Resumão da semana: taxa SELIC, fundos imobiliários, bebidas industrializadas e mais!

Em ritmo de Carnaval, esse resumão traz os destaques da última semana e um alerta importante sobre o consumo de bebidas industrializadas!

Investimentos

Taxa SELIC vai a 10,75% a.a. Economia cada vez pior. Renda fixa cada vez mais rentável.

Confirmando as previsões de boa parte dos analistas do mercado financeiro, a taxa SELIC subiu 0,25 p.p., indo para 10,75% a.a., dentro de um cenário econômico ainda ruim para a economia nacional, conforme bem explanado pelo amigo Finanças Inteligentes:

“Com a decisão desta quarta-feira, a taxa básica de juros subiu para 10,75% ao ano, atingindo o mesmo patamar observado na posse da presidente Dilma. A diferença é que hoje a inflação está significativamente mais pressionada e as expectativas futuras dos agentes extremamente corroídas, cenário fruto da redução desembestada dos juros iniciada em 2011 que, por sua vez, provocou um desequilíbrio econômico sem precedentes”.

Para quem investe na renda fixa, as aplicações atreladas ao CDI/SELIC estão cada vez mais rentáveis. Nesse cenário de alta dos juros, ganha mais quem conseguir encontrar produtos financeiros que paguem a menor taxa de administração possível, e a menor alíquota de imposto de renda possível.

Aplicações como Letras de Crédito do Agronegócio (LCA), Letras de Crédito Imobiliário (LCIs), LFTS e fundos referenciados DI com baixa taxa de administração (menos de 1% a.a.) tendem a ganhar cada vez mais espaço no portfólio do pequeno investidor.

A poupança, por outro lado, deixa de ser atrativa, pois o “gap” (diferença) entre ela e os produtos acima citados vai ficando cada vez maior.

Os títulos do Tesouro Direto ainda estão com taxas atraentes. Aproveitando o sempre inabalável nervosismo do Sr. Mercado, eu consegui comprar NTN-Bs acima de 7% a.a. + IPCA, e prefixados acima de 13% a.a. Hoje, as taxas estão um pouco mais baixas – ao redor de 6% a.a. para as NTN-Bs e 12% a.a. para os prefixados – mas ainda assim estão boas, considerando principalmente quem pretende carregar o papel até o vencimento, e consegue suportar oscilações de curto prazo.

Fundos Imobiliários dando um salto. Eu aproveitei e comprei, e você?

Num mês em que o IBovespa novamente fechou no vermelho, aos 47.094 pontos, perda de 1,14% no mês, e prejuízo acumulado no ano de 2014 até aqui de -8,57%, quem acabou fechando fevereiro com um sorriso no rosto foram os aplicadores corajosos e audaciosos que compraram fundos imobiliários entre o final de janeiro e o começo de fevereiro.

O IFIX fechou fevereiro com ganhos de +3,74%, aos 1.330 pontos, sendo que alguns fundos imobiliários fecharam com expressivas altas nesse mês, tais como o Fundo Imobiliário Rio Negro (RNGO11), que deu um salto de quase 10%, o Kinea Renda Imobiliária (KNRI), que subiu 12%, e o Shopping Parque Dom Pedro (PQDP11), com quase 6% de ganhos.

O pânico sempre gera boas oportunidades, pois nas quedas das cotações a massa de investidores tende a exacerbar o pessimismo, jogando pro chão os preços dos ativos.

Eu aproveitei e “fiz a festa”, tirando dinheiro da renda fixa, como recomenda o leitor Murilo, no artigo As duas melhores dicas de finanças que já recebi, e “mandei ver” nas compras. Não tenho do que reclamar. 😀

Muitos de nossos leitores também aproveitaram essas ótimas oportunidades, as quais, aliás, falamos repetidamente nos artigos que publicamos no mês de janeiro desse ano.

Quem quiser aprender um pouco mais sobre os fundos imobiliários, um blog excelente sobre o assunto é o do Pensamentos Financeiros, que fez recentemente uma mega análise de dezenas de fundos imobiliários disponíveis para compra na Bolsa de Valores.

Bebidas industrializadas: evite-as!

No post Resumão da semana: Spinelli acaba com a taxa zero no Tesouro Direto, Bull Market nas taxas de juros, Pague Contas aumentando de novo, Açúcar e mais!, já tínhamos alertado os leitores sobre os malefícios do consumo de bebidas industrializadas, dada a enorme quantidade de açúcar contida nelas.

Agora, trago a vocês mais dois artigos a respeito dos perigos de consumi-las.

A amiga Rosana, no excelente blog Simplicidade e Harmonia, trouxe o estudo publicado na revista HypeScience, que mostra que os refrigerantes alteram a química do cérebro:

“O estudo mais recente foca nos seus efeitos sobre o cérebro, ao invés do resto do corpo. A pesquisa, de cientistas australianos, foi realizada com ratos que foram alimentados com água adoçada. Os animais se tornaram hiperativos depois de beber a água e tecidos retirados de uma parte de seus cérebros mostraram alterações nos níveis de quase 300 proteínas diferentes”.

Além disso, trago também a vocês um excelente vídeo produzido pelo Idec, intitulado “Agite(-se) antes de beber”, que mostra quão estarrecedores são os sucos e néctares industrializados que são oferecidos às crianças:

Bom Carnaval e que venha março com muitas promoções na Bolsa..rs!

Créditos da imagem: Free Digital Photos

, ,

28 Responses to Resumão da semana: taxa SELIC, fundos imobiliários, bebidas industrializadas e mais!

  1. Rosana 3 de março de 2014 at 9:14 #

    Guilherme,
    A economia brasileira parece a cada dia sair mais do rumo…
    Que bom ter “feito a festa” nos FII’s! No momento eu prefiro ficar no TD, pois as taxas também estão muito boas. Pena que as LCI/LCA’s ainda tem valores tão altos…

    Fiquei muito feliz por ter citado meu blog novamente!
    Mais tarde verei o video que postou. Eu seu que esses sucos industrializados são péssimos à saúde, mas pelo que escreveu, acho que devem ser muito piores do que eu imagino…

    Abraços!

    • Guilherme 3 de março de 2014 at 16:43 #

      Olá Rosana, as taxas do TD estão bastante atraentes, penso que vale a pena firmar posição nesses títulos.

      Seu blog é excelente, e tudo que é bom e adiciona valor às nossas vidas merece e vale a pena ser citado! 😀

      Sim, o vídeo é esclarecedor, particularmente na parte em que mostra a quantidade “real” de frutas que existem em cada garrafa de suco. Assustou as crianças, e assustou os adultos também…

      Abç!

      • Rosana 4 de março de 2014 at 15:38 #

        O video é realmente assustador. Eu sei que esses sucos são irritantemente doces, mas não imaginava que era assim.
        Infelizmente as empresas visam lucro acima de qualquer coisa. E quanto mais, melhor. E são tão “generosas”, que querem dar lucro também aos grandes fabricantes de medicamentos, pois tanto açúcar e produtos químicos nos sucos criarão futuros diabéticos, hipertensos e pessoas com outros problemas, principalmente para esses medicamentos de uso contínuo.
        Uma vez eu fiz um exame e deu alteração para hipotireoidismo. Repeti e deu resultado semelhante. Então, a médica, na maior tranquilidade e naturalidade me receitou um hormônio sintético e disse que era de uso contínuo. Fiquei horrorizada com aquela calma, aquele jeito mecânico de encontrar uma solução tão rápida, que no fundo só é boa para os laboratórios.
        Nunca tomei tal medicamento, fiz um tratamento natural e assim a tireoide voltou a funcionar normalmente, o que não teria acontecido se eu a tivesse deixado “preguiçosa” ao simplesmente repor o que ela deveria fabricar. Além disso, quais são os efeitos colaterais ainda desconhecidos por tal medicação, que deveria ser tomada todos os dias, até o fim dos dias?
        Fico triste ao ver que a maioria das pessoas não faz esse tipo de questionamento, inclusive conheço várias que tomam esse mesmo hormônio há muito tempo e simplesmente acham isso tudo muito natural…
        Abraços,

        • Guilherme 4 de março de 2014 at 20:00 #

          Oi Rosana,

          Achei bem interessante essa “união” entre as indústrias de bebidas industrializadas e a de medicamentos, nunca tinha pensado sob esse ângulo.

          Também fiquei perplexo com o comportamento da médica, da forma um tanto quanto mecânica com que receitou o medicamento. Graças a Deus você não aceitou a receita e foi atrás de uma alternativa melhor, que, além de ter preservado sua saúde de uma maneira muito mais natural e eficiente, ainda lhe poupou dinheiro com certeza.

          No mundo de hoje muitas pessoas se esquecem do lado “humano” do atendimento, ainda mais numa área extremamente sensível como a da saúde.

          Não basta apenas ter capacitação técnica, é preciso também saber lidar com as emoções dos pacientes e tentar ser o mais humano possível na busca de soluções justas e eficazes.

          Abç!

          • Rosana 5 de março de 2014 at 16:56 #

            A “união” é entre todas as indústrias, pães, bolachas, bolos, chocolates, todas essas coisas gostosas, e até aqueles produtos que são aparentemente saudáveis, mas que contém açúcar, glutamato monossódico, corante caramelo (tão inofensivo…) e outros ingredientes.
            Médicos estudam para receitar medicamentos alopáticos, essa é a regra. Estão acostumados dessa forma e os pacientes também. Quem não concorda, precisa procurar alternativas, o que nem sempre é fácil, pois existem muitos charlatões por aí.

            • Guilherme 5 de março de 2014 at 19:06 #

              Oi Rosana, obrigado pelas informações novas.

              Realmente, os produtos hoje em dia, principalmente os industriais, contêm muitos ingredientes nocivos.

              Um blog que descobri recentemente e que nos ajuda a fazer escolhas mais saudáveis é o Fechando Zíper: http://fechandoziper.com/ onde as autoras – nutricionistas – fazem análise dos diversos tipos de alimentos industrializados.

              Um grande problema dos alimentos industrializados atuais é a quantidade excessiva de aditivos, que não têm valor nutricional algum, e que só servem, dentre outras coisas, para tornar o produto mais “vistoso”.

              Abç

              • Jônatas R. Silva 9 de março de 2014 at 20:49 #

                Gui, Rosana…
                Vi o vídeo agora, realmente triste. Que o suco industrializado é ruim eu sabia, mas não pensava que se tratava na verdade de veneno.

                Particularmente só tomo suco natural (sim, espremo laranjas todas as manhã) ou água de coco. Refrigerantes eu cortei já faz quase três anos.
                Atividade física e alimentação saudável são duas coisas que fazem parte da minha vida.

                Abraço!

                • Guilherme 9 de março de 2014 at 20:56 #

                  Queria ter sua disciplina, Jônatas, de fazer suco natural todas as manhãs! Quem sabe agora com seu exemplo eu não possa fazer o mesmo!

                  Sua vida é bastante regrada, parabéns, e com isso é possível que continuemos conversando por muitas e muitas décadas (desde que eu consiga manter a disciplina na minha vida também…rs).

                  Abç!

  2. Marcelo Goldfisch 3 de março de 2014 at 16:14 #

    Guilherme,
    De um lado, a alta dos juros traz excelentes oportunidades para o investidor.
    De outro, o pânico e o efeito manada também permitem a compra de ativos de renda variável a preços convidativos, desde que sejam bem escolhidos.

    Penso que a recente alta dos FII não significa uma “virada”, mas breve reação do mercado, tal como ocorreu em dezembro/2013. O excesso de oferta no segmento comercial e logístico, bem como o desaquecimento da economia, ainda vão cobrar seu preço.

    Recomendo leitura da reportagem de capa da última Exame.
    Abraço!

    • Guilherme 3 de março de 2014 at 16:46 #

      Oi Marcelo, ótimos comentários.

      Certamente as incertezas da economia, particularmente do setor imobiliário, ainda rondarão durante algum tempo o mercado de fundos imobiliários.

      Daí a importância de sempre fazer uma diversificação inteligente, compondo a carteira também com ações e renda fixa. A renda fixa por questões sobretudo de segurança, e a renda variável porque, a médio e longo prazos, o preço das ações tende a acompanhar o crescimento das empresas, que é muito maior que a valorização dos imóveis, que na prática acabam apenas sendo corrigidos pela inflação.

      Abç!

  3. Kleber Rebouças 6 de março de 2014 at 0:12 #

    Venho aproveitando para encarteira FII desde que a SELIC começou a ser elevada. Basta ter uma boa estratégia de Alocação de Ativos que fica fácil decidir em que investir.

    http://www.ricodinheiro.com.br

    • Guilherme 6 de março de 2014 at 11:12 #

      Exato, Kleber!

      O mercado precifica os fundos imobiliários em função da taxa SELIC. E o pânico irracional acaba abrindo brechas para ótimas oportunidades de compras, com casos incríveis de fundos imobiliários de excelente qualidade entregando de 0,9% a 1% de yield mensal. Quem aproveitou não tem do que reclamar. :-)

      Abç

  4. André 6 de março de 2014 at 10:42 #

    Onde você encontra este rendimento percentual do IFIX para fevereiro? Encontro isto de forma mensal?

  5. Rodolfo 29 de março de 2014 at 5:02 #

    Olá Guilherme tudo bem? O que estou perguntando não tem muito a ver com o post, mas você saberia aonde posso encontrar a taxa dos títulos públicos negociadas em dias anteriores?? Queria ver a estatística e saber a projeção em curto tempo. Obrigado.

  6. Rodolfo 31 de março de 2014 at 1:37 #

    Valeu mesmo Guilherme, porém só tem disponível até o ano de 2012. Abraço.

    • Guilherme 31 de março de 2014 at 6:46 #

      Ôpa, grande Rodolfo, eu achava que tinha os dados de 2013 e 2014 também. Vou continuar pesquisando uma fonte de dados mais recente, e te comunico se eu encontrar algo.

      Abç

  7. Léo 3 de maio de 2014 at 1:52 #

    Olá Guilherme, em primeiro lugar parabéns pelo site! Estou começando a buscar informações e esse caiu como uma luva!
    Nesse mês terei uma pequena reserva de 4000 e não queria colocar em poupança. Alguma dica? Ando pensando no dólar também, já que a curto prazo não tenho intenção de usar essa quantia.

    Grato

    Léo

    • Guilherme 3 de maio de 2014 at 13:07 #

      Valeu, Léo!

      Sobre a sua reserva, que já é um excelente começo, diga-se de passagem, sugiro colocar num investimento atrelado ao CDI/SELIC, tendo em vista as altas taxas de juros praticadas no presente momento.

      Algumas opções: LFTs do Tesouro Direto, CDBs pós-fixados que paguem pelo menos 90% do DI, e fundos referenciados DI com taxa de administração não superior a 1% a.a.

      Abç

      • Léo 5 de maio de 2014 at 3:12 #

        Guilherme, muito obrigado pela sua resposta. Estive olhando esse site
        https://www.cdbdireto.com.br/Simulador.aspx?gclid=CKSB-_GNlL4CFUpp7AodPXsAtA

        mas não conheço o banco.
        Vou procurar me informar melhor sobre as LFTs.

        Abs
        Léo

        • Guilherme 6 de maio de 2014 at 19:02 #

          Olá Léo,

          Na renda fixa, vige aquela máxima, quanto maior a rentabilidade prometida, maior tende a ser o risco embutido.

          Como a sua reserva me parece ser primariamente direcionada para a formação de uma reserva de emergências, penso que uma opção adequada são investimentos mais conservadores, como as próprias LFTs.

          Abç

  8. Léo 5 de maio de 2014 at 3:38 #

    LFTS pelo link do Tesouro Direto, tem um zilhão de corretoras, só nas duas primeiras clicadas já tem diferença de taxa de custódia de 0,20 pra 0,40%…. o negócio é pesquisar bem.

    • Guilherme 6 de maio de 2014 at 19:02 #

      Sem dúvida, Léo, tem que pesquisar bem e escolher a mais barata em que você confie.

Deixe uma resposta

Powered by WordPress. Designed by Woo Themes