Vale a pena investir em CDB do Banco Sofisa Direto?

22 Flares Twitter 8 Facebook 12 Google+ 2 Filament.io Made with Flare More Info'> 22 Flares ×

Recentemente, o Banco Sofisa desenvolveu uma ampla campanha de marketing na mídia visando a divulgar sua nova plataforma de investimentos. Batizado de Sofisa Direto, ele se propõe a ser um banco totalmente online, oferecendo um produto de investimento – CDB – com rentabilidade acima da oferecida pelos seus concorrentes. Mas vale a pena investir nessa aplicação financeira? É o que responderemos nesse artigo. :-)

O conceito mais importante em finanças

No que toca ao tema “investimentos”, beber da melhor fonte é sempre a alternativa mais segura, e, consequentemente, a que proporciona melhores resultados. Por isso, prezamos aqui no blog por trazer resenhas de livros  de qualidade comprovada, que possam influir, de maneira positiva, na tomada de decisões. Assim, no clássico The Four Pillars of Investing, William Bernstein assevera, após discorrer longamente sobre a história dos mercados:

“The point of this whole historical exercise is to establish the most important concept in finance, that risk and return are inextricably connected. If you desire the opportunity to achieve high returns, you have to shoulder high risks. And if you desire safety, you will of necessity have to content yourself with meager rewards” (p. 12, sem destaque no original).

Numa tradução livre:

“O ponto central de todo este exercício histórico é estabelecer o conceito mais importante em finanças, o de que risco e retorno estão intrinsecamente ligados. Se você quer alcançar altos retornos, você tem de assumir riscos elevados. E se você deseja segurança, terá de se contentar com recompensas escassas”.

A relação risco/retorno deverá sempre ser considerada em suas análises de investimentos. Quanto maior o retorno prometido, maior o grau de risco envolvido. Desconfie sempre de quem prometer altos retornos com baixo risco. Isso não existe.

Por que as ações tendem a superar a rentabilidade da renda fixa, no longo prazo? Por causa do risco inerente ao investimento em renda variável. Para compensar a assunção de um maior grau de risco, é preciso recompensar o investidor com um prêmio. E esse prêmio de risco da renda variável – equity risk premium (leiam esse excelente artigo do Henrique Carvalho para saber mais sobre o assunto) – é o que torna atrativo o investimento em ações. É por isso também que, dentro da renda variável, as ações de segunda linha – as small caps - apresentam retornos históricos superiores às ações blue chips. Afinal, as ações de empresas pequenas são mais arriscadas. Assim, pela lógica, elas devem recompensar o investidor que põe seu dinheiro nelas com uma rentabilidade superior. E a história demonstra que se esse risco tem se pagado, ao longo do tempo, apesar da maior volatilidade.

O mesmo raciocínio se aplica dentro da categoria de renda fixa. Entre CDBs de bancos de primeira linha e CDBs de bancos médios/pequenos, a rentabilidade prometida desses últimos tem que ser maior, sob pena de não atraírem pessoas para sua base de investidores.

E o que é CDB?

CDB é uma sigla para Certificado de Depósito Bancário. De maneira bem simples, é um investimento em renda fixa sob a forma de empréstimo. Ao investir em CDB, você “empresta” dinheiro ao banco, em troca de uma determinada rentabilidade (juros), que pode ser pós-fixada (atrelada a um indicador como o CDI) ou pré-fixada (com rentabilidade previamente definida).

Os CDBs apresentam algumas vantagens em relação aos fundos de investimento em renda fixa similares (fundos DI, por exemplo, quando se toma como parâmetro os CDBs pós-fixados atrelados ao CDI), tais como a inexistência de taxa de administração e a cobertura do FGC para valores depositados de até R$ 70 mil. Esse é, aliás, um dos motes que o Banco Sofisa está apregoando: “investimento garantido até R$ 70 mil”. Para saber mais sobre o FGC, recomendo a leitura de dois artigos: O que é FGC: Fundo Garantidor de Créditos? e E se o banco, onde eu estiver investindo em CDB, quebrar? O FGC na prática (saiu na Folha de S. Paulo de domingo)… Só invista em CDB se você souber a mecânica desse tipo de investimento. Não vá fazer o que eu fiz há algum tempo, como escrevi nesse outro artigo: Aprenda com meus erros de investimentos #1: CDB a 85% do CDI!? Uauuu…

Os CDBs do Banco Sofisa Direto


O Banco Sofisa Direto oferece 4 modalidades de CDB, conforme explica essa página: pós-fixados com liquidez diária, com rentabilidade bruta de 100% do CDI; pós-fixados sem liquidez, ou, nos dizeres do banco, “com liquidez apenas no vencimento” (ou seja, cujo resgate só poderá ser feito na data de vencimento do título), com rentabilidade bruta de até 110% do CDI (respeitando a regra: quanto maior o tempo de permanência no produto, maior a rentabilidade bruta prometida); CDB prefixado sem liquidez, com rentabilidade bruta de até 13,81% a.a. (logicamente que a maior taxa prometida só é paga a quem se dispuser a ficar com o investimento que apresenta o prazo mais longo de permanência); e, finalmente, CDB prefixado vinculado ao IPCA, também sem liquidez, que paga, em média, IPCA + 7,75% a.a. Rentabilidades bastante expressivas e atrativas, principalmente para quem tem pequenos valores para investir. Em grandes bancos, só se consegue 100% do CDI para quem tem valores muito expressivos, de R$ 300 mil para cima, geralmente. Veja, por exemplo, a tabela de rentabilidade dos CDBs DI, com liquidez diária, do Banco HSBC:

Em outros bancos de grande porte, a situação é similar. No Santander, por exemplo, com R$ 50k, a rentabilidade do CDB DI com liquidez diária é de pouco mais de 90% do CDI. O que os grandes bancos (Itaú, Bradesco e o próprio Santander, dentre outros) normalmente fazem é oferecer um CDB do tipo “escalonado”, ou seja, cuja taxa bruta do CDI aumenta quanto maior o tempo de permanência no investimento, geralmente com retroatividade do acréscimo da taxa do CDI envolvida. Por exemplo, o Bradesco oferece o CDB Fidelidade (que chegou a ser, inclusive, objeto de peça publicitária na mídia tempos atrás), que paga o seguinte percentual de CDI para aplicação  de até R$ 49 mil:

O problema desses CDBs “Fidelidade” (Bradesco), “Recompensa” (Santander) e “Plus” (Itaú) é que, se você precisar resgatar o dinheiro antes do início do prazo em que é aplicada a alíquota mais alta, pode ter rentabilidade muito baixa, muito próxima a da caderneta de poupança. Há um prejuízo da liquidez em prol de uma melhor rentabilidade. Isso não quer dizer que os produtos deixem de ter liquidez diária, mas sim que, para obter a melhor rentabilidade – algo próximo de 100% do CDI – é preciso tornar o produto “ilíquido”, isto é, não mexê-lo durante vários anos (geralmente de 2 a 3 anos).

O Banco Sofisa coloca, em seu site, um quadro comparativo de rentabilidade entre os CDBs do Sofisa Direto com seus 4 principais “concorrentes”: poupança, Tesouro Direto, Fundos DI de grandes bancos e CDBs de grandes bancos. Em todos eles, verifica-se os CDBs do Banco Sofisa Direto como o “vencedor” na rentabilidade comparativa. Uma nota importante para os leitores: rentabilidade passada não é garantia de rentabilidade futura, devendo os dados serem analisados dentro de um quadro analítico mais amplo.

Na verdade, os CDBs do Banco Sofisa Direto precisariam apresentar retornos superiores aos da poupança, Tesouro Direto, fundos DI e CDBs de grandes bancos, pois o risco de se aplicar em CDBs de bancos de menor porte – tais como Panamericano, Schahin, FICSA  e similares – é maior do que o risco de se aplicar, respectivamente, em poupança, em Tesouro Direto, em fundos DI e em CDBs de grandes bancos. Lembre-se: risco/retorno. Prêmio de risco. A propósito, o Banco Schahin foi comprado pelo Banco BMG, pois aquele estava com dificuldades em repor seu caixa, segundo notícia apurada no jornal O Globo. E esse banco de nome complicado era o mesmo que, segundo informação publicada na Internet, oferecia CDB com taxa de 112% do CDI. Tá ligado? Risco/retorno. Risco/retorno (eu disse risco/retorno?).

Pessoal, não existe “almoço grátis”. Quer maiores retornos? Então assuma maiores riscos. Não há outra maneira de melhorar a rentabilidade. Quer ter dinheiro para investir? Gaste menos do que ganha. Não há outra maneira de começar a investir. Quer aumentar o dinheiro para investir? Trabalhe mais. Lute por uma promoção. Mude de profissão. Mude de cidade. Saia de sua zona de conforto. Não há mágica. Tudo tem que ser produto de esforço e trabalho duro. Há tempo de plantar, e há tempo de colher. Mas só colhe quem planta.

Quanto maior a rentabilidade, maior o risco envolvido

Quem leu meu artigo O que é LCI: Letra de Crédito Imobiliário?, observou que, quanto maior era a taxa líquida de CDI prometida, mais desconhecida era a instituição financeira ofertante do produto, começando com a Caixa Econômica Federal (e seus parcos 83% líquido do CDI, mas que, em compensação, todo mundo conhece), e indo até os 98% oferecido pelo Banco BVA (sendo que alguns leitores foram apresentados a esse banco por meio da leitura do meu artigo).

Apesar de a rentabilidade prometida pelo Sofisa Direto ser maior do que a oferecida por bancos de primeira linha, é preciso também considerar o risco envolvido, principalmente nos CDBs com liquidez apenas no vencimento. Não por acaso, são eles que apresentam a taxa bruta do CDI mais alto, justamente para compensar a falta de liquidez. Trata-se da presença, mais uma vez, aqui, do prêmio de risco.

A garantia do FGC é um atrativo a mais, porém, pode acontecer de ela precisar ser acionada, como aconteceu, inclusive, com os investidores que tinham aplicações no Banco Morada, conforme explicamos em outro artigo: E se o banco, onde eu estiver investindo em CDB, quebrar? O FGC na prática (saiu na Folha de S. Paulo de domingo)…

O articulado leitor Finanças Inteligentes, autor, inclusive, de um ótimo e independente blog sobre análises econômicas (aliás, um dos poucos que sigo nessa área), disse, em comentários ao artigo acima citado:

“Não só o Sofisa assim como outros bancos pequenos e médios começaram a aumentar as taxas para correr atrás de CDBs e se capitalizarem mais no mercado. Tudo isso porque a inadimplência tende a aumentar neste segundo semestre (já deu sinais de aumento, devido à política de aperto monetário) e o grande risco do banco está aí. Contas inadimplentes podem gerar insolvência no banco, então nada mais certo do que reforçar o caixa para garantir a liquidez.

Lembrando que o FGC não é 100% garantido também. Na teoria dizem que sim, mas na prática não. Se o sistema financeiro sofrer um baque e algum banco de porte maior não resistir (ou vários bancos médios não resistirem), o FGC quebra junto, fica impossível resgatar todas as poupanças e CDBs e a confiança no sistema financeiro vai por água abaixo. Na verdade a economia inteira vai pro buraco, mas este cenário é bem improvável de acontecer, porém existe o risco e a crise não avisa antes de chegar. Assim como existe o risco de tomar um calote no Tesouro Direto, ou risco de perder a poupança, etc. Nada é 100% garantido”.

Nada é 100% garantido. Parece improvável saques em cash ocorrerem numa situação de crise sistêmica, mas isso está longe de ser impossível. Basta ver que é exatamente isso – corrida aos bancos para saques em dinheiro – o que está ocorrendo na Grécia, conforme reportagem publicada pelo portal Exame semana passada.

Conclusão

Nessa era dos investimentos eletrônicos (online), a possibilidade de fazer investimentos em renda fixa de forma totalmente online constitui um atrativo e tanto – vide os casos do Tesouro Direto, em que toda a forma de negociação é feita via Internet. Nesse sentido, é ponto positivo da plataforma Sofisa Direto a possibilidade de todo o processo de abertura e movimentação dos investimentos ser feita via Internet. Outros pontos positivos são a inexistência de pagamento de tarifas, com DOCs/TEDs e de manutenção de conta, bem como a própria rentabilidade expressiva dos CDBs ofertados, e a garantia de até R$ 70 mil do FGC.

Porém, os pontos positivos devem ser sopesados com algumas observações, tais como a impossibilidade de movimentar a conta via saques em espécie, talão de cheques, cartão de débito ou cartão de crédito (o que já torna esse investimento não recomendável para a formação de um colchão de segurança, por exemplo. É o meu caso: só tenho CDB em banco de primeira linha. Não tenho interesse, por ora, em CDBs de bancos de pequeno/médio porte, embora nada impeça de alocar parcela de meu capital nesses investimentos, cujas taxas são bastante competitivas), e, no caso de CDBs com liquidez apenas no vencimento, a necessidade de deixar o dinheiro ilíquido para obter retornos mais expressivos, além, é claro, do risco inerente ao investimento em bancos de menor porte. Entretanto, esse é o preço que se paga para obter retornos diferenciados no mercado financeiro. Lembre-se mais uma vez da velha relação risco/retorno: quer mais retorno? Então assuma mais riscos.

Como eu disse em outro post, o Mauro Calil recomendou, certa vez, em matéria publicada na Exame, uma cesta de CDBs, em diferentes bancos, cada qual com valor limite não de R$ 70 mil, mas sim de R$ 60 mil. Isso porque, caso o valor inicial aplicado seja de R$ 70 mil, o FGC somente cobrirá esse capital, não abrangendo os rendimentos dessa aplicação financeira. É uma boa ideia.

É necessário, assim, avaliar seu grau de tolerância ao risco bem como o seu grau de conforto ao investir num produto/instituição de menor porte. Talvez você já tenha um bom relacionamento com seu banco, que lhe permita obter taxas interessantes em seus investimentos, vinculados a outros serviços de crédito/consumo que são importantes para você (tais como cartões de crédito, seguros, descontos/isenção em tarifas bancárias e previdência). Porém, só faça isso se você tiver a certeza de obter uma taxa de DI para um CDB realmente boa, sob pena de, na verdade, acabar “doando” parte da rentabilidade do investimento ao seu banco, e, assim, estar realizando um péssimo investimento. Li no blog do Beto Veiga o caso de um leitor que tinha obtido uma taxa de 90% do CDB DI do Banco Itaú aplicando, pasmem, R$ 200.000,00. DUZENTOS MIL! É muita grana para uma taxa de DI tão baixa. Assistindo uma palestra do Augusto Sabóia na ExpoMoney, foi relatado o caso de uma cliente que tinha uma taxa de 95% do DI num CDB de R$ 400.000,00 (não mencionou o nome do banco). Pô, só 95% do CDI para esse montante de investimento?

Por outro lado, talvez você entenda ser conveniente assumir um risco maior para obter uma rentabilidade diferenciada. Nesse último caso, o CDB do Banco Sofisa pode, sim, ser uma alternativa a ser considerada,  como, aliás, está fazendo o Viver de Renda, levando-se em conta, dentre outros fatores, o baixo custo, a confiança no FGC, as atraentes taxas oferecidas, quando comparadas com outros produtos concorrentes, bem como, se o pior acontecer (leia-se: intervenção ou liquidação extrajudicial), o processo de pagamento não seja demorado, nem complicado, como afirmado pelo leitor Bruno Toso, em comentários a outro artigo.

Finalmente, não se esqueça de diversificar seus investimentos, uma vez que, na equação risco/retorno, o retorno é incerto, sendo que o único fator que você pode controlar é o risco. :wink:

É isso aí!

Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

, ,

73 Responses to Vale a pena investir em CDB do Banco Sofisa Direto?

  1. Henrique Carvalho 4 de julho de 2011 at 1:45 #

    Ótimo artigo Guilherme!

    O tema escolhido não poderia ser melhor para o momento atual.

    Eu estou fora do Sofisa Direto! (ou qualquer outro cdb direto)

    Não acho que seja uma relação retorno x risco adequada.

    E depois que vi propagandas no google adsense e recebendo um tweet dizendo: “@hcinvestimentos Henrique , você precisa conhecer o CDB Direto” tive certeza de que não entraria nesta onda de cdbdireto.

    Lembrando que esta é apenas minha opinião.

    Como o Guilherme disse muito bem: “Por outro lado, talvez você entenda ser conveniente assumir um risco maior para obter uma rentabilidade diferenciada. Nesse último caso, o CDB do Banco Sofisa pode, sim, ser uma alternativa a ser considerada”.

    É um investimento que depende do gosto do freguês.

    Eu prefiro continuar com meus velhos títulos públicos! :)

    Grande Abraço!

  2. Jônatas 4 de julho de 2011 at 9:11 #

    Muito bom Guilherme,

    Você falou do Risco/retorno!? brincadeira, rsrs.

    Eu não consigo ver grandes vantagens em CDBs com o TD pagando taxas tão atrativas. CDB no máximo para o colchão de segurança e olhe lá. Eu mantenho 2 mil na própria poupança e o restante do colchão em TD. O risco/retorno é bem aceitável para mim.

    Abraço e boa semana!

  3. Investimentos e Finanças 4 de julho de 2011 at 9:13 #

    Ótimo artigo Guilherme, como sempre.
    Prefiro ser conservador com a renda fixa e agressivo com outros investimentos como ações…
    Se vc aplica 60k a diferença em relação ao TD é 176 reais a mais apos 1 ano e 550 reais a mais apos 2 anos…será que compensa o risco maior??

    Abs

  4. Eduardo 4 de julho de 2011 at 15:01 #

    Pra quem tem prática vale a pena dar uma procurada num fundo DI com baixa taxa de administração, inferiores a 1%.

  5. Marcos 4 de julho de 2011 at 16:07 #

    Pessoal, olha só uma dúvida: Suponhamos que pessoa tenha investido 10.000,00 em um CDB com vencimento de 2 anos. Daí depois de um tempo, o banco quebra, porém o dinheiro está rendendo, certo? No dia da quebra, o valor líquido é, por exemplo, de 12.000,00. Qual valor o FGC vai pagar: 10 mil ou 12 mil? Obrigado.

  6. Valmir Duarte Costa 4 de julho de 2011 at 17:30 #

    Olá Henrique !

    Com certeza fui eu quem postou no seu twitter para você conhecer a nossa alternativa de investmento via CDB, certamente porque notei que você é uma pessoa preocupada com seus investimentos .

    Em sua opinião qual seria uma relação risco retorno que o levaria a trocar a rentabilidade do Tesouro Direto por um CDB com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos ?

    Nós aqui do CDB Direto ( http://www.cdbdireot.com ) temos uma grande preocupação com a educação de investidores e para tanto realizamos várias palestras pela internet com esse intuito , você poderá acessar a nossa grade de palestras acessando o seguinte link : http://www.cdbdireto.com/palestra.html

    Até uma próxima oportunidade .

    Valmir Duarte Costa
    valmir@cdbdireto.com.br
    http://www.cdbdireto.com
    011 2759 1312

  7. Valmir Duarte Costa 4 de julho de 2011 at 17:38 #

    Para conhecimento de todos :

    Nós somente operamos com taxas prefixas , ou seja você sabe na hora o quanto vai resgatar .

    Hoje as nossas taxas foram as seguintes :

    Para 1 ano : 13,99% ao ano

    Para 2 anos : 14,01% ao ano

    Para 3 anos : 13,87% ao ano

    Para 4 anos : 13,75% ao ano .

    Uma pergunta interessante que poderia ser explorada pelo nosso articulista seria :

    O que vale mais a pena investir para os próximos anos ?

    Aplicação indexada a taxa do CDI ou uma aplicação indexada a taxa préfixada ?

    Valmir Duarte Costa
    http://www.cdbidreto.com
    valmir@cdbdireto.com.br
    011 2759 1312

    ?

  8. Flávio 4 de julho de 2011 at 18:25 #

    Que tema interessante!
    Poderíamos ampliar essa discussão acrescentando a questão da liquidez no embate entre risco versus retorno.
    A taxa oferecida nos CDB embute um prêmio pela falta de liquidez, ou seja, o custo de oportunidade da falta de recursos para aproveitar um investimento que esteja em melhores condições.

  9. Guilherme 4 de julho de 2011 at 21:35 #

    Henrique, ótimos comentários, que sempre agregam valor ao artigo (as always)! É como o leitor Flávio disse certa vez: “investimento bom não faz propaganda. É você quem tem que correr atrás!”. ;-)

    Jônatas, muito bem lembrado! O Tesouro Direto oferece uma coisa que nenhum CDB oferece: garantia de proteção superior a R$ 70 mil. E com a vantagem adicional de ter liquidez semanal, inclusive para os títulos de vencimento mais longo (sujeito a flutuações de mercado, evidentemente).

    IF, esse exercício de reflexão com números concretos é ótimo! Também penso que o prêmio de risco acaba sendo muito pequeno, e isso para valores bastante reforçados – R$ 60 mil. Isso sem contar que, com esse valor, é possível conseguir isenção de tarifas mensais em bancos como a CEF, BB e Bradesco – economizando algo em torno de R$ 450 anuais (que se traduzem em R$ 450 a mais no bolso) – e desconto de 50% na tarifa nos bancos HSBC, Itaú e Santander – o que dá uma economia de uns R$ 300 anuais (cálculos efetuados para contas do segmento Personnalité, Estilo, Prime e congêneres).

    Marcos, eu *acho* que seriam os R$ 12 mil, ou seja, valor da aplicação + juros. Mas não tenho certeza.

    Flávio, excelente comentário! CDBs mais líquidos oferecem rentabilidades menores, CDBs menos líquidos oferecem o prêmio de ausência de liquidez, como você bem captou.

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  10. Merindius 4 de julho de 2011 at 22:56 #

    “Sem dúvida um dos melhores CDBs do mercado, não dá pra ficar de fora. Eu só não gostei do acesso à conta, as vezes fica fora do ar (mas acho que é por causa do site que é novo), mas no resto não tenho do que reclamar e o melhor de tudo é que você faz tudo pela internet e não depende te ninguém para aplicar/resgatar/consultar.

    Risco sempre vai ter em qualquer tipo de investimento. O Collor já meteu a mão na poupança, o Brasil já deu uns 4 defaults no tesouro direto e por aí vai.

    E o pior é que as pessoas compram dívida do Brasil pra receber daqui a 10/20 anos achando ser menos risco do que um CDB de 1 ou 2 anos garantido pelo FGC.”

  11. Finanças Inteligentes 4 de julho de 2011 at 23:11 #

    Ótimo artigo!

    Conseguiu abordar todos os pontos cruciais, creio que este texto deve ter sanado a dúvida de muita gente.

    No final das contas temos que reconhecer que o dpto. de marketing do Sofisa é muito bom (além do atrativo das taxas). Conseguiu arrumar o seu espaço num segmento que não é a especialidade do banco, pois o Sofisa atua mais no segmento de middle market, é bem conhecido por empresas de médio porte, financiando capital de giro, etc.

    PS: Ah! Que honra em ser citado pelo Valores Reais. Obrigado!

    Abraços e bons investimentos (com ou sem CDB do Sofisa rsrs)

  12. Giancarlo 5 de julho de 2011 at 7:34 #

    Otimo artigo. Parabens.

  13. Anonymous 5 de julho de 2011 at 15:12 #

    Uma obviedade que merece ser repetida inúmeras vezes, pois o óbvio por vezes costuma ser algo difícil de se enxergar:

    Pessoal, não existe “almoço grátis”. Quer maiores retornos? Então assuma maiores riscos. Não há outra maneira de melhorar a rentabilidade. Quer ter dinheiro para investir? Gaste menos do que ganha. Não há outra maneira de começar a investir. Quer aumentar o dinheiro para investir? Trabalhe mais. Lute por uma promoção. Mude de profissão. Mude de cidade. Saia de sua zona de conforto. Não há mágica. Tudo tem que ser produto de esforço e trabalho duro. Há tempo de plantar, e há tempo de colher. Mas só colhe quem planta.

    Grande colocação! Por essas e outras que este blog é visitado diariamente por este leitor.

    Grande abraço.

  14. Guilherme 5 de julho de 2011 at 20:30 #

    Merindius, o default no Tesouro Nacional ocorreu nas décadas de 80 e 90. O Tesouro Direto é um programa de investimentos criado a partir de 2003, e, desde então, tem honrado 100% de seus compromissos. É claro que isso não é sinal de que um default nunca possa ocorrer, mas isso acaba se constituindo numa evidência bastante forte a favor da solidez do investimento, quando comparado com outros instrumentos de renda fixa disponíveis no Brasil ao pequeno investidor.

    F.I., obrigado! Honra é minha de poder citar grandes blogs como o seu!

    Giancarlo, valeu!

    Anonymous, muitíssimo obrigado pelos comentários e pela visita!

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  15. iDS 6 de julho de 2011 at 2:39 #

    Mandei email para o FGC questionando sobre a garantia ser apenas sobre a aplicação inicial ou se eles garantem também os juros prometidos. Não obtive nenhum retorno, descaso total, já faz mais de 2 semanas! Ninguém realmente sabe ao certo como fica?

  16. Marcos 6 de julho de 2011 at 7:50 #

    Pessoal, mandei email para o FGC e eles responderam quase que imediatamente. Verdade mesmo. Enfim, a resposta é: os juros são pagos. O FGC paga “tudo” desde que não exceda o teto de 70 mil, ok pessoal? Vou colar o email recebido:

    Bom dia Sr. Marcos,
    Como o valor é inferior à garantia do FGC que é de até R$ 70 mil, o senhor estará garantido em R$ 12 mil ou seja o valor atualizado.

    Atenciosamente.

    Fundo Garantidor de Créditos – FGC
    Gerência Financeira

    • MJC 6 de julho de 2011 at 8:47 #

      Uma pergunta, você sabe quanto tempo demora para reaver o dinheiro, após a quebra do banco?

  17. Marcos 6 de julho de 2011 at 9:02 #

    Isso depende pois o processo de intervenção do Banco Central não se resolve da noite para o dia. Já pesquisei em alguns lugares e em média de 60 a 90 dias.

  18. Marcos 6 de julho de 2011 at 9:48 #

    Uso a citação de J. R. Gretz para minha pergunta: ‎”Levar tombos não é nada. O problema é não ter forças para levantar-se depois.”

    Sei que muitos leitores deste blog são simpatizantes da diversificação. Também sabemos que o juros compostos são partes fundamentais do processo de crescimento do investimento.
    Então, não seria interessante uma diversificação alocando 10%, limitado até 70.000, do dinheiro em CDB’s?

    Abraços,
    Marcos

  19. Banco Sofisa Direto 6 de julho de 2011 at 15:21 #

    Olá,

    Ficamos muito felizes com sua análise bem fundamentada e isenta. O seu texto provoca reflexões interessantes sobre risco/retorno, mesmo na renda fixa.

    A revolução que o Banco Sofisa direto está propondo é levar vantagens reais ao cliente que só um Banco 100% on-line pode oferecer. Oferecemos produtos que têm resultado superior aos existentes no mercado atualmente, sem taxas ou tarifas. Em nosso site, comparamos as outras opções do mercado sempre com nosso CDB com liquidez diária, porém caso o investidor consiga planejar suas finanças e possa optar por CDBs com resgate somente no vencimento, a vantagem é ainda muito maior.

    Comparamos nosso CDB prefixado com a LTN 010114, ambos com vencimento em 02/01/2014, utilizando a calculadora do Tesouro Direto e encontramos uma vantagem de 14% a mais de rendimento no vencimento. Trata-se de uma diferença bastante razoável quando se considera que o risco até R$ 70.000,00 é praticamente zero (FGC), o que torna o CDB uma alternativa excelente frente ao que é oferecido para a pessoa física na renda fixa.

    Participamos deste e de outros blogs para fazer com que as pessoas encontrem alternativas melhores para os seus investimentos. Nessa linha, sugerimos ao blogueiro que escreva um artigo esclarecendo o impacto da taxa de administração dos fundos DI em sua rentabilidade final. Temos algumas tabelas atualizadas sobre o assunto para quem estiver interessado.

    Abraços e parabéns pelo blog novamente,

    Banco Sofisa Direto
    http://www.sofisadireto.com.br

    • MJC 7 de julho de 2011 at 11:27 #

      Guilherme, esse é mais um exemplo de interação de bancos com as redes sociais.

      Bom, achei bem legal a atitude do banco. Esse tipo de interação infelizmente não é a coisa mais normal de se ver.

  20. marcelo 6 de julho de 2011 at 16:30 #

    Depende do caso. No site do FGC tem uma tabela com prazos de pagamento em diversas “quebras”.

  21. Gi Rodrigues 6 de julho de 2011 at 18:10 #

    Excelente artigo. Bem abrangente.
    Não tenho nada contra o Sofisa e outros bancos médios, mas particularmente não aplicaria nele mais do que R$60.000,00.
    Se for pra correr risco, prefiro a bolsa.

  22. Bruno Toso 7 de julho de 2011 at 16:35 #

    Mais um excelente artigo, Guilherme, ressaltando justamente o “ponto crucial” da questão: a relação (direta) risco/retorno.
    Muito boas também as demais participações (blogueiros, leitores, Banco Sofisa, FGC), que permitem a formação de um quadro completo do assunto.
    Parabéns.

  23. JONAS 8 de julho de 2011 at 22:48 #

    Pessoal.
    Tudo que é fácil tem um preço caro. Se você pesquisar vai encontrar CDBs com taxas melhores que as apresentadas aqui. Você precisa pesquisar e não deixar se levar pela facilidade de aplicar em um produto “prático”. Perca um pouquinho de tempo e ganhe mais dinheiro. Não é preciso assumir maiores riscos. Pesquise Banco Schahim – BVA – PINE. Você vai encontrar txas melhores que as apreentadas aqui.
    Abs, e bons negócios.

  24. JONAS 8 de julho de 2011 at 23:07 #

    A propósito:

    O FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO do Banco Schahim/BVA/PINE/Banco Santos/MARKA/PANAMERICANO/BRADESCO/BAMERINDUS/ITAU/Fonte-Cidam/TODOS é o mesmo.
    Ou seja, R$ 70.000,00 de garantia para todos.

  25. Leandro 9 de julho de 2011 at 21:18 #

    Olá Guilherme,
    Muito legal o seu artigo, aprendi muito. No blog do Viver de Renda, quando ele discutiu sobre o Sofisa, comentei que EU estava fora, acho que o benefício sobre o TD é pequeno para quantias de até 70paus, como falou o Investimentos e Finanças, acima . Porém no Blog do VR cairam de pau em cima de mim.
    O MEU portfolio de RF fica no TD, mesmo com taxas inferiores ao Sofisa… principalmente para quem possui acima de 70 mil.
    Mais uma vez parabéns pelo artigo

  26. Matheus Pinheiro 9 de julho de 2011 at 21:23 #

    Não sei se serve de atenuante, mas por ter capital aberto fica mais fácil de acompanhar os balanços e a situação do Sofisa. Tudo bem que no caso Panamericano isso não serviu de nada (nem as auditorias externas), mas é aquela velha história, nada é 100% seguro, até o próprio governo (TD) tem um histórico recente de calote. Acho que toda rentabilidade extra é bem vinda, ainda mais garantida pelo FGC.

  27. Guilherme 14 de julho de 2011 at 9:15 #

    iDS, garante-se o valor do principal + juros até o limite de R$ 70 mil, conforme o Marcos bem esclareceu.

    Marcos, a respeito de sua pergunta, limitando o capital num determinado percentual, considero, sim, essa uma estratégia que pode ser válida, dependendo do perfil do investidor a investimentos alternativos, como esse.

    Banco Sofisa, agradecemos sua participação nesse espaço, e agradeço os comentários também! Como o MJC disse, trata-se de uma atitude louvável e que deve ser digna de elogios.

    Gi Rodrigues, Leandro e Bruno, obrigado! Leandro, pois é, os trolls no blog do VdR não poupam nem os leitores mais qualificados, como você…..rsrsrs….mas não desanime não. Cada um tem uma estratégia, o importante é implementá-la e segui-la na prática.

    Matheus, pontos bem observados!

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  28. Romulo 25 de julho de 2011 at 16:00 #

    Chegando um pouco tarde, mas vamos lá.
    Essa onda de CDB’s a 100% do CDI em bancos pequenos é benéfica, e vejo que atende ao perfil de muita gente, mas, o alerta feito pelo Guilherme é importantíssimo, saber dos riscos é fundamental.
    Mas, na minha opinião existe uma forma melhor de ter taxas acima de 100% do CDI em bancos pequenos, que é através de corretoras de valores, a maioria delas faz CDB’s em bancos tanto de primeira linha como de segunda linha, e na maioria das vezes conseguem taxas superiores às taxas que os bancos praticam com o investidor pessoa física diretamente.
    O problema é que a maioria das pessoas tem preguiça de ir atrás, e abrir uma conta em uma corretora para isso por exemplo, achando que é dificil e burocrático, mas é tão fácil quanto abrir conta em um banco.
    Eu por exemplo tenho um CDB no Banco Prosper, feito pela minha corretora (Um Investimentos), onde tenho taxa de 102% a 104% do CDI, com liquidez diaria e sem carencia, para essa taxa. E outra vantagem em ter um CDB por um corretora, é que ainda é possível usar o CDB como margem de garantia para operações com ações, claro que é um tipo de operação mais avançada e não para iniciantes.
    Mas o ponto, tendo o FGC, sabendo do risco maior, um CDB em banco pequeno é uma boa opção para muita gente sim, mas eu não vejo motivo em fazer diratemente com o banco, vale muito mais a pena fazer via corretora, ainda mais, quando o intuito é fazer apliacções de 60k em mais de um banco pequeno, dessa forma vc não vai precisar abrir conta em diversos bancos, basta 1 conta em 1 corretora, e ela divide o dinheiro em varios bancos, tanto de primeira linha, como de segunda linha.

  29. Guilherme 5 de agosto de 2011 at 10:59 #

    Romulo, ótica dica! Esse “atalho” pode ser uma maneira inteligente de conseguir investimentos com melhor rentabilidade. Outra corretora que também faz esse serviço de “shopping financeiro”, digamos assim, é a XP.

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  30. JULIANO 4 de setembro de 2011 at 12:47 #

    Eu não sei o que acontece nestes foruns ….

    Acho que é pq eu sou um pouco mais velho do que a média e já passei por várias crises econômicas, bem como pelo fato de que, apesar de eu ter formação jurídica (advogado), eu leio tudo de economia que caia na minha mão que eu sempre me faço várias perguntas além das que são apresentadas nestes foruns.

    Vamos a elas (já com minha opinião junto):

    Pq razão a instituição financeira que oferta este CDBdireto faz propaganda dizendo que um terceiro (fundo garantidor de crédito) garante o investimento que vc vai fazer nele ao invés de explicar para que quer tanto dinheiro na sua contabilidade? Vai usar onde o dinheiro que recolhe no mercado via o CDBdireto? É para financiar consumo? É para financiar imóvel sobrevalorizado em bolha imobiliária no vôo de galinha que a economia brasileira vive? Vai manter estes empréstimos em carteira até o vencimento (5, 10, 20, 30 anos)? Vai pagar o CDB no vencimento com qual dinheiro? Com o dinheiro de novas aplicações? Ou seja, qual o negócio que eles querem financiar com o dinheiro que recolhe no mercado via CDBdireto? O prazo de maturação deste negócio casa com o resgate do CDB ou vai virar pirâmide financeira? Quanto rende o negócio? Pq se rende muito e é muito arriscado eu quero uma rentabilidade maior … por exemplo: a instituição financeira vai tirar por mês 130% do CDI sobre o meu dinheiro… então eu quero um negócio 50% x 50%…. paguem-me 115% do CDI. Já que estão me jogando na fogueira pq eu vou ganhar só 2% a mais do que o CDI de um título público me pagaria (e sem risco de negócio)?

    Outra coisa… é só entrar no site do fundo garantidor de crédito e ler TUDO que consta lá que vcs vão ver que o fundo assume o compromisso de garante num total de 1 trilhão de reais no mercado financeiro brasileiro, mas possui um patrimônio de 26 bilhões de reais. Ou seja, se 2 ou 3 bancos médios quebrarem, o fundo não terá caixa para pagar. FGC só tem patrimônio para resgatar banquinho… tipo o último que quebrou ai de um tal apresentador de televisão. É um fundo para garantir poupança de R$5.000,00…. se vc tem mais que isto para aplicar, vc é RICO e é bom ficar muito, mas muito mais esperto com relação a ofertas como de CDB a 102% do CDI que não explica para que vai usar o dinheiro e coloca a responsabilidade de cobrir qualquer prejuízo nas costas de um terceiro…. lembra-me a história de umas empresas que ofertavam criação de boi, avestruz, etc “com autorização da CVM” para funcionar e que, por conta disto, tava “tudo em ordem”…. todas quebraram… e todas ofertavam (para atrair investidores gananciosos e inexperiente, entre os quais eu me incluía) 10X% do título “mais sem risco do mercado” que é o título público federal (no seu gênero) – garantia etérea e última de qualquer mercado… como comprovou a crise de 2008, pois o garante último do mercado é o ESTADO que emite a moeda deste Estado; portanto, nada melhor do que emprestar para Ele/Estado (obs: mas também não conte muito com isso… digamos assim: os títulos públicos federais são os menos arriscados investimentos em um mercado, pois dificilmente deixarão de ser pagos, salvo guerra, peste negra ou outras situações assemelhadas).
    Vou além… quando vc vai ver onde os 26 bilhões do fundo garantidor de crédito estão aplicados, vc encontra dois ou três grandes bancos nacionais com operações compromissadas. Ou seja, o dinheiro que “vai garantir este CDB” (rsrsrsrsrs……….rsrsrsrsr……..rsrsrsrs) está aplicado (ou, pelo menos, garantido) em títulos públicos federais. Assim sendo… tem que ser muito, mas muito ganancioso para achar que 2% a mais de CDI em um título privado que vc não sabe para que está sendo emitido é melhor do que um título público etéreo garantido pelo próprio emissor da moeda que paga SÓ 100% via TESOURO DIRETO (na verdade 97/98% depois de descontado a taxa da CBLC e desde que vc não pague taxa na sua corretora).

    Ademais… não brinquem com fogo… falência, intervenção judicial, execução de garantias e outros similares jurídicos são coisas que vc JAMAIS quer na SUA vida (salvo se vc for masoquista) Se isto acontecer, pd ficar certo que alguma coisa vc vai perder…. e vc será muito sortudo se perder SÓ o seu SOSSEGO por alguns meses ou anos. Vc tem sangue frio para isso?

    Boa tarde e boa sorte a todos vcs.

    Juliano

    • Banco Sofisa Direto 5 de setembro de 2011 at 8:56 #

      Caro Juliano,

      Permita-nos responder algumas questões levantadas em seu post:

      1. Usamos o dinheiro captado através dos CDBs do Sofisa Direto para oferecer crédito às pequenas e médias empresas. Atividade em que o Banco Sofisa já atua há mais de 50 anos. Nossa carteira não tem prazos tão longos e segue um rígido casamento entre os prazos dos empréstimos e o prazo dos depósitos (CDBs).

      2. O Banco Sofisa Direto não é uma iniciativa para aumentar a captação do Banco Sofisa. Nosso objetivo é começar a atuar no segmento de pessoas físicas exclusivamente através da Internet e oferecer vantagens reais aos clientes por usarem esse canal eletrônico de menor custo para o Banco. Logo teremos mais produtos no portfólio.

      3. Falamos sim do FGC em nosso site, mas falamos muito mais do próprio Banco Sofisa. Convidamos todos os clientes a conhecerem nossos demonstrativos financeiros que evidenciam o caixa elevado e o ótimo índice de Basiléia na casa de 19%. Números que sempre ficam em patamares elevados comparando-se com o mercado, mesmo em momentos de crise (que não foram poucos em 50 anos de história).

      4. Divulgamos o FGC com o objetivo de esclarecer que o CDB tem exatamente a mesma garantia oficial da poupança. Concordamos com seu argumento de que o cliente do Sofisa (ou de qualquer banco) não deva confiar exclusivamente no FGC. Mas há uma crença popular de que apenas a poupança é garantida, o quê acaba fazendo com que uma massa enorme de pessoas “tolere” uma rentabilidade baixíssima em troca dessa garantia.

      5. Sem dúvida ninguém quer usar o seguro, qualquer que seja, mas apenas para esclarecer, segue link para a tabela com os prazos do FGC para pagamento do seguro quando foi necessário: http://www.fgc.org.br/?conteudo=1&ci_menu=726.

      Achamos esse tipo de debate bastante saudável e estamos sempre à disposição para conversar. Estaremos na Expomoney de São Paulo esse ano (22 a 24 de setembro) e teremos muito prazer em esclarecer esses e outros temas pessoalmente.

      Abraços a todos,

      Banxo Sofisa Direto
      http://www.sofisadireto.com.br

  31. Guilherme 4 de setembro de 2011 at 19:03 #

    Juliano, interessantíssimas reflexões! Agregam um ponto-de-vista de um investidor que tem experiência, e “provocam” a gente a pensar sob um cenário de “estresse”. Obrigado por sua contribuição aqui no blog!

  32. Marcos 5 de setembro de 2011 at 9:06 #

    Banco Sofisa,

    Poderia detalhar mais a respeito disto:

    “2.O Banco Sofisa Direto não é uma iniciativa para aumentar a captação do Banco Sofisa. Nosso objetivo é começar a atuar no segmento de pessoas físicas exclusivamente através da Internet e oferecer vantagens reais aos clientes por usarem esse canal eletrônico de menor custo para o Banco. Logo teremos mais produtos no portfólio.”

    Grato,
    Marcos

  33. Guilherme 6 de setembro de 2011 at 19:58 #

    Esse debate está realmente muito interessante! Aprofundar as discussões nos permite obter melhores visões sobre como investir nosso capital!

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  34. Geraldo 16 de setembro de 2011 at 21:46 #

    Eu vi uma propaganda na revista Época, da Sofisa, como adoro finanças e investimentos eu pesquisei muito sobre este banco, eu fiz uma grande análise sobre o mesmo, eu cheguei a ler o contrato que foi disponibilizado pelo Sofisa no site do mesmo, e concluí que, a menos que você não invista mais de 70 mil, pode investir qualquer valor abaixo de 70 mil, que é seguro, não têm o porque as pessoas ficarem com certo receio a um banco que resolveu inovar criando um sistema bancário que atua totalmente online, isso é tecnologia bancária as pessoas necessitam se adaptar a esse tipo de tecnologia e a tendência é aumentar cada vez mais, em relação a segurança do valor aplicado, caso o Sofisa vá falir o FGC irá pagar o valor aplicado no CDB, lembrando que ele somente irá pagar até 70 mil

  35. Genilson Loiola 24 de setembro de 2011 at 22:33 #

    Pessoal, como aprendi nesse post!!!
    Realmente necessário para orientar pessoas leigas, como eu.
    Seguinte, concordo com o Geraldo com relação à sua ponderação no novo método de investimento do banco SOFISA, é um modelo de finança bem elaborado, inclusive me arrisco em dizer que é uma estratégia do banco, mas vamos comentar o meu caso……..
    Atualmente possuo um pequeno investimento em poupança, mas o rentabilidade é muito baixa.
    Preciso investir em outra modalidade, de modo a oferecer melhor rentabilidade.
    Li uma observação em que existe uma outra forma de melhor rendimento, seria o investimento pela corretora de valores, ou seja, com essa opção, conseguiria um CDI superior ao 100% oferecido, talvez um ganho de 102% a 104% do CDI, bom né????
    Queria uma orientação de melhor forma em investir, de certo as opções de rentabilidade, bem como os riscos estabelecidos.
    Uma outra dúvida, a taxa de imposto de renda do valor de resgate, é tabelado entre todos os bancos??
    abs meus caros!!!!!

  36. Guilherme 25 de setembro de 2011 at 14:20 #

    Geraldo, muito boas as suas observações!

    Genilson, obrigado!

    Sobre obter rentabilidades acima do CDI, há uma chance com títulos pós-fixados atrelados ao IPCA e com as LTNs. Porém, nada disso é garantido: elas podem tanto ter rendimentos superiores ao CDI, caso a SELIC sofra quedas no futuro, quanto abaixo do CDI, caso a SELIC inverta a tendência de baixa, e passe a subir.

    Assim, em termos de orientação, a melhor proteção ainda é a diversificação, ou seja, “fatiar” os investimentos em renda fixa prefixada, pós-fixada ao IPCA, e outra pós-fixada ao CDI/SELIC.

    Em relação à alíquota do IR, é a mesma para todos os investimentos, independentemente de instituição bancária, pois é definida pelo governo federal.

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  37. MarceloR 3 de novembro de 2011 at 20:48 #

    Conheci este blog hoje e estou impressionado como aprendi(sendo eu leigo) muito com todos os comentários e observações que aqui foram publicados. Também assim como o Juliano já passei, mesmo que na infancia pela fase das vergonhosas trocas de moedas, plano Collor e etc… e fico com muito receio de aplicar meu dinheiro.
    Como tenho pouco dinheiro estou realmente levando em conta a possibilidade de investir no banco sofisa, pois como foi dito antes os CDBs tem garantia até 70k e o rendimento mesmo que a diferença não seja exorbitante para pequenas quantias já rende mais que o tesouro. Vou acompanhar este blog e aprender mais. Parabens!!

  38. Guilherme 4 de novembro de 2011 at 9:38 #

    Obrigado, Marcelo!

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  39. Paulo Cordeiro 29 de novembro de 2011 at 8:57 #

    Interessante esse artigo, me pareceu bem atrativo a oportunidade de investimento no Sofisa Direto. Alta rentabilidade com relação aos demais e de certa forma garantido.
    Investiria no CDB Direto da mesma forma que investiria em ações, onde o valor investido não faria falta durante alguns anos.

    Por enquanto estou mais tranquilo na combinação Poupança + CDB do meu banco para curto e médio prazo e Tesouro Direto para médio a longo prazo.

  40. Diogo Costa 30 de novembro de 2011 at 19:10 #

    Matéria falando mais um pouco sobre o Sofisa Direto, inclusive fazendo comparações com outras opções no mercado de renda fixa.

    http://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/renda-fixa/noticias/conheca-a-inovacao-do-ano-em-renda-fixa

    Abraços.

  41. Guilherme 30 de novembro de 2011 at 21:59 #

    Paulo, excelente combinação de investimentos! Ter reservas apropriadas para cada fase e objetiva da vida é um dos meios mais seguros de se conquistar os objetivos pretendidos. Por coincidência, eu também sigo uma estratégia semelhante com tais veículos de investimentos….rsrs

    Diogo, ótimo link!

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  42. Samuel 8 de dezembro de 2011 at 10:24 #

    Estou impressionado pelo alto nível do debate sobre o Sofisa. Cheguei a conclusão que vou investir R$ 10 mil pelo prazo de 3 anos, só estou na dúvida se coloco tudo no prefixado, ou divido meio a meio no CDI e IPCA. O que os nobres colegas acham? O que poderia me render mais nesse período? Obrigado.

  43. Victor 9 de dezembro de 2011 at 11:35 #

    Parabéns Guilherme pelo artigo e parabéns tbm aos que debateram aqui, está mto interessante.

    um forte abraço !

  44. Guilherme 11 de dezembro de 2011 at 17:49 #

    Obrigado, Samuel! Eu diversificaria: meio a meio. É como diz nosso amigo Henrique Carvalho, é melhor estar meio certo do que totalmente errado. :-D

    Victor, obrigado!

  45. Samuel 12 de dezembro de 2011 at 7:23 #

    Obrigado Guilherme. Vou seguir sua dica.

  46. Guilherme 13 de dezembro de 2011 at 17:34 #

    De nada!

  47. cristiane 5 de janeiro de 2012 at 18:45 #

    Boa noite . Gostaria de saber se há a possibilidade fazer transferência através da poupança para fins de investimento em banco totalmente on line, não possuo conta corrente e nem tenho intenção de abrir uma e segundo esta tabela http://portal.brb.com.br/image… do meu banco aqui de Brasilia sou isenta de taxa para transferência.
    Agradeço desde já

  48. Guilherme 6 de janeiro de 2012 at 17:32 #

    Cristiane, você teria que fazer a abertura de uma conta-corrente. Para evitar custos, sugiro que abra uma conta de serviços essenciais, que é gratuita por lei. Escrevi sobre essa conta aqui: http://www.valoresreais.com/2009/08/30/ter-conta-em-banco-sem-pagar-tarifa-de-manutencao-conta-de-servicos-essenciais/

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  49. Banco Sofisa Direto 6 de janeiro de 2012 at 17:46 #

    Guilherme e Cristiane,

    Temos vários clientes que tem apenas contas poupanças em outros bancos. Essas contas enviam e recebem DOCs e TEDs normalmente para/de nós.

    A conta eletrônica também é uma alternativa, mas sugerimos conversar com o seu banco primeiro sobre como enviar/receber os recursos para o Sofisa Direto.

    Abraços e feliz 2012,

    Banco Sofisa Direto
    http://www.sofisadireto.com.br

  50. Guilherme 7 de janeiro de 2012 at 21:35 #

    Olá, Sofisa! Obrigado pelos esclarecimentos! Acho que isso irá ajudar os demais leitores que têm somente a conta-poupança.

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  51. Daniel Fonteles 31 de janeiro de 2012 at 8:36 #

    Primeira vez na sua página… gostei muito do que li e da forma não-superficial e não-supertécnica como você escreve. Sou psicólogo, ano passado comecei a investir em ações e também a construir meu blog. Ficaria honrado com sua visita e algum comentário.

    GOD Bless You Too!

  52. Lucas 4 de março de 2012 at 16:26 #

    sinto um certo recalque do autor e de outros consultores financeiros sobre o sofisa direto. Claro que existe a relação risco retorno, mas o Sofisa é MUITO melhor do que o tesouro direto. A preocupação dos consultores é que o sofisa é muito simples, e os seus conselhos são dispensáveis.
    E, já que o autor citou Keynes, permita-me fazer o mesmo: “no longo prazo, estaremos mortos”

  53. camilo lopes 9 de junho de 2013 at 12:04 #

    Realmente excelente post que provocou boas discussões. Sou um pequeno investidor, que começou a dar pequenos passos em 2010. E que por acaso arrisquei no Sofisa Direto. Realmente há um risco no Sofisa Direto, como em qualquer outro banco pequeno. Não há segredo se você que ter uma rentabilidade maior é preciso se expor e assumir risco calculado. Seja na compra de um algum produto de um banco pequeno, como até comprar um imovel ou terreno. Tudo há um risco, e é preciso saber se você tem estomago para suportar no momento naõ desejável. Eu acho a estratégia de alocação de ativos, a melhor forma de você poder ter risco calculado. Não quero fazer mkt do banco ou algo parecido, mas compartilhar minha experiencia, se você tem uma grana para investir para curto e médio prazo e esse valor você tem estomago para arriscar e ter uma rentabilidade melhor que de outros bancos não vejo melhor que o Sofisa Direto, pesquisei bastante e eles estão realmente na frente. Eu tenho alocado 20% dos meus investimentos neles, de acordo com cada prazo. E respeitando a cobertura FGC. E para definir alocação eu me pergunto: Se o Sofisa Direto quebrar e precisar acionar o seguro e este demorar, o que acontece com minha vida? Dependo muito desse dinheiro investido? é meu unico investimento ou tenho outras formas de me manter enquanto o processo está acontecendo? E isso é importante. Antes de investir. O problema que vejo é que muitos investidores, querem pegar um montante aplicar em um ou no maximo dois tipos de investimento e pronto. Realmente se vc pega 100 mil reais e joga em um banco pequeno o risco é alto, mas se vc pega 100 mil e diversifica dividindo para cada % investido o quanto de risco que correr, em uma situação não esperada, certamente vc vai lidar melhor com o problema.Mas, fazer isso é preciso fazer sempre um monitoramento e estudar cada investimento e consome tempo, dedicação. E poucos querem fazer. Então minha experiencia com o Sofisa Direto é que tem sido boa e o atendimento deles também é eficiente. Eu indicaria o mesmo para quem está querendo diversificar investimento, correr um risco calculado e obter boas rentabiliades. Mas, não recomendaria não só eles como qualquer outro banco para investir 100% do seu montante.

    Gostei da discussão e fica ai minha experiencia.
    Parabens pelo post.

    • Guilherme 9 de junho de 2013 at 15:48 #

      Oi Camilo, ótimo depoimento e obrigado pelas palavras!

      De fato, uma estratégia baseada em alocação de ativos é um dos pilares – ou o maior pilar – para ter um programa de investimentos bem-sucedido.

      Abç!

  54. Roberto Galluzzi Costa Fraga 23 de agosto de 2013 at 19:15 #

    Guilherme, recentemente o Banco Sofisa empreendeu severas modificações no tocante às LCI’s e CDB’s oferecidos ao consumidor.

    As LCI’s, por exemplo, estão sendo agora vendidas apenas na modalidade de liquidez total após um ano. As listagens com opções diferenciadas de prazo estão bem mais escassas.

    Junto com isso, tem surgido na internet notícias recentes acerca da ausência de lastro de garantia em imóveis no tocante a essa modalidade de aplicação, o que poderia caracterizar afronta aos regramentos legais que a regem.

    Sugiro a você um artigo urgente sobre esse tema, atualizando o leitor acerca das atuais condições do Banco Sofisa.

    Estou cauteloso, na próxima semana irei levantar todas as minhas aplicações lá existentes.

    Grande abraço.

    • camilo lopes 24 de agosto de 2013 at 10:13 #

      Roberto, realmente em menos de 6 meses eles tiraram o LCI de 3 meses e o de 6 meses. Entrei em contato para saber o motivo e eles falaram que atingiram o limite e por segurança e cautela retiraram da venda.
      Mas, seria bom um post aqui no blog para tentarmos entender o que está acontecendo. Eu retirei 50% do valor investido a medida que ia vencendo fiz aplicações em outro banco em CDB.
      abracos,

      • Guilherme 24 de agosto de 2013 at 18:23 #

        Olá Roberto e Camilo, obrigado pelas informações.

        Vi que recentemente o Sofisa anunciou uma queda de mais de 90% no lucro líquido. Junto com essa diminuição de opções de investimento, acende realmente um sinal de luz amarela.

        Vou ver se consigo postar algo a respeito nos próximos dias.

        Abç

        • camilo lopes 24 de agosto de 2013 at 19:21 #

          90%? é muitooo alto. Vou realmente começar a mover os investimentos que for vencendo para outro banco. A situação deles não parece boa.

          • Guilherme 24 de agosto de 2013 at 22:35 #

            Oi Camilo, de fato, esse conjunto de circunstâncias (queda acentuada no lucro, diminuição de opções de investimento etc.), faz acender um sinal de luz amarela.

            Li na Exame:

            “No total do primeiro semestre de 2013, o Banco Sofisa teve lucro líquido acumulado de R$ 900 mil, redução de 94,3% em relação aos R$ 15,7 milhões registrados no primeiro semestre do ano anterior.”

            Fonte: http://exame.abril.com.br/negocios/noticias/sofisa-lucro-no-1-o-semestre-cai-94-3-para-r-900-mil-2

            • Roberto Galluzzi 28 de agosto de 2013 at 18:23 #

              Já não tenho mais muito dinheiro investido lá. Então estou relativamente tranquilo para ainda arriscar no CDB de liquidez diária, que está pagando 101% do CDI.

              Quais seriam as opções hoje, em padrões de bancos médios? Conheço apenas o Banco Ficsa.

              • Guilherme 13 de setembro de 2013 at 10:54 #

                Oi Roberto, eu também não conheço outras opções de CDBs de bancos médios além do Sofisa e do Ficsa.

                Contudo, venho observando que algumas corretoras começaram a trabalhar com CDBs também.

  55. Hélcio 3 de setembro de 2013 at 9:59 #

    Realmente a rentabilidade está bem acima dos grandes bancos.
    Além disso o FGC agora teve o valor aumentado para 250.000 reais, acho que um risco de curto prazo (3 anos ) pode compensar. Mas acendeu uma luz amarela para mim após ler os comentários. Achei bastante interessante o assunto.

    • Guilherme 13 de setembro de 2013 at 10:55 #

      Por isso que sempre recomendo a diversificação como forma de diluir os riscos e evitar maiores prejuízos. :wink:

  56. Samuel Fialho Pereira 6 de junho de 2014 at 19:13 #

    Olá gente boa noite.

    Eu estou começando a mexer com CDB’s agora aí vai a minha dúvida. Por exempl: Foi citado de que aplicando poderia receber em taxa de juros 100% do que foi aplicado, então se eu aplicar R$500,00 eu iria receber R$1000,00 no final do contrato?

    • Guilherme 7 de junho de 2014 at 8:18 #

      Olá Samuel, bom dia, na verdade você irá receber 100% da taxa do CDI, ou seja, se a taxa do CDI for de 11% a.a., você irá ter uma remuneração de 11% a.a.

      Abç

Trackbacks/Pingbacks

  1. Dicas para enriquecer rapidamente - 12 de julho de 2011

    […] é porque provavelmente estão esperando algum problema no futuro próximo. No excelente blog Valores Reais, recentemente o tema foi abordado – e, lá, aventou-se a possibilidade de essas financeiras […]

  2. No que investir neste segundo semestre de 2011? | Efetividade - 18 de julho de 2011

    […] Reais. O texto ficou maravilhoso e a leitura não é nem recomendável, é obrigatória. Clique aqui e […]

Deixe uma resposta

Powered by WordPress. Designed by Woo Themes

22 Flares Twitter 8 Facebook 12 Google+ 2 Filament.io 22 Flares ×