gov.br/tesouro_direto/rentabilidade.asp a maioria dos prefixados rendeu mais de 10%, e todos os indexados ao IPCA renderam acima de 11%.

    No seu caso específico, como vc tem um destino certo para o seu dinheiro – compra de apto – bem como um horizonte de tempo marcado pra acontecer – 2013 – que está relativamente próximo, vc faz bem em direcionar seus investimentos para opções de renda fixa. Desse modo, seu dinheiro, além de trazer a preservação de capital embutida (o q é essencial), ainda lhe trará um retorno extra proporcionado pelos juros embutidos nos títulos, q ainda estão dentre os mais altos do mundo.

    Posso exemplificar com a minha própria situação pessoal: pretendo comprar alguns móveis para a casa, e, nesse caso, estou tratando de deixar o dinheiro em renda fixa, justamente porque o dinheiro tem prazo certo para ser consumido.

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  21. andre 16 de junho de 2010 at 16:34 #

    Bom Dia. Tenho vinte mil reais para investir no longo prazo pensando em uma aposentadoria daqui a 20 anos. Qual título do tesouro adquirir? É mais interessante investir em mais de um título para diversificar?

  22. Guilherme 20 de junho de 2010 at 17:47 #

    André, é bom uma cesta diversificada de títulos. Para o longo prazo, vc poderia optar por metade em NTN-Bs, que asseguram proteção contra inflação, e outra metade em LFTs, que acompanham o crescimento (ou descida) da SELIC.

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  23. ROBERTO J 3 de julho de 2010 at 17:44 #

    Olá, parabéns pelo Site.

    Estou interesseado em entrar neste Mercado de Títulos Públicos (Tesouro Direto).

    1) Verifiquei que a BaniFinvest nada cobra em investimento de Títulos Públicos (Tesouro Direto), mas se a BanifInvest quebrar, levo algum prejuízo na operação???
    2)tenho R$ 500.000,00 para investir (meio milhão) e não preciso do dinheiro pelo prazo de 3 anos. Por favor, o que recomenda em termos de títulos públicos????
    3) Para quem não precisa do capital por 3 anos, e considerando-se o valor acima (R$ 500.000,00), o Tesouro Direto, atualmente, apresenta a melhor rentabilidade dentre os investimentos em RENDA FIXA no Brasil???
    4) Investindo em títulos públicos prefixado, pelo prazo de acima de 2 e até 3 anos (sem mexer no investimento), e considerando o capital mencionado (meio milhão), qual o máximo de rentabilidade que eu consigo (Descontando-se imposto de renda e taxas cobradas), aplicando-se através da Banifinvest ou de outra que tenha taxa zero ?
    5) O Ideal seria aplicar 50% do capital acima sugerido (R$ 250.000,00) em títulos prefixados e outra metade (R$ 250.000) em títulos pósfixados. 6.2) O que sugere? (OBS.: Esse capital é reservado apenas para Renda Fixa)
    6) Considerando que fosse vc que tivesse disponível o capital acima mencionado (meio milhão), e que não precisasse dele pelo prazo de até 3 anos, em que títulos públicos aplicaria? (OBS.: Esse capital é reservado exclusivamente para Renda Fixa)
    MUITO OBRIGADO SE PUDER RESPONDER TODAS ESSAS PERGUNTAS

  24. Guilherme 4 de julho de 2010 at 15:56 #

    Vamos lá:

    1) Não, os títulos são custodiados na CBLC, a Banif é apenas agente de intermediação.

    2) Com um prazo de 3 anos, você poderia investir metade em LTN com prazo igual, ou seja, de 3 anos, e outra metade em LFT, que vença numa data próxima a essa de 3 anos.

    3) Sim, desde que escolhida uma corretora que cobre uma pequena taxa de administração – não mais do que 0,2% a.a.

    4) Uns 10% a.a. Faça uma simulação no site do TD, usando a calculadora disponível: http://www.tesouro.fazenda.gov.br/tesouro_direto/calculadora/calculadora.aspx

    5) LTN 010113 e LFT 070313.

    6) LTN 010113 e LFT 070313.

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  25. Flávio 18 de agosto de 2010 at 22:42 #

    As taxas de juros nominais e reais voltaram a cair no mercado. As NTN-B de longo prazo estão caminhando para juros reais abaixo de 6,00%. Parabéns aos detentores de NTN-B Principal, NTN-B e NTN-F de longo prazo. A rentabilidade no ano supera com muita folga o índice de referência de curto prazo (CDI).

  26. Guilherme 22 de agosto de 2010 at 15:03 #

    Flávio, vc tem toda a razão. Com as quedas das taxas de juros, esses títulos de longo prazo, que já chegaram, no auge da crise, a garantirem 8% a.a. + inflação, estão rendendo que é uma beleza.

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  27. José Messias 5 de outubro de 2010 at 22:50 #

    Olá Guilherme,

    Muito bom post, gosto muito de ler sobre o Tesouro Direto em qualquer lugar e fico muito feliz quando vejo sites falando sobre o assunto. Isso porque na minha opinião se trata do melhor investimentos em RF que temos em nosso pais.

    Já invisto a alguns anos no TD e não me arrependo!

    Abraços

  28. Guilherme 6 de outubro de 2010 at 0:17 #

    Olá, José Messias, obrigado pelos comentários!

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  29. Marlon Soares 2 de novembro de 2010 at 22:48 #

    Olá!!
    estou acompanhando esse blog já faz algum tempo, parabéns ao pessoal pelo apoio!!!
    Sou iniciante nesse tipo de investimento TD, e gostaria de fazer uma pergunta.
    Já fiz meu cadastro junto a um agente de custódia, agora para eu comprar o título que desejo preciso depositar dinheiro na minha conta investimento, nesse caso tenho que realmente fazer um DOC para o agente? não exite outra forma? sou cliente do itau e vi que o custo do DOC ou TED são de arrepiar os cabelos!
    Obrigado!!

  30. Guilherme 3 de novembro de 2010 at 7:52 #

    Obrigado, Marlon!

    Verifique se o agente de custódia em que vc se cadastrou trabalha com o Itaú, para evitar esse custo adicional. P.ex., a LinkTrade, a Ativa e a MyCAP são algumas corretoras que trabalham com o Itaú. Nesse caso, a transferência se faz mediante o recurso de transferência entre contas-correntes, e normalmente não tem custo.

    Agora, se a sua corretora trabalhar com um banco diferente, p.ex., com a Spinelli, que só trabalha com o banco BM&F, aí vc teria q necessariamente realizar um DOC/TED.

    Uma alternativa é vc verificar se sua cesta de serviços no Itaú lhe confere direito a um TED/DOC mensal.

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  31. Carlos 5 de janeiro de 2011 at 15:23 #

    Em 2004 tentei me cadastrar no TD através do Banco do Brasil. Não consegui. Fui enrolado não encontrava ninguém que resolvesse o meu problema. Inclusive os gerentes desconheciam o TD ou fingian desconhecer. Fechei minha conta no BB.
    Abri facilmente na SOCOPA e não tenho nenhum problema sou muito bem atendido.
    Uma sugestão para quem quer se cadastrar em TD: Fujam dos bancos. Só como exemplo o Itaú cobra taxa de 5 % para inviabilizar qualquer aplicação no TD.
    SOCOPA, Spinelli, Braniff são boas opções e não cobram nada (taxa 0%)

  32. Guilherme 8 de janeiro de 2011 at 11:19 #

    Carlos, estou com você: fujam dos bancos. Fujam das altas taxas de administração e custódia. :D

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  33. Equipe Mapa do Tesouro Direto 13 de janeiro de 2011 at 21:16 #

    O Tesouro Direto foi ótimo também em 2010.

    Entre os títulos de não pagam juros semestrais, os preferidos dos investidores de longo prazo, o ranking foi:

    #1 NTNBPs (2035 com 19,4% em 10 meses!),
    #2 LTNs (2013 com 12,6),
    #3 LFTs (2011 com 9,8%)

    http://www.mapadotesourodireto.com.br

  34. Guilherme 13 de janeiro de 2011 at 23:44 #

    Realmente, MTD, o TD foi show de bola em 2010!

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  35. William 24 de janeiro de 2011 at 0:37 #

    Com a subida da taxa Selic, as letras financeiras seriam a melhor opção?

  36. Guilherme 24 de janeiro de 2011 at 0:44 #

    Para acompanhar a tendência de crescimento da taxa SELIC, acredito que seja sim uma opção atraente, do ponto de vista de uma atitude conservadora.

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  37. Flávio 6 de fevereiro de 2011 at 23:53 #

    As taxas do Tesouro Direto voltaram a ficar atrativas para compra. A LTN com vencimento em 01/01/2015 está oferecendo um retorno de 13,00%aa, o que resulta em um rendimento nominal bruto de 61,00% ao longo de 3 anos e 11 meses. O rendimento líquido ficaria em 11,10%aa e 50,80% durante todo o período, o após o IR de 15%, a taxa da CBLC de 0,30%aa e utilizando as quatro corretoras que isentam de taxa de custódia, a saber: SOCOPA, SPINELLI, PAX e BANIF.

    Abraços.

  38. Equipe Mapa do Tesouro Direto 7 de fevereiro de 2011 at 17:26 #

    Sobre SELIC, sugerimos checar as projeções das consultorias e analistas. A maior projeção que encontramos até aqui foi 12,50% no final do ano.
    http://br.noticias.yahoo.com/s/31012011/87/economia-analistas-projetam-taxa-selic-maior.html
    Outras notícias de hoje: produção industrial em queda: http://blogs.estadao.com.br/celso-ming/2011/02/02/mais-devagar/
    e inflação deve cair:
    http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20110203/not_imp674612,0.php

  39. Guilherme 20 de fevereiro de 2011 at 16:16 #

    Flávio, ótima dica!

    Outro ativo interessante no TD é a NTN-B, aliás, as duas que vencem em 2015, que estão pagando 6,5% a.a. brutos + IPCA.

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  40. Ramos 27 de fevereiro de 2011 at 15:30 #

    Fiquei com dúvida com relação ao meu caso, não possuo ainda uma grande quantia para investir mas pretendo começar aplicar no Tesouro Direto uma quantia R$4.000 mês a mês, como deveria proceder? Por exemplo seria melhor juntar 5 meses e comprar apenas um título de R$20.000? Ou a cada mês comprar um título de R$4.000?

    Entende o que quero dizer? Quero uma aplicação em que possa estar investindo mais dinheiro todos os meses!

    Obrigado.

  41. Guilherme 27 de fevereiro de 2011 at 21:57 #

    Ramos, o TD permite que você faça investimentos todos os meses, comprando mais quantidades de um mesmo título, ou comprando outros tipos de títulos!

  42. Marcio Augusto 25 de abril de 2011 at 15:54 #

    Boa tarde Guilherme,

    Estou investindo todo meu dinheiro (R$ 10 mil) em um fundo muito interessante da Caixa Ec. Federal. Trata-se do CAIXA FIC ABSOLUTO PRÉ RF LONGO PRAZO. No site da Caixa consta rentabilidade de 10% nos últimos 12 meses, já abatidas as taxas de administração e outros custos, exceto impostos. Conheci seu blog hoje e vi que o Tesouro Direto é a opçáo mais interessante para renda fixa. Porém, com a rentabilidade que estou tendo será que vale a pena sacar o dinheiro e colocar no Tesouro Direto? Dê uma olhada nos seguintes links para conhecer o produto e as rentabilidades diárias e mensais: https://webp.caixa.gov.br/fundos/frame_voce.asp

    http://www.caixa.gov.br/Voce/Investimentos/Fundos/Fundos_de_Renda_Fixa/FIC_Prefixado/rentabilidade_mensal.asp

  43. Guilherme 25 de abril de 2011 at 19:07 #

    Boa noite, Márcio, seja bem-vindo ao blog!

    Vale a pena sim trocar o investimento. Embora esse fundo de renda fixa da CEF tenha tido um desempenho bem próximo do CDI nos últimos 12 meses, a taxa de administração dele – de 1,10% a.a. – é muito cara, considerando ser ele um fundo que investe basicamente em títulos de renda fixa. Então por quê investir seu dinheiro num fundo se você próprio tem condições de aplicar esse mesmo montante diretamente em títulos do Tesouro Nacional, pagando uma taxa de administração (custódia) com um desconto de 50%, e ainda obter rentabilidades superiores?

    Veja que, nos últimos 12 meses – http://www.tesouro.fazenda.gov.br/tesouro_direto/rentabilidade.asp – nenhum título do Tesouro Direto rendeu menos do que dois dígitos. É claro que essa é uma informação que desconsidera o peso dos impostos e taxas de custódia. Porém, mesmo fazendo os cálculos embutindo tais custos, ainda assim o investimento em qualquer título do TD lhe proporcionaria uma rentabilidade superior.

    Agora, o que você precisa verificar é se esse montante é o seu colchão de segurança. Falo isso porque esse fundo da CEF tem liquidez diária, coisa que não ocorre com o Tesouro Direto. Nessa hipótese, eu recomendaria você manter seu dinheiro num investimento de banco – não necessariamente nesse fundo, mas em um de banco, que lhe dê rentabilidade diária – e gradualmente pensar em investir no TD.

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

    • Marcio Augusto 25 de abril de 2011 at 19:44 #

      Obrigado pela dica Guilherme. Virei fã do seu blog. Nesse exato momento eu estava lendo o tópico sobre a reserva de contingência (ou colchão de segurança). Esses 10 mil são extamamente para despesas imprevistas, de modo que vou aguardar ter mais dinheiro para investir no Tesouro Direto/Ações, até porque pretendo aumentar essa reserva. Obrigado

  44. Guilherme 25 de abril de 2011 at 19:52 #

    Marcio, você está certo: para o colchão de segurança, o importante é liquidez diária, e possibilidade de resgate em D+0, aliados a uma alocação em investimento do tipo conservador.

    E obrigado pelos elogios!

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  45. Rosa 26 de abril de 2011 at 9:57 #

    Hotmar, outro dia o gerente do BB (sou cliente estilo e só tenho uma reserva em poupança, ultra conservadora eu) me ligou e ofereceu uma série de opções para aplicações, com aquela conversa de rendimento maior que a poupança, bla… bla… bla… Eu e meu marido fomos na agência e fizemos uma proposta a ele: aplicaríamos x na aplicação que ele indicasse e o mesmo x deixaríamos na poupança, ao final de um ano se o x da aplicação rendesse menos que a poupança, o BB cobriria o valor até o limite do que rendeu a poupança. Resumo da ópera: ele nunca mais nos procurou. Concordo com você quando você afirma que se eu sou a dona do dinheiro, sou eu que tenho que cuidar e não o gerente do banco. E pra isso é preciso tempo e informação. Quando tiver serviço de personal financeiro Valores Reais serei a primeira a contratar, questão de confiança. Abraços.

  46. Guilherme 26 de abril de 2011 at 23:20 #

    Parabéns pela atitude firme, Rosa!!! Gostei de ver seu altíssmo grau de independência e conhecimento em relação ao dinheiro! Não tem coisa melhor do que desmascarar gerentes inescrupulosos…….rsrsrsrsr

    E obrigado pela referência elogiosa ao blog!

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  47. Rosa 27 de abril de 2011 at 9:21 #

    Hotmar, aqui no blog eu me sinto num ambiente confortável e aconchegante. Entendo bem pouco, mas gosto da maneira com os assuntos são tratdos aqui: seriedade sim, mas sem perder a ternura!!!
    Sucesso!!!

  48. Guilherme 27 de abril de 2011 at 20:37 #

    Rosa, obrigado!!

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  49. Henrique 17 de junho de 2011 at 10:04 #

    Olá gostaria de saber alguns detalhes, se alguém souber responder:
    Bom o imposto é sobre o juro certo?
    Esse imposto já é retido automaticamente? ou o proprietário dos titulos que tem que recollher com um DARF?
    E aquela taxa do agente de custódia por exemplo 0,20% ao ano é sobre os juros ou sobre o capital todo?
    A ordem de compra de um titulo do tesouro direto por exemplo, é cobrada como se fosse uma ordem de compra de uma ação?
    Na corretora Spinelli a taxa do agente de custódia é 0%, porém a existem valores de ordem de R$5,90(fracionario) e R$16,90(normal).
    Qual sera que compensa?
    Obrigado desde já se alguém puder esclarecer essas duvidas.
    :)

  50. Flavio 17 de junho de 2011 at 17:23 #

    Henrique,

    Segundo o site do TD:
    “Há incidência de impostos sobre os rendimentos financeiros auferidos quando da venda antecipada, do pagamento de cupom de juros (o IOF não incide sobre os cupons de juros; somente o IR) e do vencimento dos títulos”.

    O imposto de renda é retido automaticamente e depois eles te mandam aquele comprovante para você declarar pra Receita Federal.

    As corretagens de R$ 5,90 e R$ 16,90 da Spinelli são para compra/venda de ações e não para o Tesouro Direto.

  51. Guilherme 19 de junho de 2011 at 22:31 #

    O Flavio já respondeu com propriedade as perguntas do Henrique! E, sim, Henrique, compensa bastante! Basta comparar a tabela de rentabilidade dos últimos 12 meses do TD – http://www.tesouro.fazenda.gov.br/tesouro_direto/rentabilidade.asp – com a tabela de rentabilidade dos fundos de investimento de qualquer banco.

    Embora rentabilidade passada não seja garantia de rentabilidade futura, como o investimento em renda fixa é conservador, dá para ter um parâmetro aproximado de rentabilidade entre diferentes fundos e títulos.

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  52. CnR 16 de agosto de 2011 at 12:40 #

    Rosa, ele não te procurou pq como qualquer investimento NADA é garantido e ele não pode assumir este risco, por menor que seja.
    No LONGO prazo os investimentos fixos sempre serão melhores que a poupança. A não ser q o país entre em crise e o governo jogue a inflação lá em baixo…

  53. CnR 16 de agosto de 2011 at 12:43 #

    falo no longo prazo por causa do Imposto de Renda, que é regressivo no tempo.
    Tentem CDB no Banco Sofisa Direto. Eu uso e é bom!

  54. Guilherme 16 de agosto de 2011 at 19:14 #

    CnR, com razão: poupança deixou de ser investimento há bastante tempo, ainda mais com essa taxa básica de juros na faixa dos 12% a.a.

  55. Antonietti 19 de agosto de 2011 at 13:19 #

    Olá estou há apenas 2 semanas no site, e já degustei algumas dezenas d artigos.
    ainda estou coletando informações para iniciar no TD.
    Sou clinte do BB e estou muito disposto a usar ooutro agente de custódia.
    A taxa do BB é 0,50 e tenho 2.500 na poupança só esperando. Vc acha q é válido com essa taxa entrar no TD ?

  56. Antonietti 19 de agosto de 2011 at 13:19 #

    Olá estou há apenas 2 semanas no site, e já degustei algumas dezenas d artigos.
    ainda estou coletando informações para iniciar no TD.
    Sou clinte do BB e não estou muito disposto a usar outro agente de custódia.
    A taxa do BB é 0,50 e tenho 2.500 na poupança só esperando. Vc acha q é válido com essa taxa entrar no TD ?

  57. Guilherme 19 de agosto de 2011 at 20:23 #

    Antonietti, bem-vindo!

    Sim, é válido. Apesar de a taxa não ser das melhores, você pode começar no BB para “sentir” o investimento e então, posteriormente, ter segurança e se sentir confortável para mudar de corretora com taxa melhor.

    O importante é começar e se familiarizar com o investimento. :D

  58. Antonietti 20 de agosto de 2011 at 23:10 #

    Obrigado pelo conselho.
    Confesso q aqui estou aprendendo muito.
    Eu pensei em colocar uma parte para como vc disse, “sentir” o investimento.
    Eu tenho a intenção d comprar uma casa daqui uns 3 anos, então esses investimentos entre outros q pretendo fazer, é justamente pra isso.
    No TD qual opção vc acha q seria mais viável nesse período d 3 anos (mesmo q por enquanto eu esteja com o BB como ag. d custódia)?

  59. Guilherme 23 de agosto de 2011 at 21:23 #

    Antonietti, vc pode começar com uma LFT, que segue a taxa básica de juros na economia. Nesse caso, eu optaria por comprar 0,4 da LFT 070315, que vence em março de 2015, e resgataria o investimento daqui a 3 anos.

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  60. Eduardo Castro 1 de setembro de 2011 at 15:35 #

    Invisto no Tesouro Direto há algum tempo e verifiquei que neste último mês a taxa de juros dos títulos NTNB e NTNB-P despencaram. Por exemplo, o título NTNB-15052015 abaixou de 6,69%a.a para 4,92%a.a em menos de um mês.

    O melhor seria esperar um pouco para voltar a investir no TD? Ou simplesmente não há como fazer qualquer previsão?

  61. Guilherme 2 de setembro de 2011 at 18:14 #

    Eduardo, não arrisco previsão. O mercado está desnorteado com essa queda abrupta da SELIC. Me *PARECE* que a tendência é a diminuição dos juros reais, uma vez que a inflação não dá sinais de desacelerar. Alguns falam que investir em NTB-Bs agora, por conta disso, seria uma boa. Eu preferiria não arriscar. Ficaria nos investimentos atrelados ao CDI/SELIC, como LFTs, CDBs pós-fixados indexados ao CDI etc. O que acho que devem ser evitadas ao máximo são as LTNs.

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  62. Renato C 2 de setembro de 2011 at 18:24 #

    Olá Eduardo Castro,

    Pois é, podemos esperar as taxas subirem…. e elas abaixarem ainda mais. E aí, como é que fica?

    Acredito que de um modo geral o ideal é ir comprando mês a mês, quase que religiosamente, tentando não se preocupar muito com taxa.

    Para dar uma olhada no histórico, dia a dia, das taxas:
    http://www.tesouro.fazenda.gov.br/tesouro_direto/historico.asp

    Até !

  63. Guilherme 2 de setembro de 2011 at 19:15 #

    O Renato tem razão: fazer compras mensais também pode ser uma tática atrativa!

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  64. Tiago H. 7 de setembro de 2011 at 21:24 #

    Gostaria de ver com muito mais detalhes o assunto TD. Seria muito útil envolver detalhes sobre cada “papél” do TD. E gostaria também de ver cálculos demonstrando prossíveis rendimentos. Digo isso, pois vi em alguns sites rendimentos de 9,5%a.a. Ai eu penso: descontando a inflação, o IR as taxas da CBCL e até as taxas da corretora ou banco… sobra o quê?

    Foi mencionado também sobre fazer compras mensais. Mas olha a armadilha que o pobre investidor entra:
    Para realizar a compra, sera necessário a transferência da sua conta para a conta da corretora. Sendo necessário o pagamento de DOC ( caso não possua conta no mesmo banco da corretora ) no valor de R$13,00 aproximadamente. Isso em um investimento de R$150 mensais é quase 10%!! Moral da história: Prejuizo!

    Primeiramente: Gostei muito do texto.
    Segundo: Por favor, coloque algo bem mais detalhado e complexo.
    terceiro: Se souber, me passe algum livro sobre o assunto.

    Grato Amigo!

  65. Guilherme 7 de setembro de 2011 at 22:01 #

    Tiago, sugestão anotada!

    Enquanto preparamos um texto sobre o assunto, sugiro a leitura do site do Dr. Money: http://www.drmoney.com.br/2011/09/inflacao-vai-subir-salvacao-esta-na-ntn.html onde há excelentes textos sobre a matéria.

    Sobre a questão dos custos com DOC, há alternativas no mercado com as contas digitais, como as do BB e do Itaú (iConta). No Efetividade.blog.br do Jônatas há artigos específicos sobre essas novas modalidades de conta.

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  66. Gouvea 27 de outubro de 2011 at 11:12 #

    Olá pessoal, apareceu umas corretoras novas na área que não estão cobrando a taxa de custodia.

    São a Título, Concordia e as já conhecidas spinelli e socopa.

    Então em qual eu abro conta considerando que farei TED sem custo.

    Abraços a todos.

    Gouvêa.

  67. Guilherme 30 de outubro de 2011 at 17:52 #

    Gouvea, tem razão, há novas corretoras que não cobram tarifa de custódia para operar no Tesouro Direto. Em princípio, com qualquer delas você teria ganhos, mas é bom verificar se alguma delas trabalha com tarifa de saque, o que as colocaria em posição de desvantagem em relação a aquelas que não cobram tal tipo de tarifa.

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  68. Pamella 11 de novembro de 2011 at 15:34 #

    Boa tarde,
    Adorei sua matéria a respeito do tesouro direto, estou sériamente tentada a investir meu dinheiro nesse tipo de aplicação. No entanto, gostaria de pedir algumas dicas de cursos e/ou livros que ajudem a me inteirar sobre o assunto – aplicações financeiras – por exemplo, uma dúvida que tenho é se posso todo mês aumentar o valor investido no TD como se fosse uma poupança..
    Agradeço sua atenção.

  69. Renato C 11 de novembro de 2011 at 17:53 #

    Pessoal, onde está o título da NTNB 2045? Este título, dentre outros, não está mais disponível ! O que houve?
    http://www.tesouro.fazenda.gov.br/tesouro_direto/consulta_titulos/consultatitulos.asp

  70. Renato C 11 de novembro de 2011 at 23:09 #

    Já descobri:

    Segue notícia do TD:

    25/10/2011 – Suspensão temporária de venda de NTN-B
    Devido a questões operacionais resultantes do pagamento de cupom de juros, o Tesouro Nacional não ofertará as NTN-B com vencimentos em 15/05/2015, 15/05/2017, 15/05/2035 e 15/05/2045 no período de 9h do dia 10 de novembro às 5h do dia 16 de novembro.

    http://www.tesouro.fazenda.gov.br/tesouro_direto/avisos.asp?div909#link909

  71. Guilherme 12 de novembro de 2011 at 14:52 #

    Olá Pamella, obrigado! Sobre cursos e livros sobre o programa, há um livro da Mara Luquet sobre o assunto. Não conheço o livro, mas deve ser provavelmente didático, uma vez que ela é jornalista com especialidade em cobrir finanças pessoais, logo, deve abordar o tema de uma forma bastante didática.

    Olá Renato, grato pela sua observação. E que bom que as NTN-Bs com esse vencimento só estão suspensas de modo temporário!

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  72. Diogo Costa 13 de novembro de 2011 at 0:51 #

    Posso indicar também um livro sobre tesouro direto, não cheguei a ler, mas pretendo em algum momento comprá-lo.
    Bom aqui vai a sugestão: Títulos Públicos sem segredos: guia para investimentos no Tesouro Direto, de Fabio Guelfi Pereira, a formação do autor: analista de finanças e controle da Secretaria do Tesouro Nacional. Editora: Campus/Elsevier
    Eu li a entrevista que o Fabio fez para a Revista Investmais e achei muito boa, bem didática e coerente, acredito que o livro deve ser bom também. Na entrevista ele fala sobre os títulos disponíveis, os riscos, a tributação, os custos de investir no Tesouro etc. Espero que ajude de alguma forma.

  73. Pablo 13 de novembro de 2011 at 12:30 #

    Realmente esse livro é muito bom. Devido à formação do autor, achei discretamente técnico, nada de mais para quem gosta um pouco de matemática.

  74. Guilherme 13 de novembro de 2011 at 20:46 #

    Olá, Diogo, grato pela dica do livro do Guelfi.

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  75. andy 6 de dezembro de 2011 at 11:28 #

    olá amigos
    é 1ª vez que posto mensagem aqui mas acompanhei como visitante faz 4 meses já
    no momento tenho certas dúvidas em relação TD , por exemplo , hoje ( 06/dez/11 ) no site TD mostra de compra p/ NTN-B 15052015 de 4,92% e inflação IPCA hoje é 5,43% ; então minhas dúvidas ( levando em consideração todos pagam a mesmo faixa de IR)
    1)se comprando hoje este lote NTN-B 15052015 com 4,92% significa que independente a inflação como vai ficar, no vencimento eu vou receber 4,92% + IPCA (hoje 5,43%) ? (fora taxa CBLC 0,4% a.a e eventual taxa de custodia do agente …etc)então posso falar que hoje este mesmo titulo tá rendendo 10,35% se eu investir no TD hoje?( taxa 4,92% + ipca 5,43%)
    2)então mesmo com juros acumulado no NTN-B do mês anterior (NTN-B 1,48% x HSBC 0,86) ou acumulado no ano (NTN-B 15,72 x HSBC 10,60) mesmo assim se eu tivesse aplicado no NTN-B vou receber no vencimento 4,92 % + variação IPCA?
    3) tenho aplicado no hsbc di special ( ante não era tão alto assim o valor exigido para o investimento inicial ..era tipo 60 mil , depois mudou p/ 100 e uns meses atrás virou 200mil ,e é por isso não quero larga ele ainda ( a não ser hsbc me expulsa por permanência minima não alcançada) e tambem tem mais liquidez …que é D+0 )com 0,65% de taxa adm , e a sua rentablidade hoje do ano é 10,60% hoje ; então daria juro de 5,17% ( 10,60% – IPCA 5,43%)até o presente momento fora taxa adm de 0,65% ?
    abraços

  76. Guilherme 7 de dezembro de 2011 at 14:39 #

    1) Sim

    2) Sim

    3) Sobre esse fundo especificamente, não sei lhe informar, mas atente que ele é um fundo referenciado DI, que segue basicamente a taxa SELIC, ao passo que a NTN-B segue um objetivo diferente, que é acompanhar a taxa de inflação. Assim, depende muito dos seus objetivos: se proteger da inflação ou seguir a SELIC. Embora a SELIC funcione como uma proteção contra a inflação, vejo uma tendência de o governo baixar a taxa de juros reais nos próximos anos, o que tenderia a favorecer as NTN-Bs.

    Boa sorte na escolha!

  77. andy 7 de dezembro de 2011 at 17:37 #

    olá guilherme , obrigado por responder ;mas ainda tenho dúvidas 1) então no caso o mesmo titulo em questão NTN-B 15052015 mesmo que na tabela de rentabilidade tá dado RENATBILIDADE BRUTA no Ano 15,80% , vou receber na realidade a taxa de compra do dia que comprei , supor que seja hoje 4,92% + variação de IPCA ? e não esta 15,80% acumulado no Ano .2) meu objetivo é acumular dinheiro para futura aposentadoria e independência financeira , e como já tenho uma quantia aplicada no renda fixa com resgate D+0 e suficiente para caso de desemprego por 12 meses , na sua opinião eu devo aplicar no NTN-B principal para aposentadoria e outra parte NTN-B normal para receber cupons de juros semestral?
    abraços

  78. Guilherme 7 de dezembro de 2011 at 20:15 #

    1) Essa rentabilidade é a passada, que não quer dizer que se repetirá no futuro. O que você irá receber é os 4,92% + a variação do IPCA do futuro. Assim, se, em média, a inflação anual até a data do vencimento do título for de 7%, você irá receber algo em torno de 11,92% (brutos, sem descontos das taxas e do IR).

    2) Essa é uma boa estratégia, pois você faz uma diversificação “intra-classe”, ou seja, dentro da renda fixa, aumentando as probabilidades de ter ganhos acima do CDI. Uma outra alternativa que é interessante é colocar metade nas NTN-Bs Principais, e outra metade em prefixados. Ainda que as taxas desses últimos não estejam lá “essas coisas”, quando comparadas a de 3 ou 5 meses atrás, ainda assim podem ser uma forma útil de diversificar a carteira.

    O “problema”, digamos assim, dos títulos que pagam cupons semestrais é o reinvestimento desse dinheiro, que normalmente é insuficiente para fazer uma recompra de novo título, ainda que na sua fração mínima, de 0,2 (ano que vem isso parece que vai mudar, pela possibilidade de reinvestimentos automáticos desses cupons). O que você poderia fazer, nesses casos, seria simplesmente reinvestir os juros dos cupons no seu investimento de renda fixa com resgate em D+0.

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  79. andy 8 de dezembro de 2011 at 10:41 #

    Olá Guilherme, muito obrigado por suas opiniões e dicas valiosas. Abraços.

  80. Guilherme 11 de dezembro de 2011 at 17:50 #

    Olá, Andy, de nada!

  81. David D. 5 de março de 2012 at 11:36 #

    Guilherme, gostaria de uma recomendação em qual dessas sopas de letrinhas seria mais interessante aplicar no momento. NTN-B? Principal ou Normal? Estou com dinheiro parado na poupança e gostaria de colocar parte dele num investimento mais rentável, de preferência que renda acima ou igual ao CDI. Desde já agradeço!

  82. Guilherme 10 de março de 2012 at 16:39 #

    David, NTN-B Principal. A com vencimento em 2024 ainda paga uma taxa bastante razoável.

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  83. William Nunes Pinheiro 13 de agosto de 2012 at 14:03 #

    Olá Guilherme, parabéns pelo excelente trabalho de nos ajudar em nossa educação/informação financeira.

    Mesmo lendo e estudando alguns materiais, ficam dúvidas, tenho o seguinte cenário:

    Previdência privada vitalícia (Caixa Federal)
    Início do plano: ano de 2008
    Investimento mensal: R$175,00
    Total acumulado até 07/2012: R$11.000,00
    Final do plano: ano de 2028

    Poupança: R$3.500,00

    Consigo guardar por mês de R$200,00 a R$300,00

    Pergunta: Onde devo buscar informação, dados para comparar ou quais leituras você recomenda para saber se a previdência que eu faço é mais rentável ou não que o Tesouro Direto?

    Quais investimentos você me recomendaria para que eu possa estudá-los?

    Muito obrigado e mais uma vez parabéns.

    • Guilherme 13 de agosto de 2012 at 20:10 #

      Olá William, obrigado pelas palavras e parabéns pela busca de mais conhecimento financeiro para sua vida!

      No próprio site oficial do Tesouro Direto você encontra informações e pode fazer simulações sobre os diferentes tipos de títulos.

      Outra leitura que é parada obrigatória é o site do HC Investimentos = http://www.hcinvestimentos.com

      Eu recomendaria que você continuasse focado no Tesouro Direto, dadas as vantagens inerentes a esse tipo de aplicação, como transparência, baixo custo e segurança.

      Continue nos acompanhando!

      É isso aí!
      Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  84. Marcilio Lima 25 de outubro de 2012 at 14:45 #

    Olá Guilherme,

    Parabéns pelo site e pela iniciativa.

    Desde o início do ano tenho intenção de investir em tesouro direto mas antes eu decidir fazer uma poupança no itau para urgências.

    Consegui juntar uns R$2.500,00 porém, poderia ter juntado muito mais. O problema é que eu não sou disciplinado e por vários meses não guardei um centavo, se quer. Se houvesse algo que me mandasse um boleto cobrando um certo valor todos os meses seria muito mais fácil fazer economia.

    Estava procurando na internet algo que me “obrigasse” a economizar todo mês. Procurei informações sobre consórcio mas desistir por achar que a administradora ficaria com uma boa parte do valor pago.

    Gostaria de saber se há alguma forma de haver “cobrança(boleto, débito)” para investimentos, que não haja altas taxas de administração e que seja de fácil resgate em casos de emergência??

    Abraços

Trackbacks/Pingbacks

  1. Valores Reais » Novo simulador do Tesouro Direto – interface amigável - 5 de outubro de 2009

    [...] Ontem publicamos um artigo sobre o Tesouro Direto, e prometemos falar sobre o novo simulador que o Tesouro colocou em seu site. Pois bem, hoje é o dia. [...]

  2. Valores Reais » Tesouro Direto – ranking dos agentes de custódia - 6 de outubro de 2009

    [...] leitor J perguntou acerca da confiabilidade das corretoras que não cobram nada. Em reforço ao que eu disse lá no post, posso afirmar que não existe risco de perda dos títulos se eventualmente alguma corretora [...]

  3. Valores Reais » 3 opções de investimentos em renda fixa realmente baratas - 8 de fevereiro de 2010

    [...] – Tesouro Direto – ótimo investimento em renda fixa [...]

  4. Valores Reais » Anos 2000: década perdida para os investidores norte-americanos? - 24 de junho de 2010

    [...] investir na Bolsa através de ETFs, investir na renda fixa através de montagem de uma cesta de títulos públicos e privados, investir em imóveis por meio de uma combinação de fundos imobiliários [...]

  5. Valores Reais » O seu investimento tem qualidade? - 21 de julho de 2010

    [...] e assim por diante; na categoria renda fixa pós-fixada, existem as Letras Financeiras do Tesouro negociadas no Tesouro Direto, as debêntures que remuneram um percentual do CDI, os próprios CDBs pós-fixados dos bancos, e [...]

  6. Valores Reais » NTNB Principal 2035: investindo no Tesouro Direto com menos de R$ 100 - 4 de agosto de 2010

    [...] pode investir num dos melhores produtos de renda fixa disponíveis ao investidor pessoa física, conforme já destacamos em destacado artigo no passado. Desde que, é claro, se saiba escolher bem o agente de custódia, a fim de não pagar exorbitantes [...]

  7. Valores Reais » Dica de site do dia: Investindo no Tesouro - 4 de dezembro de 2010

    [...] o blog regularmente sabe o quanto eu sou fã dos investimentos realizados por meio do programa Tesouro Direto, que permite a você, do conforto de sua casa, realizar investimentos em renda fixa, pré ou [...]

  8. Vale a pena investir em CDB do Banco Sofisa Direto? « Valores Reais - 8 de julho de 2011

    [...] o futuro do blog: qual é a frequência de artigos que você gostaria de ler no Valores Reais? (63)Tesouro Direto – ótimo investimento em renda fixa (59)BB, Bradesco, Itaú e Santander: qual banco oferece a melhor cotação para saque internacional [...]

Deixe uma resposta

Powered by WordPress. Designed by Woo Themes

10 Flares Twitter 3 Facebook 7 Google+ 0 Filament.io 10 Flares ×