Resenha: Meu vizinho Warren Buffett, de Matthew Schifrin

A Folha de S. Paulo publica, todos os sábados, no caderno “Mercado” (antigo “Dinheiro”), uma seção de livros, com comentários sobre os últimos lançamentos na área de economia, negócios e finanças pessoais, alguns interessantes, outros nem tanto. Pois num desses sábados vi o lançamento de um livro cujo título era bastante chamativo, “The Warren Buffett´s Next Door”, que ganhou posteriormente uma versão traduzida para o português, Meu Vizinho Warren Buffett. A intenção do autor é “descrever histórias de sucesso de 10 investidores, desconhecidos para o grande público, que venceram no mercado de ações a partir de seus próprios métodos com muito esforço e com a ajuda da Internet”. E aí, será que esses 10 investidores “pessoas iguais a você” seguem realmente os princípios de investimentos de Warren Buffett? Quais fortunas eles conseguiram acumular? Ações de quais empresas eles compraram? Quais estudos eles desenvolveram para “chegar lá”? O que eles fazem no trabalho? Vamos responder a essas perguntas na resenha abaixo! Acompanhe-nos! 😀

Informações técnicas

Título: Meu Vizinho Warren Buffett: Conheça os Maiores Investidores do Mundo e Aprenda com Eles

Autor: Matthew Schifrin

Número de páginas: 219

Editora: Campus

Preço médio: R$ 59,90

Pontos positivos

Um dos méritos da obra de Schifrin é realçar o valor de o pequeno investidor gastar tempo educando-se financeiramente, estudando as diversas alternativas de investimentos disponíveis, testando-as na prática, e escolhendo aquelas que mais se adaptam ao seu perfil, grau de tolerância ao risco, montante disponível para investimentos, e tempo disponível para se dedicar aos investimentos, a fim de adotar a melhor estratégia para investir.

Algumas das histórias narradas no livro mostram que, com energia e devoção à leitura e busca incansável de informações importantes para os investimentos, pode-se conseguir, com paciência e disciplina, ótimos desempenhos no mercado financeiro, não só no de ações, como também no de outros segmentos do mercado, como no de metais preciosos (ouro e prata).

Outro ponto importante que o autor consegue destacar é que a Internet pode ser uma ferramenta valiosa para auxiliar o pequeno investidor a conseguir informações que, de outra forma, jamais conseguiria. Como já afirmamos em outro artigo, a Internet eliminou a vantagem de quem ganhava com a desinformação, e isso também se aplica ao mundo dos investimentos. Na verdade, sem a Internet a maioria de nós não conseguiria desenvolver estratégias mais apuradas e refinadas de investimentos, pois não só, evidentemente, o acesso à informação disponível na Web não existiria, como também ficaria mais difícil ter acesso a livros estrangeiros e cursos e palestras sobre investimentos, ferramentas essas que também podem ser úteis para melhorar nosso grau de instrução financeira.

O livro também mostra que é possível obter boas rentabilidades sem ter necessariamente uma qualificação acadêmica ou profissional, como MBA, CFP ou PhD. Força de vontade, disciplina, aprendizado contínuo, paciência e energia para os investimentos são fatores muito mais cruciais para ter sucesso no mercado financeiro. É claro que, quanto mais qualificação acadêmica na área uma pessoa tiver, mais provável será que obtenha um desempenho superior, mas isso não ocorre necessariamente. Ou seja: pode facilitar, mas não é indispensável.

Pontos negativos

O problema começa com o título: ele não tem nada a ver com o conteúdo da obra. O título foi criado apenas como estratégia de marketing para acelerar e aumentar as vendas da obra, ou seja, tem um apelo nítida e exclusivamente comercial. Dos 10 investidores “Warren Buffetts” vizinhos descrito no livro, só um ou outro de fato seguiu mais ou menos os princípios e a filosofia de investimentos do Oráculo de Omaha. Senão vejamos.

Um dos investidores ganhou dinheiro no mercado comprando e vendendo opções, e não costa que Warren Buffett tenha praticado esse tipo de operação na sua longa carreira de investidor. Outro “vizinho Warren Buffett” atuava no mercado de ouro, e Warren absolutamente não investe nessa classe de ativo. Um outro, ainda, investe em ações usando exclusivamente análise técnica, e ainda diz, com orgulho, que na maioria das vezes nem lembra o nome das empresas em que investe, mas apenas nos padrões gráficos que suas cotações desenham na tela (!). Mas o pior de todos, “a cereja do bolo”, era um investidor que não tinha método algum de investimentos, apenas “seguia tendências” e agia com base “no instinto” (!!), e, atuando dessa forma, ele teria realizado, em pouco mais de 7 anos, um total de 6.239 operações no mercado de ações (!!!).

Agora eu pergunto: o que compra e venda de opções, ouro, grafismos e “seguir tendências” tem a ver com Warren Buffett!!!??

Mas tem mais…

O pior de tudo é constantar que a maioria dos investidores descritos no livro não operavam com dinheiro de verdade (!!!!). Putz, é verdade (com o perdão do trocadilho): eles gerenciavam portfólios virtuais num fórum online do site Marketocracy, e esses 10 investidores foram selecionados, de um total de 70 mil participantes, para compor o livro com base no desempenho passado dos últimos 10 anos que suas carteiras virtuais tiveram num fórum de Internet. Sacaram as palavras em destaque!?

Já dissemos antes que rentabilidade passada não é garantia de rentabilidade futura. Pior ainda é comparar o desempenho das carteiras de ações deles com os índices de mercado, como o Dow Jones e o S&P 500 dos últimos 10 anos: é como chutar cachorro morto. Ora, todos sabemos que, na última década, o Dow Jones teve retorno zero, e bastaria a qualquer cidadão adicionar um mínimo de renda fixa em seu portfólio (digamos, 10% em renda fixa, nem que seja em dinheiro), para que qualquer um batesse o mercado. Além disso tudo, 10 anos é um período muito curto para se avaliar qualquer desempenho no mercado acionário. Será que, nos próximos 10 anos, os bã-bã-bã descritos no livro, que conseguiram 30% a.a. de rentabilidade, conseguirão obter mais 30% a.a.? Duvido.

Fora tudo isso, prestem atenção no último detalhe que fiz questão de destacar: eles gerenciavam portfólios virtuais. Participavam de um game online. Apenas isso. Inclusive, um deles confessou que não investia dinheiro de verdade nas ações que ele comprava para montar sua carteira virtual, porque era “muito arriscado”, e sua esposa “não aconselhava”: por isso, ele preferia manter o dinheiro de verdade em fundos de investimentos administrados por profissionais de mercado. Santa paciência, Batman! Frown

É muito bonito o livro dizer, ao longo de todos os 10 capítulos: “se você tivesse aplicado 10 mil dólares na carteira virtual de Fulano de Tal, teria xxxxxxxxx dólares ao final de 7 anos, ao passo que, se tivesse aplicado num fundo de índice, teria xx dólares”. Esse é o tipo de informação que não tem utilidade alguma, pois ninguém, dentre os milhares de participantes daquela comunidade, tinha seguido as recomendações do Fulano de Tal… ninguém… inclusive o próprio Fulano de Tal (!!!).

O autor também espetou o desempenho pífio que a Berkshire Hathaway (a empresa de Warren Buffett) teve nos últimos anos, e comparou o desempenho dela com o retorno mega-hiper-super-jumbo espetacular que tiveram alguns dos fundos de ações virtuais dos vizinhos Warren Buffett. Alô, Mattew!? Uma coisa é administrar US$ 200 bilhões. Outra, completamente diferente, é administrar dinheiro que não existe. Capisce!?

De mais a mais, e quem não garante que todos esses 10 vizinhos WB não tenham tido mais sorte do que propriamente talento na escolha das ações? Se eles forem realmente talentosos como gestores ativos de ações, o Mattew tem que obrigatoriamente lançar uma edição em 2020 dessa mesma obra, revisada e atualizada, com os mesmos 10 vizinhos WB. Será que isso irá acontecer!? Tongue out

Conclusão

Estimados leitores, livros que não merecem serem objeto de resenha dificilmente serão objeto de resenha aqui no blog, salvo situações excepcionais. E essa é uma situação excepcional, pois o título não tem nada a ver com o conteúdo do livro, e pode enganar os mais incautos. Faço essa resenha sobretudo porque muitos leitores do blog não têm acesso a livrarias onde possam folhear os livros antes de decidir pela compra. Não obstante o livro tenha alguns pontos positivos, como os descritos acima, eu fiquei decepcionado com o seu conteúdo, por inúmeros motivos, também enumerados acima, sendo um dos mais fortes o fato de ele ser inteiramente baseado em desempenhos de carteiras virtuais, e também pelo fato de alguns de seus “gestores” não aplicarem suas próprias estratégias ao seu dinheiro real. Fica aqui o alerta, pois, se tem alguma coisa com que esse blog tem compromisso, no que tange especialmente às resenhas, é com a qualidade. E disso eu não posso me furtar, por mais apelativo que seja o título do livro.

É isso aí!

Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

Print Friendly

12 Responses to Resenha: Meu vizinho Warren Buffett, de Matthew Schifrin

  1. Gabriel Antunes 24 de setembro de 2011 at 23:22 #

    Muito Boa sua resenha, acredito que me livrou de uma…, eu estou com esse livro no meu top 5 de proximas compras, mas apos saber um pouco mais sobre o livro, já retirei… Valeuuu Guilherme, está de parabens por todos assustos que vc aborda.

  2. http://investindo-todo-mes.blogspot.com/ 25 de setembro de 2011 at 8:28 #

    Boa resenha Guilherme!

    abços

    ITM

  3. Jônatas R. Silva 25 de setembro de 2011 at 8:53 #

    Meu amigo, este livro é puro marketing mesmo. Muito bom seu alerta. Eu sou sempre cético com o virtual, afinal o que mais nos faz cometer erros fica de fora: a emoção. Operar sem dinheiro de verdade é mais tranquilo, quando o nosso dinheiro está sem jogo de verdade a emoção influencia e muita nas decisões.

    Abraço!

  4. Guilherme 25 de setembro de 2011 at 14:22 #

    Gabriel, obrigado! Fez uma ótima opção, ao retirar o livro de suas próximas leituras.

    ITM, valeu!

    Jônatas, concordo plenamente: a emoção influencia muito as decisões de investimentos.

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  5. Ulisses Nehmi 25 de setembro de 2011 at 15:36 #

    Impressionante!
    Costumo dizer que o marketing E publicidade tem avançado a passos largos e mudado completamente o alinhamento de interesses nas mais diversas áreas.
    Se por um lado permite a empresas (e políticos) que atinjam resultados fantásticos, por outro lado representam um grande perigo para a coletividade, desinformados e pessoas “menos convictas” em geral.
    Abs

  6. HEAVY METAL 25 de setembro de 2011 at 16:13 #

    VR,

    O triste é uma editora lançar uma PORCARIA destas… é como colocar uma paniquete nua na capa da revista e dentro ver as fotos de vovozinhas – e vestidas!!!!

  7. Flavio 25 de setembro de 2011 at 18:50 #

    Guilherme, obrigado por me fazer economizar R$ 59,90 !!!

    Procê ver: se eu tivesse investido R$ 2,00 na série de números premiandos na última Mega Sena acumulada, estaria hoje milionário, escrevendo esse comentário de um chalé nos Alpes suíços e vivendo (muito bem) só de renda passiva. Que mole que eu dei, né?!?!?!

  8. Dr. Money 25 de setembro de 2011 at 19:07 #

    Guilherme, acho que nós, os leitores do blog, deveríamos fazer uma vaquinha para lhe devolver os R$ 59,90 que gastaste.
    Abraço!

  9. Gui 25 de setembro de 2011 at 21:57 #

    Muitíssimo obrigado pela economia. O livro estava de verdade na minha lista! Grande abraço!

  10. Guilherme 27 de setembro de 2011 at 15:05 #

    Ulisses, concordo plenamente! Daí a importância do trabalho de divulgação da educação financeira, que você também está fazendo tão bem, a fim de alertar os leitores.

    HM……rsrssrsrs….rachei de rir aqui com seu comentário, o mais engraçado que já passou pelo blog! Abç!

    Flavio, pois é…..rsrsrs

    Dr. Money, rsrsrsrs….gostei da ideia….

    Gui, aproveite e gaste os R$ 59,90 em outros ativos (livros) que realmente valham a pena!

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  11. Rogerio S 27 de setembro de 2011 at 22:36 #

    Guilherme, sou mais um dentre tantos que agradecem pelos R$59,00 economizados.
    Aliás, já que estamos falando de R$ 59,00 e warren buffett, a melhor forma de eu lhe retribuir pela economia é sugerir uma leitura excelente dos escritos do próprio homem: Ensaios de Warren Buffett, organizados por Lawrence Cunningham. Este eu li e recomendo muitíssimo. Aliás, pretendo reler muitas outras vezes. Se é para entender das estratégias de Buffett, ninguém melhor do que ele mesmo para explicá-las. Foram os meus R$ 59,00 mais bem gastos nos últimos anos.
    Abraço

  12. Guilherme 2 de outubro de 2011 at 16:49 #

    Rogerio S, sugestão de pauta devidamente anotada no meu caderno! Obrigado pelas palavras, e sinta-se à vontade para sugerir mais livros. Quando se tem uma recomendação de compra vinda de um leitor, de forma isenta e imparcial, fica muito mais fácil para mim selecionar os livros para comporem minha pauta de resenhas. :-)

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

Deixe uma resposta

Powered by WordPress. Designed by Woo Themes