Aprenda com meus erros de investimentos #1: CDB a 85% do CDI!? Uauuu…

1 Flares Twitter 1 Facebook 0 Google+ 0 Filament.io Made with Flare More Info'> 1 Flares ×

Nessa série “aprenda com meus erros de investimentos”, estarei mostrando a vocês os erros que cometi com diversos tipos de investimentos, bem como mostrando os caminhos para que você não incida nos mesmos erros, e tome decisões acertadas acerca de seus investimentos no mesmo tipo de produto narrado na história, para evidenciar que o erro está menos no investimento e mais no comportamento do investidor.

A história

Há uns 4 anos atrás, eu fui até o gerente de banco resolvido a tirar o dinheiro que tinha na poupança a fim de colocá-lo numa aplicação mais rentável, e optei pelo tal de CDB. Chegando até a agência bancária, fui conversar com a gerente, falei que queria aplicar no CDB o valor, que não lembro se era mil ou cinco mil reais, e a gerente falou para mim:

- 85% do CDI está bom?

Ao que eu respondi:

- Claro, está ótimo!

Então, ela fez a operação bancária, assinei um papel, peguei o recibo, e fui embora, feliz da vida, na certeza de que tinha feito um “ótimo negócio”…

Os erros

Vários foram os erros que eu cometi nessa história toda.

O primeiro, e mais gritante, foi não saber em que produto eu estava investindo. Eu só sabia que CDB era um tipo de investimento em renda fixa, e que a sigla significava “Certificado de Depósito Bancário”. Eu nem tinha idéia do que significava CDI, e muito menos o que representava 85% do CDI. Como o vencimento do dito cujo estava marcado para dali a alguns anos, eu achava que a rentabilidade seria de 85% naquele período! :-?

Além disso, outro erro crasso foi sequer questionar para a gerente o que, afinal de contas, significava esses 85% do CDI. Eu simplesmente passei batido. Na verdade, eu estava correndo um risco muito grande. Se me fosse oferecido qualquer percentual, eu tenderia a aceitar.

Outra coisa importante é o modo ineficiente do uso do tempo. Foi-se o tempo em que, para investir, era necessário ir até a agência bancária. Mesmo naquela época, o home banking estava funcionando 100%, e eu poderia muito bem ter feito a aplicação via Internet – e ainda por cima usar o Google para descobrir a sopa de letras e números envolvendo o investimento…

Ademais, a falta de objetivos claros também é patente. Afinal, por qual motivo eu estava querendo aplicar em CDB? Para ter mais rentabilidade? Para comprar alguma coisa? Naquela época, eu “mudei por mudar”, o que equivale a dizer que investi sem motivação, o que é um perigo. Falta de educação financeira total.

Em resumo: houve muita falta de atenção de minha parte, e os erros acima constituem parcela significativa desse comportamento. Espero que você não incida nos mesmos erros.

O erro não está no investimento, mas no comportamento do investidor

O CDB, como dito acima, é um investimento conservador, do tipo renda fixa, normalmente oferecido pelos bancos em duas modalidades distintas: prefixado e pós-fixado. Nos prefixados, como o próprio nome diz, a remuneração é fixada no momento da aplicação. Já os pós-fixados, geralmente vendidos como CDB DI, pagam um percentual fixo do CDI fixado no momento da aplicação. Normalmente, quanto maior o valor inicialmente investido, maior é o percentual do CDI. E o CDI é um índice que  procura acompanhar a taxa SELIC. Assim, se a SELIC é de 8,75%, 100% do CDI significa que o CDB em questão pagará 8,75% a.a., aproximadamente. No exemplo acima, 85% do CDI significaria o pagamento de cerca de 7,43% a.a. – que é 85% de 8,75.

Os investimentos em CDBs sujeitam-se à tabela regressiva da alíquota do imposto de renda, e também pagam IOF,  para resgates realizados antes de 30 dias. No entanto, não pagam o come-cotas semestral (recolhimento do IR no final dos meses de maio e novembro), nem se sujeitam ao pagamento de taxa de administração, o que são diferenciais positivos em relação aos fundos de renda fixa tradicionais, que pagam o come-cotas e também taxas de administração.

Normalmente, as aplicações e resgates ocorrem no mesmo dia dos aportes e saques, o que torna o investimento bastante atrativo em termos de liquidez (= facilidade de conversão em dinheiro vivo ou transferências bancárias).

Porém – há sempre alguns “poréns” – normalmente as aplicações são feitas em múltiplos de determinados valores, por exemplo, múltiplo de R$ 500, múltiplo de R$ 1 mil e assim por diante. Ademais, os valores atualmente pagos aos CDBs, em termos de percentuais do CDI, estão num patamar historicamente baixo: exceto nos pequenos bancos, é difícil encontrar CDBs dos grandes bancos pagando boa remuneração do CDI para valores pequenos.

Outra vantagem do CDB é que ele possui garantia do FGC (Fundo Garantidor de Crédito) de R$60 mil por CPF. Ou seja, se o banco quebrar, você não irá perder o investimento aplicado em CDB até o limite de R$ 60 mil.

Lições para o investidor

A principal lição que tirei dessa minha história de investimento é essa: conheça o produto em que está investindo. Informe-se, pesquise, não se envergonhe de perguntar ao seu gerente de que tipo de investimento você está tratando.

Além disso, faça uma pesquisa com outras alternativas de investimento, para ver se realmente compensa. No meu caso, por exemplo, era muito melhor ter aplicado o dinheiro em um título do Tesouro Direto (LFT) ou até mesmo num fundo de renda fixa com baixa taxa de administração.

Outra coisa importante é saber investir pela Internet. Isso lhe dá uma economia enorme de tempo, e facilidade para gerenciar suas operações e ter autonomia para decidir por si mesmo.

É isso aí!

Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

25 Responses to Aprenda com meus erros de investimentos #1: CDB a 85% do CDI!? Uauuu…

  1. J 16 de março de 2010 at 10:41 #

    Poderia falar um pouco mais sobre CDB? O que os 85% querem dizer?

  2. hotmar 16 de março de 2010 at 13:49 #

    J, no meu caso específico, os 85% queriam dizer que a remuneração do empréstimo era de 85% do CDI – Certificado de Depósito Interbancário, o qual, na prática, corresponde a um valor bem próximo da taxa SELIC, que regula os juros no Brasil.

    Assim, por exemplo, com uma taxa SELIC de 8,75% a.a., 85% do CDB significa uma remuneração bruta de cerca de 7,43% a.a.

    Eu gosto muito dos CDBs, principalmente dos CDBs pós-fixados, atrelados ao CDI. Porém, atualmente, os bancos estão pagando muito pouco de percentual do CDI para valores pequenos, entre 75% e 85%, o que torna essa aplicação inferior inclusive à poupança.

    Uma das vantagens do CDB é servir como ótimo colchão de segurança, já que o crédito ocorre em D+0, e o resgate também em D+0, o que significa que ocorre no mesmo dia da solicitação. O fato d também não ter taxa de administração pesa favoravelmente.

    Uma das dificuldades é que os depósitos para aplicações normalmente são o múltiplo de um valor predeterminado, p.ex., múltiplos de 500 reais.

    Amanhã o Banco Central pode aumentar a SELIC, pra 9,25% a.a., o que automaticamente aumentaria a rentabilidade dos CDBs DI. Entretanto, como os bancos não devem aumentar a remuneração – percentual do CDI – oferecida, talvez seja melhor continuar com a poupança, que é, aliás, o que venho fazendo, já que o meu colchão de segurança está atualmente alocado 100% na poupança.

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  3. Karol 9 de maio de 2011 at 21:34 #

    Olá, obrigada pela dica!

    No final do texto, vc acrescennta que preferia ter aplicado o dinheiro em um título do Tesouro Direto (LFT) ou até mesmo num fundo de renda fixa com baixa taxa de administração.

    O que é isso? e porque é melhor?

    Mto obrigada!

  4. Guilherme 16 de maio de 2011 at 21:16 #

    Karol, sim, porque rende mais!

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  5. Marcu_s 26 de agosto de 2011 at 1:29 #

    Agradecendo por compartilhar seus erros!!
    Estou estudando para fazer meu primeiro investimento (fora da Poupança), e seu post foi muito útil! ;-)

  6. Guilherme 28 de agosto de 2011 at 13:56 #

    Legal seu depoimento, Marcu_S!

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  7. Valmir Duarte Costa 30 de agosto de 2011 at 12:45 #

    [COMENTÁRIO EDITADO PELO MODERADOR]

    Valmir, infelizmente, tive que editar seu comentário, pois você violou um dos termos das condições de uso do site, expostas de forma detalhada nessa página do blog: http://www.valoresreais.com/condicoes-de-uso/ Seu comentário se insere na seguinte regra de conduta:

    “É vedada qualquer forma de spam ou mensagem que caracterize propaganda comercial.”

    Vale lembrar ainda que, de acordo com as regras acima enumeradas, “antes de publicar qualquer comentário, o leitor concorda integralmente com os termos de uso contidos aqui e nas regras da legislação em vigor”.

  8. Daniel 18 de maio de 2012 at 15:50 #

    Hoje tive uma experiência surreal no HSBC Investimentos. Telefonei e disse para um dos atendentes que eu havia retirado meu dinheiro das NTN-B do Tesouro Direto, uma vez que as mesmas haviam apresentado um rendimento de 40% neste ano, e que tinha 800 mil reais para investir. Pedi que ele me fornecesse alguma opção em CDB, LCI ou CRI para ter ganhos um pouco superiores ao CDI. O mesmo então me ofereceu um fundo de investimento que rendia 75% DO CDI! Não aguentei e pedi para falar com alguém mais bem preparado, pois o que o infeliz estava me oferecendo era um fundo com rendimento líquido de 5% ao ano, inferior até ao da poupança! Disse que aquela não era forma de tratar um cliente com poder aquisitivo no mínimo razoável. Ele me passou para outra atendente, à qual eu contei a mesma coisa, que tinha sacado do Tesouro Direto e queria uma aplicação um pouco mais diferenciada no banco. Ela então me ofereceu um “fantástico” fundo de índice de preços, que aplicava justamente em NTN-B! Mais uma vez falei para ela que eu não sou nenhum ignorante em matéria financeira (sou leitor do Valores Reais!), que se fosse para aplicar na NTN-B eu mesmo faria isso e que caso eles não tivessem uma opção minimamente razoável a conversa terminaria por ali. Ela me disse que poderia oferecem no máximo um CDB com 100% do DI. Bom, infelizmente agradeci a atenção e desliguei. Até quando vão continuar tratando os clientes como débeis mentais? Como é difícil ter um atendimento decente neste país! Como é difícil elogiar banco neste país!

  9. Guilherme 20 de maio de 2012 at 10:38 #

    Daniel, realmente surreal essa experiência no HSBC Investimentos! Obrigado pelo seu depoimento!

    E parafraseando sua última frase….Como é difícil elogiar banco neste país! :D

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  10. Thompson, CFP® 22 de maio de 2012 at 9:21 #

    Bom dia Daniel,

    Não sei qual a política do Valores Reais, visto que o acompanho a pouco tempo… mas, gostaria de compartilhar com vocês que aqui na XP Investimentos temos soluções acima do CDI, da maneira que você procura. Nossa plataforma tem acesso a mais de 100 instituições financeiras, e o melhor sem custo de acesso para o cliente!
    Para abrir uma conta conosco você não paga nada, ou seja, você não tem nada a perder.
    Caso tenha interesse entre em contato por e-mail: thompson.alves@xpi.com.br

    Um abraço a todos!

    • Guilherme 22 de maio de 2012 at 12:00 #

      Bom dia, Thompson,

      A política do site está descrita nas condições de uso: é vedada qualquer forma de spam ou mensagem que caracterize propaganda comercial.

      Você incidiu em violação às regras de uso do site. Como foi seu primeiro comentário, vou deixar passar. Mas fica desde já avisado.

      É isso aí!
      Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  11. luciano marques 31 de maio de 2012 at 23:09 #

    hotmar, me da uma dica de investir 5.000 mil reais,se puder grato

  12. luciano marques 31 de maio de 2012 at 23:11 #

    alguem me ajuda me da uma dica de invetir 5.000 mil reais

    • Jonathan 2 de junho de 2012 at 0:31 #

      Luciano, o valor que você tem para investir é uma das coisas que menos importa.. Infelizmente não existe uma fórmula pronta para saber qual o melhor investimento pq isso depende dos seus objetivos, do seu perfil, liquidez etc.. Seria mais ou menos como você chegar em uma farmácia e perguntar qual é o melhor remédio, coisa que ninguém poderá dizer sem saber antes os seus sintomas, histórico médico etc…

      Minha recomendação é que, se você ainda não tem uma reserva para emergências, que use desse dinheiro para aplicar em um investimento com bastante liquidez, como a poupança. Os analistas recomendam um valor entre 3 a 6 salários mínimos se você for assalariado e o dobro disso se você for autonômo.

      Se você já tiver sua reserva, aí o melhor investimento depende do seu objetivo para estes 5 mil reais

      • Jonathan 2 de junho de 2012 at 0:33 #

        Corrigindo, um valor entre 3 a 6 salários* (ou o montante correspondente ao que você precisa para se sustentar durante três a seis meses)

  13. Guilherme 2 de junho de 2012 at 14:35 #

    Luciano, siga a recomendação do Jonathan, ele praticamente deu uma aula de investimentos em poucos parágrafos! :D

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  14. Reginaldo Navarro 15 de julho de 2012 at 17:00 #

    Vou viver para o Brasil e gostaria de saber como devo aplicar 80.000 reais, já tenho de lado o dinheiro para emergências. Ou seja, estes 80.000 teriam a finalidade de multiplicação para no futuro poder abrir um negócio quando este aparecer. Abraço.

    • Guilherme 19 de julho de 2012 at 9:21 #

      Reginaldo, esse dinheiro tem uma finalidade específica: abertura futura de um negócio próprio. Portanto, preservação de capital é o principal objetivo, devendo o dinheiro ser alocado num investimento conservador, como títulos do Tesouro Direto indexados à SELIC (LFT), CDBs de bancos de primeira linha ou mesmo na caderneta de poupança.

      É isso aí!
      Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  15. Felipe Marcelo Muniz 11 de abril de 2013 at 3:42 #

    Ola amigo, iniciei meus investimentos pelo CDB fidelidade do Bradesco, que remunera o % do CDI de acordo com tempo de permanencia, sendo de 98,5% para três anos. Mas queria saber, o CDI usado para o calculo é do momento da aplicação? E se a SELIC subir, o CDI também, a base de calculo do meu CDB também sobe? Sera que vale a pena esperar o Copom de maio devido a espectativa de alta da SELIC antes de fazer novos CDBs fidelidade?

  16. Diogo Costa 11 de abril de 2013 at 12:41 #

    Oi Felipe, vou tentar responder um pouco, também tenho investimento em CDB pós-fixado (atrelado ao CDI) e esse tipo de ativo utilizo para as emergências de curto e médio prazo, inclusive o meu CDB vai vencer agora em agosto/2013 e pretendo reduzir um pouco o seu valor, mas vou buscar renová-lo com taxas melhores, ele me serve mais como uma reserva de emergência e para também buscar oportunidades no mercado de ações, fundos imobiliários, debêntures etc. Em relação ao aumento do CDI que tenta acompanhar a taxa Selic (essa com grande probabilidade de aumento já na reunião do Copom na próxima semana), pois o teto da meta do IPCA foi ultrapassado, infelizmente, o CDI (que remunera nos investimentos) é só uma aproximação e nunca consegue absorver toda essa alta da Selic. De qualquer forma, essa questão de esperar é muito ruim, análise os seus objetivos, tolerância a riscos e prazo para esse investimento e aí acredito que você vai conseguir tomar uma boa decisão. Pelo menos eu faço dessa forma. Abraço.

    • Guilherme 14 de abril de 2013 at 16:23 #

      Diogo, excelente resposta! Faço minhas suas palavras. :-)

  17. Rosana 17 de fevereiro de 2014 at 14:28 #

    Guilherme,

    A Geração Futuro lançou um novo produto: um CDB com rentabilidade fixa de 1% am.
    Achei o aporte alto, é 5K, com vencimento para 2 e 5 anos.
    Parece bom já que tem garantia do FGC, mas ao mesmo tempo meio arriscado, devido a economia brasileira meio capenga, inflação voltando…
    Queria entender qual é a estratégia da GF com um produto como esse…..

    O que você acha?
    https://www.gerafuturo.com.br/cdb

    Abraços!

    • Guilherme 17 de fevereiro de 2014 at 18:43 #

      Oi Rosana!

      Obrigado pela notícia.

      Eu vejo com ressalvas esse produto, exatamente pelas razões ditas inteligentemente por você: aporte inicial alto, riscos envolvidos etc.

      Penso que a estratégia deles é “fisgar” o investidor brasileiro que sonha com o rendimento em renda fixa de 1% ao mês.

      Mas é aí que começam os problemas, pois esse não é o rendimento real líquido, afinal, tem que ser descontado o IR.

      Além disso, como o prazo mínimo é de 2 anos, a falta de liquidez acaba complicando. E eles dizem que, se você pedir o resgate antes do vencimento, pode haver prejuízo…

      Enfim, pretendo fazer uma análise mais profunda num texto à parte, até como forma de esclarecimento dos demais leitores.

      Obrigado!

      • Rosana 18 de fevereiro de 2014 at 12:20 #

        Guilherme,

        Agradeço por sua resposta e pelos esclarecimentos.
        Você tem toda razão: parece que a intenção é mesmo “fisgar” o investidor que quer 1% am. Hoje essa é uma boa rentabilidade, mas e daqui à alguns anos?
        Eu acho que pode ser interessante em substituição à LTN, que está com juros mais ou menos parecidos, mas não tem garantia do FGC. Só nesse caso, mais no sentido de não colocar todos os ovos na mesma cesta. De qualquer forma, o valor é alto, mas acho que logo eles diminuirão. Aí que sabe eu compro um pouco.
        De qualquer forma, gostei do novo design do site da GF, acho que ficou um visual mais agradável. O outro era muito sério.
        Desde já agradeço pelo post que fará sobre o assunto! :)

        Abraços!

        • Guilherme 18 de fevereiro de 2014 at 12:39 #

          Verdade, Rosana, diversificação é a chave para uma carteira de investimentos tranquila.

          Também aprovei o novo visual, mais limpo do que a versão antiga do site.

          Eu é quem agradeço a ideia de novo artigo!

          Abç!

Deixe uma resposta

Powered by WordPress. Designed by Woo Themes

1 Flares Twitter 1 Facebook 0 Google+ 0 Filament.io 1 Flares ×