Resenha: Encantadores de Vidas, de Eduardo Moreira

Diz um antigo provérbio de Confúcio que:

“A nossa maior glória não reside no fato de nunca cairmos, mas sim em levantarmo-nos sempre depois de cada queda“.

E esse provérbio se aplica integralmente – e literalmente, diria eu – à vida de Eduardo Moreira, jovem empresário brasileiro, que teve duas quedas em sua vida – na verdade, dois (graves) acidentes – que poderiam jogar qualquer um para baixo, mas que, para ele, serviram apenas de pontapé inicial para o encontro com duas pessoas que mudaram sua forma de encarar a vida: Monty Roberts, considerado o maior domador de cavalos do mundo, e Nuno Cobra, preparador de atletas (e que dispensa apresentações).

Vamos ver o que está no conteúdo do livro Encantadores de Vidas? 😀

Informações técnicas

Título: Encantadores de Vidas

Autor: Eduardo Moreira

Número de páginas: 254

Editora: Record

Preço médio: R$ 25

Home page oficial do livro

Compre o livro na Livraria Cultura (clique aqui)

A primeira queda… e o encontro com Monty Roberts

Na primeira parte da obra, Eduardo conta o episódio que o levou até Monty Roberts. Era uma manhã de sábado, em que ele estava animado para andar com uma égua recém-adquirida. Quando monta em cima dela, vem a surpresa: ela começa a saltar, parecendo nervosa e irritada, fazendo com que Eduardo caísse no chão, com fortes dores musculares. Apesar de ter feito, nos meses que se sucederam à queda, várias sessões de fisioterapia, ainda pairava sobre a mente dele uma certa inquietação: será que não haveria um meio de domar o animal que realmente funcionasse?

Foi fazendo essas pesquisas que ele chegou até Monty Roberts. Esse norte-americano é um adestrador de cavalos reconhecido mundialmente, que utiliza uma técnica incrível para acalmar e conquistar a confiança dos cavalos (não só dos cavalos, mas também de outros animais). Essa técnica é incrível porque não emprega nenhum tipo de violência, como chicotadas ou palmadas, mas sim parte do princípio de que é necessário estabelecer uma comunicação com o animal, num processo conhecido como “join up”. Eduardo fica encantado com essa possibilidade, e resolve participar de um curso nos Estados Unidos, o qual só conseguiu após muita perseverança e insistência. Lá, aprende todas as técnicas, e fica impressionado com a facilidade com que Monty consegue adestrar e acalmar os cavalos.

A segunda queda… e o encontro com Nuno Cobra

De volta ao Brasil, Eduardo resolve colocar na prática tudo o que havia visto e aprendido no curso realizado nos Estados Unidos.

Porém…  apressado, e correndo para fugir da chuva, a fim de pegar um táxi, ele sofre um terrível acidente, em que quebra o pé em sete pontos, o que poderia prejudicar a sua locomoção para sempre. E é aqui que entra Nuno Cobra, o lendário Nuno Cobra, que lhe auxilia a dar a volta por cima, e de uma maneira surpreendentemente rápida.

Com efeito, em menos de dois meses, Eduardo já conseguia andar sem o auxílio de muletas, bem como já havia tirado a bota de gesso. Além disso, por meio das técnicas utilizadas na preparação física de outros “pupilos” – e já descritas nesse blog anteriormente, por ocasião da publicação da resenha do livro A semente da vitória, de Nuno Cobra -, Eduardo consegue curar uma antiga lesão que o incomodava na planta dos pés.

As qualidades em comum de Monty e Nuno

Ao trabalhar com esses dois expoentes em suas respectivas áreas de atuação, Eduardo começa a visualizar pontos em comum, que o fazem encarar de uma forma integralmente nova a vida. Isso porque tanto em Monty Roberts quanto em Nuno Cobra estão presentes a necessidade de trabalhar com a calma e ter a tenacidade necessária na busca de objetivos (seja ele o de domar o cavalo, seja ela o de melhorar a própria condição física), tudo realizado com o propósito maior de ter uma vida com mais saúde e qualidade.

Outra coisa em comum que Eduardo percebeu em ambos foi a necessidade de quebrar protocolos, paradigmas e sabedorias até então convencionais. Isso porque, para adestrar um cavalo, entendia-se que era preciso bater no animal até ele ficar quieto, e Monty Roberts demonstrou exatamente o contrário: que é preciso “escutar” o animal, mantê-lo calmo até conquistar a confiança dele. E quanto a Nuno, entendia-se que, para uma pessoa ter alta performance, seria necessário cumprir com uma série de regras, como dormir pouco para aproveitar mais o dia, e treinar até ficar exausto, e Nuno Cobra quebra essas regras, ao dizer que o que os atletas precisam na verdade é dormir bastante, e treinar apenas o suficiente para “inocular” no corpo as substâncias necessárias para ativar a construção de resistência e força, mas que um período subsequente de descanso é igualmente necessário.

Tratam-se, ademais, de duas pessoas – Monty e Nuno – que passaram dos 70 anos quando Eduardo os conheceu (na verdade, o Nuno realmente parece ter no máximo uns 45 a 50 anos), e nisso se contém a importante afirmação de que a sabedoria muitas vezes – ou na maioria das vezes – é uma reserva acumulada no coração e na mente de pessoas mais experientes.

Conclusão

Trata-se de um ótimo livro, de leitura leve e bastante agradável, que se consegue completar com facilidade numa tarde de sábado. É bastante interessante observar, ao longo do livro, a perseverança de Eduardo em buscar a recuperação após fortes quedas – literalmente falando. O autor do livro está de parabéns pela forma sincera e autêntica com que narrou suas experiências, conseguindo transmitir aos leitores importantes ensinamentos acerca do trabalho dos mestres Monty Roberts e Nuno Cobra.

Na parte final do livro, temos alguns bônus, com entrevistas do autor com esses dois encantadores de vidas. Fecho esse artigo com uma passagem da entrevista de Monty Roberts, que sintetiza bem aquilo que para mim é a principal mensagem da obra:

“Acredito que uma pessoa possa dar apenas dois presentes na vida. O primeiro deles é o seu tempo. Você deve dar o seu tempo. O outro presente que você pode dar – esse a si mesmo – é a saúde. Ter saúde é a única forma de doar seu tempo. Sem saúde ninguém é capaz de fazê-lo”.

– Monty Roberts

É isso aí!

Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

Print Friendly

14 Responses to Resenha: Encantadores de Vidas, de Eduardo Moreira

  1. Fernando 28 de maio de 2012 at 12:37 #

    Muito bom ver resenhas de livros novamente no Valores Reais. São meus posts favoritos!

    • Guilherme 30 de maio de 2012 at 10:37 #

      (1ª rodada de atualização de comentários!!!)

      Obrigado, Fernando!!!

      É interessante notar que temos grupos de leitores que gostam mais de determinados temas: uns consideram prediletos os artigos sobre investimentos; já outros gostam mais de artigos sobre frugalidade; e outros sobre resenhas etc. etc.!!!

      Bom saber que a prática da “diversificação” também tem sido uma constante no blog!

      É isso aí!
      Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  2. Investidor de Risco 28 de maio de 2012 at 20:06 #

    Gostei da resenha… parece um bom livro para colocar em prática a diversificação de conteúdo que pretendo empregar nas minhas leituras… não ficar somente em livros financeiros… ler mais sobre outros assuntos ou mesmo ler histórias sem nenhum assunto específico…

    • Guilherme 30 de maio de 2012 at 10:38 #

      Exato, IR!

      Diversificar o conteúdo das leituras também ajuda a desenvolver o cérebro para novos estímulos, aprimorando-o!

      É isso aí!
      Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  3. Jônatas R. Silva 29 de maio de 2012 at 8:45 #

    Adoro as resenhas Gui…
    Abração.

    • Guilherme 30 de maio de 2012 at 10:40 #

      Valeu, Jô!

      É isso aí!
      Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  4. E.T. 29 de maio de 2012 at 16:44 #

    Excelente resenha como sempre, parabéns…

    Alias, acabo de ler a biografia de Steve Jobs, e ele também possuía essas duas características, tinha “a tenacidade necessária na busca de objetivos” e sentia a “necessidade de quebrar protocolos, paradigmas”.

    Isso deve ser uma característica de quem deseja fazer realmente algo bom.

    O que você acha ?

    Abraço

    E.T.

    • Guilherme 30 de maio de 2012 at 10:41 #

      Obrigado, E.T.!!!

      Você está certíssimo: essas duas características também se encaixam bem na personalidade do Steve Jobs!

      Sair do comodismo e pensar em alternativas diferentes: este é o caminho!

      É isso aí!
      Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  5. Max 1 de junho de 2012 at 13:24 #

    Gostei tanto da dica que comprei o livro na estante virtual (www.estantevirtual.com.br). Fica a dica para os demais usuários.

  6. Assis Utsch 20 de outubro de 2012 at 11:09 #

    A palestra que Eduardo Moreira nos oferece a cada lançamento de seu livro, praticamente, esgota o texto. Mas sua fala é tão envolvente e entusiasmante que mesmo conhecendo antecipadamente o conteúdo do texto, o ouvinte da palestra não escapa de adquirir o livro e de lê-lo, tal como fiz.

  7. FRANCISCO GLEISON 12 de dezembro de 2012 at 11:09 #

    ADOREI A MENSAGEM DE MORTY ROBERTS

  8. Aline Poleto 1 de fevereiro de 2013 at 18:00 #

    Bom eu li o livro de Monty Roberts ” O homem que ouve cavalos” e fiquei impressionada, minha égua estava prenha, no dia do meu aniversário o potro nasceu mas morto. Eu pretendia tentar as técnicas, com meus outros cavalos tenho uma conjunção enorme… Mas infelizmente aconteceu o pior, mas sou completamente contra a doma tradicional. Continuo pesquisando e vou comprar com certeza o livro ” encantadores de vidas”… Muito obrigada por existir pessoas assim’.

  9. JULIO CEZAR 2 de outubro de 2014 at 14:39 #

    Ontem, no campus de São Bernardo da UFABC, tivemos uma palestra do Eduardo Moreira, no contexto da 1ª Semana de Economia, onde tivemos a grata satisfação de ouvir muitas dicas sobre empreendedorismo, finanças, qualidade de vida, etc. É um excelente palestrante, e além de tudo, muito humilde no trato com as pessoas, sem esquecer da facilidade em transpor termos difíceis do economês para o cotidiano das pessoas, utilizando várias fábulas e até piadas.

Deixe uma resposta

Powered by WordPress. Designed by Woo Themes