Decomponha um objetivo de longo prazo em metas de curto e médio prazos

Quando vou escrever um artigo novo para o blog, eu procuro escrever títulos que sintetizem a ideia principal da mensagem que quero passar, porque isso não só facilita a comunicação com o meu público leitor, como também me ajuda a desenvolver o “roteiro de ideias” que é necessário para produzir um texto de qualidade.

Um dos grandes privilégios dos seres humanos, e que na verdade os distinguem dos demais seres vivos do reino animal, é a capacidade de pensar e agir a longo prazo. Ou seja, de estabelecer metas para serem cumpridas não somente hoje e agora, mas sim daqui a uma semana, um mês, um ano, uma década, várias décadas.

Todos nós temos objetivos de médio e longo prazos, tais como conquistar a independência financeira, educar os filhos, comprar um imóvel residencial, desenvolver negócios, passar num concurso público, concluir uma pós-graduação, realizar uma viagem de férias, perder 20 kg, ganhar 20 kg, correr uma maratona, curar uma doença, conquistar uma promoção no emprego, ser fluente num idioma estrangeiro…

São alvos localizados temporalmente num ponto qualquer do futuro, mas que, para serem conquistados, necessitam de ações contínuas já no presente.

O problema é que muitas vezes se passam dias, semanas, anos, e até décadas, e esses objetivos não vêm, não se concretizam, não se materializam. Perdem-se no espaço e no tempo. E ficamos frustrados pela sua não-realização.

E a pergunta que vem é: como fazer para acabar com essa frustração? Como agir para que sonhos se convertam em realidade?

Calendário

Simples: “trazendo” o futuro para o presente. “Traga” o seu sonho de 2035 para hoje. Resumindo em outras palavras: fracione um objetivo de longo prazo em metas de curto prazo.

Você só vai conseguir conquistar um milhão de reais a partir do momento em que tomar a decisão de gastar menos do que ganha. E isso envolve a prática diária de atos de economia. Para atingir essa meta plurianual, estabeleça metas anuais de economia e investimentos, que precisam, para serem devidamente cumpridas, do estabelecimento de, no mínimo, metas mensais de poupança. Por exemplo: comece economizando 10% de sua renda ativa. Todo mês. De modo consistente.

Está 20 kg acima do peso ideal? Sente-se frustrado por se pesar na balança e verificar que não consegue emagrecer? Estabeleça uma meta anual: perder 12 kg em 365 dias. E, a partir dessa meta anual, fracione o objetivo de modo a ter resultados mais tangíveis numa escala menor de tempo: perder 1 kg a cada 1 mês. E mensure seu progresso. Não anualmente, pois é fácil perder a motivação quando você vê só a meta final (20 kg), mas sim mensalmente, pois é fácil ganhar a mesma motivação quando você vê que conseguiu cumprir a meta de curto prazo (1 kg).

Não consegue cumprir a meta anual de ir à academia sair do sedentarismo? Começa um mês a academia, mas depois tranca a matrícula, por falta de motivação?

Resposta: folhinha de calendário. Isso mesmo. Vá no Google e digite “calendário 2016 para imprimir”. Ou clique aqui. Obrigado. De nada. 😛

Agora, o resto é com você. Imprima esse bendito calendário e, a cada vez que você for na academia, faça um círculo ou um “X” no referido dia. Mas me faça um favor: coloque esse calendário na porta da geladeira, ou no espelho do seu banheiro, ou na porta do seu armário, a fim de você ver, com seus próprios olhos (desculpe a redundância), se você está realmente cumprindo suas metas de longo prazo de “frequentar mais a academia”, ou se está se auto-sabotando. A escolha é sua.

Quer aprender inglês online, ou fazer um curso EAD, mas é difícil manter a motivação diariamente? Coloque na sua agenda o seguinte compromisso: “estudar inglês”, e repita esse compromisso de modo a ficar visível todos os dias, como se fosse um evento diário. E mantenha o compromisso de estudar pelo menos 15 minutos diariamente.

Alguns cursos online têm uma barra de progresso que permite avaliar o cumprimento parcial das metas de estudo, e isso é uma ótima ferramenta de mensuração de sua auto-disciplina.

Todos esses exemplos servem para demonstrar a importância de você formar os hábitos geradores de seus objetivos de longo prazo, pois esses objetivos nada mais são do que o resultado, o produto, de uma série de pequenos atos realizados diariamente. Eu já escrevi sobre isso em outro artigo, e volto a repetir: são as pequenas coisas, feitas de modo constante, que criam maior impacto.

Avalie sua vida hoje. Pense no patrimônio financeiro que você acumulou até hoje. Pense na sua atual saúde física. Pense no seu atual estágio profissional. Pensou?

Pois bem. De duas, uma: ou ele foi resultado de sua ação, ou ele foi produto de sua inércia.

Você queria estar com um patrimônio maior, mas só acumulou dívidas? Essas dívidas não foram resultado de uma “geração espontânea”. Foram produto de sua inércia. Você provocou esse resultado, quer querendo, quer não.

Você inveja a saúde e o corpo físico de alguém que você conhece ou viu se transformar? Ele (ou ela) fez por merecer. Você, não.

A boa notícia: ainda dá para mudar. Você pode conseguir qualquer coisa que desejar, e isso independentemente da idade. Na verdade, há poucos aspectos de sua vida que não podem ser mudados.

Mas, para que você chegue lá, terá que fracionar os objetivos de longo prazo, o resultado final, numa série de pequenos objetivos de curto prazo. Estabeleça não apenas metas de longo prazo, mas sim metas de curto e médio prazos – associados a recompensas, claro!

Aqui, encaixa-se perfeitamente aquilo que eu escrevi há 2 anos, em janeiro de 2014:

Se você não der um passo a cada dia visando conquistar um resultado positivo para sua vida, você estará, de forma inevitável, dando um passo a cada dia em direção à produção de um resultado negativo.

Aqui, não há meio termo: ou você muda sua vida para melhor, ou você, com sua inação, muda sua vida para pior.

Conclusão

liberdade

O que você quer de sua vida, afinal de contas?

Não venha com a desculpa de que aquilo que você almeja para sua vida é muito difícil, é quase impossível, é muito trabalhoso etc. etc. etc. Metas grandiosas e aparentemente intangíveis necessitam ser decompostas em objetivos menores, a fim de que você possa ver e sentir resultados tangíveis e, com isso, manter o foco e a motivação.

O progresso precisa ser avaliado regularmente, em intervalos de tempo preferencialmente semanais ou mensais, a depender do tipo de objetivo de longo prazo que você quer alcançar. Para metas de longo prazo envolvendo finanças pessoais, eu gosto das avaliações mensais, embora eu registre meus gastos, por exemplo, diariamente. Já para os objetivos de longo prazo que envolvam saúde, eu gosto de monitorar meu desempenho a cada semana, pois o tipo de controle precisa ser mais específico.

Em qualquer caso, a necessidade de fracionamento das metas, temporalmente distantes no tempo, em intervalos de tempo menores, decorre da necessidade humana de enxergar que o progresso e a evolução estão sendo realizados e, assim, manter a motivação em alta. E tudo isso depende somente de você. 😉

Créditos das imagens: Free Digital Photos

, , , ,

21 Responses to Decomponha um objetivo de longo prazo em metas de curto e médio prazos

  1. Rosana 18 de janeiro de 2016 at 6:29 #

    Guilherme,

    Excelente e motivador post para o início da semana! :)

    Gostei da dica do calendário. Dessa forma, o progresso fica mais visível e de mais fácil visualização no final do ano ou no final do projeto previsto.

    Boa semana!

    • Guilherme 18 de janeiro de 2016 at 15:47 #

      Obrigado, Rosana! 😀

      Sem dúvida, a dica do calendário é bastante legal!

      Abraços, e boa semana também!

  2. Adriano 18 de janeiro de 2016 at 10:55 #

    A idéia do Calendário também é preconizada , acreditem ou não, por Jerry Seinfeld, o comediante.

    Jogue no Google : “Jerry Seinfeld Calendar Technique” e verá !

    Por outro lado, já procurei um APP bacana pra fazer isso no celular porém não achei um bacana…

    É que são vários objetivos a serem perseguidos :

    – Frequentar a Academia todos os dias (uma folhinha do calndário)
    – Beber 2 litros de água (outra folhinha)
    – Registrar *TODOS* os ga$tos diários
    – Ler Valor Econômico – no mínimo caderno Eu & Investimentos
    – Meditar diariamente 5 minutos (ou mais !)

    E assim por diante….

    Enfim, atualmente nossa vida é bastante complexa e temos que cuidar de vários aspectos simultaneamente. Negligenciar a um deles pode fatalmente afetar o outro. Exemplo : negligencie sua saúde e seu bolso será afetado. E vice-versa pois estresse financeiro pode minar a sua saúde.

    Voltando ao Calendário “múltiplo”, e aos apps, os que já pesquisei são :

    – Goal Tracker
    – 7 Weeks – Habit & Goal Tracker

    Quem sabe alguém tem uma sugestão melhor ?

    Requisitos que imagino para o app :

    – Múltiplos acompanhamentos, é claro.
    – Possibilidade de sincronizar com o site, já que muitos de nós trabalham em frente ao computador – assim posso “ticar” já pelo computador a conclusão de algumas tarefas – exemplo – registrar gastos diários.
    – Reminders ou lembretes automáticos – tipo “Você não registrou seus gastos hoje!”.

    Abraço a todos os leitores !

    • Jhonatas 18 de janeiro de 2016 at 12:08 #

      Adriano,

      Eu também tinha esse problema de tentar criar 1001 hábitos bons ao mesmo tempo, e no final, nunca nenhum se criava ou pouco dos quais realmente viravam um hábito.

      Lendo o livro “A ÚNICA COISA” (recomendo fortemente), aprendi que um hábito leva, em média, 66 dias para ser formando (e não 21 como tanto falam). Logo, o que fiz foi fazer um checklist diário, assim como esse dos calendários que vocë e o Guilherme comentou, só que com 66 quadradinhos, marcando diariamente toda vez que cumpria o hábito (que no caso era parar de tomar refrigerante). Até agora vem dado certo, falta 10 dias para concluir o objetivo e já estou planejando o próximo “desafio”.

      Acho que o “segredo”, nesse caso, foi realmente ter apenas este desafio como foco, a ÚNICA coisa, e depois partir pra próxima. Na minha visão, fica mais fácil.

      Sucesso a todos.

      • Carolina Rodrigues 18 de janeiro de 2016 at 15:09 #

        Outro livro bacana da mesma linha de raciocínio é “Essencialismo”

      • Adriano 18 de janeiro de 2016 at 15:26 #

        Jhonatas:

        Obrigado pela recomendação do livro ! Já “esbarrei” nele ao passear pelas livrarias mas não comprei.

        De fato eu começo muita coisa simultaneamente (livros inclusive) e acabo não concluindo várias delas !

        Vou procurar ler.

        Suce$$o !

        • Guilherme 18 de janeiro de 2016 at 15:59 #

          Olá, Adriano, excelente depoimento!

          Acredite, identifiquei-me com vários dos seus objetivos. Não sei se eles fazem parte de sua rotina, mas a maioria deles se encaixa na minha – eu até fiquei um tanto quanto surpreso, pois era como se eu estivesse lendo minha própria lista de objetivos. Incrível essa “sintonia” com os leitores! 😀

          Vamos a elas:

          – Folhinha de academia para calendário: comecei esse ano, e até aqui tem funcionado. Faço um círculo no dia;

          – Beber 2 litros de água: nesse caso, eu uso garrafas de água: uma squeeze de academia que tem capacidade para 800 ml, outra garrafa de academia que tem o medidor de 700 ml, e mais uma garrafa plástica (daquelas transparentes que se vendem em supermercado), de 500 ml. O objetivo é “virar” essas garrafas diariamente. O desafio é bem fácil de ser “medido” pois se consegue visualizar o tanto de água que se tomou pelos marcadores, e pela capacidade de cada garrafa. Comecei esse ano também.

          – Registro diário dos gastos: esse hábito eu tenho há 11 anos, e o faço com um app de PalmOS, chamado HandyShopper. Paralelamente, tenho uma planilha de gastos por categoria no Excel no laptop.

          – Leitura do Valor: pelo menos o caderno Eu & Investimentos. Faço uma leitura rápida pelos jornais (Valor e Folha) de manhã, no café da manhã (no iPad). Esse hábito eu cultivo há 5 anos, e a eles acrescentei a leitura do meu feed de notícias RSS, via Newsify (sim, meu café da manhã demora uma “eternidade”…..rsrsrs, o que me permite ler ou pelo menos dar uma passada nas notícias).

          Concordo plenamente com você a respeito da complexidade da vida e da necessidade de travarmos hábitos consistentes em múltiplas “frentes de batalha”.

          Gostei das sugestões de livros do Jhonatas e Carolina. Realmente, focar na formação de um hábito de cada vez parece ser uma ótima estratégia.

          • Jhonatas 18 de janeiro de 2016 at 16:27 #

            Guilherme e Adriano,

            Curti muito os comentários de vocês, pois foram práticos em falar os hábitos que estão perseguindo, dando ideia para os demais leitores.

            Fico com dúvida em relação a essa questão da academia: Qual o mínimo de minutos/horas por dia que vocês se exigem nesse hábito? Inclui final de semanas ou alguma pausa?

            Curti bastante a ideia do calendário. É bem motivante realmente dar esse “check” diário quando cumprido.

            • Guilherme 18 de janeiro de 2016 at 17:40 #

              Olá Jhonatas!

              Eu trabalho com atividades de 45 a 60 minutos por dia de academia. É um tempo adequado, na minha opinião. Menos do que isso não surte o efeito desejado. E mais do que isso pode prejudicar o corpo, pois o desgaste é maior.

              Eu incluo, às vezes, os sábados, mas descanso aos domingos.

              Abraços!

              • Rosana 19 de janeiro de 2016 at 6:32 #

                Adriano,
                Eu não fazia ideia de que a técnica do caléndário é do Jerry Senfield. Interessante.

                “De fato eu começo muita coisa simultaneamente (livros inclusive) e acabo não concluindo várias delas !”
                Em relação aos livros, agora eu leio um por vez.
                E se o livro não estiver me agradando, não me sinto mais obrigada a ler até o fim só para dizer (para mim mesma, talvez para alguém) que o li inteiro.
                Geralmente pulo algumas páginas ou passo os olhos para ver se encontro algo que me interesse.
                Há muitos livros que são somente caça-níqueis, que nos pegam pelo título e pela descrição, mas não são tão bons assim ou então não são o nosso estilo ou o que esperávamos. Com esses, não perco mais meu tempo e minha paciência.

                Jhonatas,
                Gostei da dica do livro. Ter foco é fundamental. Além disso, apesar da modernidade ter uma certa simpatia por multitarefas, funcionamos melhor fazendo uam coisa por vez.
                Vejam a mensagem e o link postados pelo Leakim nesse post:
                http://www.valoresreais.com/2016/01/04/gaste-seu-tempo-sendo-util-as-pessoas/
                Ainda nesse sentido, recomendo:
                http://www.valoresreais.com/2010/06/20/resenha-a-descoberta-do-fluxo-de-mihaly-csikszentmihalyi/

                Carolina,
                Gostei muito da sua dica, me identifiquei muito com a descrição, principalmente esse trecho:
                “É preciso eliminar o que não é essencial e se livrar de desperdícios de tempo. Devemos aprender a reduzir, simplificar e manter o foco em nossos objetivos.

                Guilherme,
                Consegui formar o hábito de tomar 2 litros de água diariamente.
                Para isso, uso copos comuns mesmo, de 200 e 250 ml. E no final do dia, às vezes até passo dos 2 litros, às vezes tomo um pouco menos, mas para mim o mais importante foi ter formado o hábito.
                O que não é muito produtivo é tomar muito de uma vez, pois o corpo não absorve corretamente.
                Por exemplo, em vez de tomar 400 ml de uma vez, melhor é 1 de 200 ml e outro 1 hora depois, exceto nas horas dos exercícios físicos, aí o corpo necessita de mais água mesmo.

                Esse ano eu tinha prometido a mim mesma não comprar mais nenhum livro, já que tenho alguns que comprei nos anos anteriores e ainda não li. E tampouco consegui chegar no meu objetivo de ter no máximo 50 livros. Mas essas duas indicações aqui no blog foram tão boas, que estou pensando em abrir uma exceção. rsrsrs

                • Guilherme 22 de janeiro de 2016 at 12:06 #

                  Oi Rosana!

                  Boa a dica da água!

                  Eu costumo realmente tomar a água em frações menores, de 150ml a 200ml de cada vez. Eu coloco a água em garrafas com capacidade maior apenas por uma questão de praticidade mesmo. 😀

                  E, realmente, as indicações de livros estão muito boas! 😀

                  Abraços!

    • Rubens 19 de janeiro de 2016 at 8:59 #

      Adriano,

      Vou passar alguns APP que utilizo para organização:

      – Sunrise: vinculo ele com o google calendar e o evernote para organização de taferas, horários e lembretes.
      – YouNeedABudget: para controle financeiro
      – GoodReads: Organizar livros lidos, para ler e atuais leituras

  3. Célia 18 de janeiro de 2016 at 13:24 #

    Excelente e motivador este post, Guilherme.
    Como disse Renato Russo, “disciplina é liberdade”. Ter disciplina para alcançar as metas faz um grande diferença.
    Um abraço e ótima semana!

    • Guilherme 18 de janeiro de 2016 at 16:00 #

      Obrigado, Célia!

      Gostei da frase do Renato!

      Abraços, e pra vc também!

  4. Carolina Rodrigues 18 de janeiro de 2016 at 15:08 #

    Guilherme,

    Você será eleito por mim como meu coah, guru, voz da consciência, a razão das finanças positivas!

    • Guilherme 18 de janeiro de 2016 at 16:00 #

      Carolina, muitíssimo obrigado pelas palavras! 😀

      Abraços!

  5. MJC 20 de janeiro de 2016 at 20:35 #

    Essa do calendário eu faço já há alguns anos (acho que desde 2013) e funciona mesmo. Acho que no post se balanço de 2013 ou 2014 até cheguei a comentar minhas idas na academia aqui, e contabilizo tudo na folhinha mesmo, que imprimo e colo com durex no guarda roupa.

    Além disso, a cada 4 meses (os calendários q uso são de 3 linhas de 4 colunas), eu vou anotando o compilado desses 4 meses e tento ajeitar o ritmo nos 4 meses seguintes. Tem funcionado.

  6. Teresa 20 de fevereiro de 2016 at 15:03 #

    Olá Guilherme
    Estou conhecendo seus posts pela 1ª vez. Encontrei por meio do Google, quando pesquisava sobre rentabilidade da LCA/BB.
    Li vários que vc escreveu e amei. Caí neste, atraída pelo título, em busca de uma orientação para o meu dilema: tenho uma previdência privava (VGBL) no BB e ao invés de deixar o dinheiro nessa aplicação, pensando numa aposentadoria a longo prazo, não seria melhor colocar em outras aplicações pensando a curto e médio prazo, até atingir o longo prazo? Super abraço e virei sua fã!

    • Guilherme 21 de fevereiro de 2016 at 10:36 #

      Oi Teresa,

      Inicialmente, muito obrigado pelas palavras!

      Sobre sua dúvida, vamos lá: sim, e provavelmente o seu VGBL deve estar cobrando altas taxas de administração (de 1,5% a.a. ou mais).

      Nesses termos, eu sugiro o Tesouro Direto, particularmente o Tesouro IPCA+, para esse objetivo.

      Abraços!

Trackbacks/Pingbacks

  1. Leituras da semana | Frugalidades - 23 de janeiro de 2016

    […] ♥ Como atingir seus objetivos de longo prazo […]

Deixe uma resposta

Powered by WordPress. Designed by Woo Themes