BB rebaixando a LCI a 70% do CDI comprova: nem toda renda fixa vale a pena. E um comentário sobre a Bolsa de Valores…

Com a taxa básica de juros em estratosféricos 14,25% a.a., não há dúvidas de que os investimentos em renda fixa estão atraindo a atenção dos investidores de todos os quadrantes, mesmo que os juros reais, ou seja, os juros acima da inflação, sejam de pouco mais de 4% a.a.

Nesse contexto, ganham destaque, na agenda e no bolso do investidor, as aplicações pós-fixadas ao DI/SELIC, isto é, que acompanham a variação da taxa básica de juros, tais como: o Tesouro SELIC do Tesouro Direto, fundos referenciados DI, CDBs pós fixados ao DI, RDBs pós-fixadosLetras de Crédito do Agronegócio (LCAs) e Letras de Crédito Imobiliário (LCIs).

Porém, vale destacar que nem todo investimento pós-fixado é digno de atenção (e principalmente do dinheiro) do investidor. No caso dos títulos privados, deve-se prestar bastante atenção no percentual do CDI que está sendo pago pela instituição financeira: quanto menor esse percentual, pior será o investimento, ainda que esse investimento esteja isento de imposto de renda.

É o caso da Letra de Crédito Imobiliário (LCI) do Banco do Brasil (não confundir com a LCA!).

Até há alguns dias, ela estava pagando 80% do CDI. Como o BB tinha resolvido rebaixar a remuneração da LCA também para 80% do CDI, conforme anunciamos mês passado, o leitor Renato C havia dado a dica, em comentário escrito no dia 13.01.2016:

“Uma informação: A LCI do BB continua oferecendo 80% do CDI.

Assim, para quem não tem acesso à LCA (só clientes perfil A e B têm acesso à mesma), a LCI fica agora como uma opção em que o cliente não perde nada em relação à LCA”.

Pois não é que, duas semanas depois, o Banco do Brasil resolveu diminuir drasticamente o percentual do CDI da LCI?

O mesmo Renato C nos alertou:

“Atualização de 26/01, Guilherme: A LCI do BB baixou de 80% do CDI para 70% do CDI. Acabou-se o que era doce!”

Essa informação acabou sendo confirmada por dezenas de leitores logo em seguida.

É evidente que toda essa operação de “desmonte” das letras de crédito, praticada pelo Banco do Brasil, tem como objetivo principal desestimular o investidor a aplicar em títulos isentos de imposto de renda, uma vez que tais títulos não trazem ganhos para o governo federal, que deixa de arrecadar milhões de reais em impostos sobre aplicações financeiras.

Portanto, se você ainda pensa em aplicar em títulos privados isentos de imposto de renda, o único caminho que resta é assumir maior risco, abrir mão da liquidez e (quase sempre) ter um volume de aporte maior, já que os mais altos percentuais do CDI, tanto para as LCAs, quanto para as LCIs (e para os CDBs também), se encontram nos bancos de médio e pequeno porte. Nesse sentido, o site Jurus, do qual já falamos anteriormente, pode te auxiliar a buscar as melhores opções.

Uma estratégia para distribuir os investimentos em renda fixa: a tática do leitor José

Como (a) os investimentos em renda fixa estão em alta; (b) vivemos em um momento de crise (onde é necessário preservar capital para garantir proteção contra eventuais emergências); e (c) os produtos oferecidos pelo mercado apresentam diferentes graus (ou níveis) de risco, liquidez e principalmente rentabilidade, o momento é bastante oportuno para diversificar os investimentos nessa classe de ativos.

Isso permitirá não só ter o investimento adequado para cada tipo de situação (por exemplo, a reserva de emergência requer um investimento altamente líquido), mas também extrair o máximo proveito da rentabilidade oferecida por determinados produtos financeiros, alongando o prazo de vencimento a fim de que a taxa de juros pactuada se prolongue no tempo.

Como eu gosto das dicas que os leitores fornecem na caixa de comentários, deixo registrado aqui a estratégia utilizada pelo leitor José, que vai ao encontro daquilo que eu disse acima:

“O meu sistema é assim:

Dinheiro que poderá ser necessário em menos de 30 dias: poupança. Motivo: saque do Tesouro Selic em menos de 30 dias tem IOF.

Dinheiro que poderá ser necessário entre 31 a 90 dias: Tesouro Selic.

Dinheiro que poderá ser necessário entre 91 e 360 dias: LCI.

Dinheiro que poderá ser necessário, mas só daqui a mais de 1 ano: Tesouro Selic.

Motivo das duas últimas linhas: a alíquota regressiva do IR”.

Vejam que ele distribui o dinheiro da renda fixa em três diferentes níveis de alocação, tendo como principal critério a necessidade de uso do dinheiro.

Para necessidades de curtíssimo prazo (até 30 dias), ele saca o dinheiro justamente da aplicação mais líquida, que rende menos, e a que não paga imposto, que é a caderneta de poupança. Para o uso que pode ocorrer no curto prazo (de 31 a 90 dias), ele prioriza o Tesouro SELIC, onde pode resgatar diariamente o dinheiro (e que também rende mais que a poupança). Para o dinheiro que pode ser necessário entre 91 a 360 dias, ou seja, já num horizonte de necessidade de médio prazo, ele deixa o dinheiro aplicado exatamente no investimento que rende mais, que é a Letra de Crédito. E, para o dinheiro cujo uso somente será necessário a partir de um ano, ele deixa no Tesouro SELIC, já que a alíquota do imposto de renda menor permite um ganho financeiro maior.

Colocar o dinheiro em diferentes aplicações dentro da mesma classe de ativos (renda fixa) é uma ideia que também já abordei quando discorri sobre a possibilidade de construir uma reserva de emergência em diferentes camadas:

“O Tesouro SELIC não é perfeito, e isso é perceptível não só pelo fato de ele pagar imposto de renda, mas também pelo fato de o resgate dos recursos não ocorrer no mesmo dia da solicitação, exigindo normalmente um dia útil de espera para que os recursos sejam depositados em conta-corrente.

Para isso, é oportuno utilizar a técnica de construção do colchão de segurança em, pelo menos, duas “camadas”. A primeira camada é formada por aquele investimento que pode ser resgatado no exato instante da solicitação, como a poupança, alguns CDBs e fundos referenciados DI, apenas para assegurar uma quantia que precisa ser disponibilizada no mesmo dia da “chamada”; e uma segunda camada no Tesouro SELIC, ou em qualquer outro investimento, que tenha um retorno líquido maior.”

A tendência de baixa na Bolsa

Eu sei que o momento é todo da renda fixa, que tende novamente a reinar nas aplicações financeiras nesse ano.

Mas não posso deixar de abordar um assunto que também é bastante pertinente nessa temática dos investimentos, ainda mais nesses tempos de Bolsa na faixa dos trinta e pouco pontos, e dólar acima de R$ 4: o quarto ciclo histórico de baixa que estamos vivendo, “empatando”, digamos assim, com os 4 ciclos de alta da Bolsa. Vejam no gráfico histórico abaixo, que mostra o valor da Bolsa de Valores em dólares ao longo dos últimos 50 anos:

Poster IBOV

Créditos da imagem: Enfoque

Clique na imagem, que é apenas uma screenshot, para ir direto ao pôster interativo

Esse pôster já foi objeto de um artigo escrito há 6 anos, em maio de 2010. Olha só o que escrevemos na ocasião:

Verifica-se, também, a existência de 4 tendências de alta, e 3 tendências de baixa, todas intercaladas, ou seja, uma tendência de alta era sucedida por uma tendência de baixa. O problema: a última tendência focalizada pelo quadro foi uma tendência de alta, de outubro de 2002 até maio de 2008, que totalizou uma valorização de impressionantes 2.051% para o Índice (indexado ao dólar, repita-se). A pergunta é: será que estamos começando a viver uma nova tendência de baixa? Ou ainda estamos numa maré de alta?

Já temos a resposta, não é verdade?

Mal sabíamos nós que estávamos prestes a iniciar um forte ciclo de baixa, o quarto da série histórica, que ainda não terminou, e que parece (veja bem, parece) estar atingindo o seu fundo do poço.

Como todo ciclo de baixa é sucedido por um ciclo de alta, o próximo ciclo, ao que tudo indica, será de alta, mas quando isso ocorrerá, ninguém sabe.

Conclusão

Fecho esse artigo com as mesmas conclusões que escrevi há mais de meia década:

“Para o investidor de longo prazo, com uma eficiente estratégia de alocação de ativos, o importante mesmo é saber que, décadas a frente, é muito provável a Bolsa apresentar rentabilidade superior. Além disso, as oscilações negativas são devem ser vistas como oportunidades para comprar mais ações, a preços menores, de forma gradual e com paciência” (sem destaque no original).

E haja paciência, hein!? Uma virtude que somente sabemos que existe se formos realmente testados

Além disso, e complementando o que eu disse na ocasião sobre as ações, saber escolher os ativos de renda fixa é também peça fundamental para ter uma carteira de investimentos que dê boa rentabilidade com controle do risco. Afinal de contas, não se pode deixar de tirar proveito de uma taxa SELIC tão alta, e de taxas no Tesouro IPCA historicamente tão atrativas.

Print Friendly, PDF & Email

, , ,

145 Responses to BB rebaixando a LCI a 70% do CDI comprova: nem toda renda fixa vale a pena. E um comentário sobre a Bolsa de Valores…

  1. SwineOne 1 de fevereiro de 2016 at 2:19 #

    Guilherme,

    Gostaria de expor o meu sistema pessoal para gerenciar o dinheiro do colchão de emergência. Não dá pra compará-lo diretamente com o do leitor, mas creio que possa ser útil para alguém.

    Tenho um primeiro nível de “buffer” no meu colchão de emergência, que funciona da seguinte forma: no começo do mês, faço uma previsão dos gastos que deverão ser cobertos com o salário que acabou de chegar (aluguel, condomínio, luz, telefone, pagamentos de cartão, etc.) Deixo esse dinheiro separado, e também separo uma pequena folga na conta corrente para sacar ao longo do mês caso necessário, algo como R$ 100 ou menos. Parece pouco, mas evito andar com dinheiro na carteira, e tento concentrar o máximo possível dos meus gastos no cartão de crédito, algo como 99% (por valor, não por número de transações). Isso não apenas pelas milhas ganhas (o que ultimamente parece cada vez mais inútil), mas principalmente porque o cartão de crédito é uma excelente ferramenta para gerenciamento de fluxo de caixa, permitindo o pagamento de todas as transações em um único dia, além de ganhar alguns dias para pagar durante os quais o dinheiro está rendendo juros. Isso, claro, se você for responsável e sempre pagar em dia o valor cheio da fatura.

    No meu banco, tenho 2 aplicações que uso para o meu colchão de emergência: um fundo DI e um CDB. A principal característica de ambos é que posso resgatar e ter o dinheiro na conta corrente no mesmo instante. Porém, o fundo DI tem aplicação e resgate mínimos de R$ 100, enquanto o CDB tem aplicação mínima de R$ 2.000, mas também rende um pouco melhor.

    Acabo usando o CDB para a maior parte do valor do meu colchão de emergência, mas também as movimentações nele são mais raras; inclusive, embora o resgate mínimo seja de R$ 100, acabo fazendo apenas resgates múltiplos de R$ 1.000.

    Já o fundo DI acaba funcionando como uma espécie de “buffer”. Na maioria dos meses, acabo sacando um pequeno valor (R$ 100 ou R$ 200) no meio ou fim do mês, quando acaba o dinheiro da carteira, mas depois acabo repondo este valor no mês seguinte, tentando manter o valor aplicado neste fundo dentro de uma certa “banda”.

    Creio que o meu fundo DI faça as vezes da poupança na estratégia do leitor relatada acima. Pessoalmente, não vejo a poupança como uma boa solução, já que se você sacar antes do aniversário, perde o rendimento daquele mês, além do rendimento da poupança estar pífio. Não adianta não pagar imposto, se mesmo pagando os 22,5% de imposto para aplicações em curto prazo, você ainda sairia na frente da poupança. Mas realmente, o problema aqui é o IOF. Afinal, se eu reponho os R$ 100 no início do mês e saco novamente no meio do mês, vou pagar o IOF pró-rata e perder o grosso do rendimento.

    Por exemplo, imagine que no meio de cada mês eu resgato R$ 100 desta aplicação, e no começo do mês seguinte eu reponho os R$ 100. Se os R$ 100 fossem todo o dinheiro que eu tenho na aplicação, eu ficaria eternamente pagando IOF. Porém, imagine se você tivesse R$ 200 aplicado, resgate R$ 100 no meio do mês e repõe os R$ 100 no começo do mês seguinte. Desde que os R$ 100 resgatados sejam os R$ 100 do mês anterior, e não aquele aplicado há poucos dias atrás, você não estará pagando IOF.

    Porém, ainda assim, estará pagando a alíquota de 22,5% de IR, já que o investimento permanece apenas por um mês no fundo. O segredo para cair para a alíquota de 15% e ter um rendimento um pouco melhor é muito simples: o valor aplicado neste “buffer” deve ser consideravelmente maior que o valor movimentado por mês. Se todo mês você saca e repõe R$ 100, então o ideal é manter algo como R$ 3.000 (para dar uma certa folga) ou mais neste investimento. Com isto, se você sacar o dinheiro que está aplicado há mais tempo no fundo, ele sempre estará lá há 30 meses, e já terá atingido a alíquota de 15%.

    Para seguir esta estratégia, é crucial que o investimento em questão aceite aplicações de baixa monta (como os R$ 100 no meu caso). Com isso, você garante que todo começo de mês você repõe o dinheiro que foi sacado no mês anterior. Se você ficar tirando R$ 100 todo mês, mas a aplicação mínima for de R$ 2.000, você fará em média um investimento a cada 20 meses para manter o saldo médio da aplicação sempre o mesmo. Com isso, será necessário que o “buffer” seja ainda maior (por exemplo, R$ 5.000) para garantir a alíquota de 15% nos resgates.

    Não sei se a explicação ficou clara o suficiente, mas enfim, é o que eu tenho feito para gerenciar estes pequenos percalços no fluxo de caixa ao longo do mês.

    • José 1 de fevereiro de 2016 at 9:41 #

      SwineOne, nossas estratégias têm princípios parecidos. O que vai determinar qual sistema é melhor para cada pessoa são evidentemente as circunstâncias que cada um particularmente vive. Ler as estratégias dos outros é sempre interessante para tirar boas ideias.

      Essa técnica que você faz de resgatar dinheiro de um fundo que alimenta frequentemente, de modo que sempre resgata aquela parte do dinheiro que já está isenta de IOF e na menor alíquota do IR, tentei fazer algo parecido com a LCI BB. Pensava em, quando tiver os 30 contos, passar tudo para a LCA. Mas aí vieram as mudanças de alíquotas e de carência, e a estratégia teve que mudar completamente. Agora, a ideia é chegar a esse ponto no T. Selic. Comecei a investir nesse ativo em dezembro de 2015, já que no início de 2015 estava ainda lutando para pagar dívida, de modo que, lá para meados de 2017, na hipótese de nenhum imprevisto me obrigar a sacar os títulos antes disso, eles poderão começar a funcionar como o seu fundo DI, sacando os títulos mais antigos e sempre comprando novos, sendo que os novos poderão eventualmente ser recomprados em caso de emergência.

      Mas para quem comprou LCI BB quando ela ainda pagava 80%, é importante frisar que o investimento anterior à mudança continua como foi contratado. A mudança deve, portanto, incentivar as pessoas a deixarem de comprar LCI BB, mas não a resgatar o que já tinham antes da mudança. Parece que o BB não está muito interessado em vender novas LCIs, talvez em função do desaquecimento recente do mercado imobiliário.

      Quanto à LCA, talvez os juros mais altos tenham estimulado agricultores a mudar a estratégia, reservando parte do lucro de uma safra para pagar os custos da próxima, daí o baixo interesse do banco também em vender LCA. É que anteriormente, quando os juros do crédito agrícola eram baixíssimos, os agricultores preferiam tomar crédito mesmo que não tivessem consumido todo o lucro da safra anterior, conheço alguns que consideravam mais vantajoso tomar crédito e investir o dinheiro em caixa de outra forma, não financiando a próxima safra (a questão do custo de oportunidade). Com a crise e alta dos juros, TALVEZ (ainda não o confirmei) isso tenha mudado.

    • Caroline 1 de fevereiro de 2016 at 10:52 #

      Achei interessante a sua estratégia, porém fiquei com algumas dúvidas. Qual o rendimento do fundo DI que aplica? Não há cobrança do come cotas? Eu não tenho experiências em fundos, mas volta e meia escuto sobre o come cotas. Qual a função do CDB na sua estratégia? Realizar aplicações quando poupa mais de 2.000 no mês?

      Obrigada.

      • Caroline 1 de fevereiro de 2016 at 10:53 #

        As dúvidas são sobre a estratégia do SwineOne.

      • SwineOne 1 de fevereiro de 2016 at 16:37 #

        “Qual o rendimento do fundo DI que aplica?”

        Olhando com cuidado, o meu fundo não é DI, e sim um fundo de renda fixa que não necessariamente acompanha o CDI. Basicamente olhei os fundos DI e RF ofertados pelo meu banco, e escolhi o mais barato que não exigisse uma aplicação inicial excessiva. Este fundo possui uma taxa de administração anual de 1.10%. Segundo informações do banco, a porcentagem do CDI atingida (já descontada a taxa de administração) nos últimos 5 anos foi de cerca de 91.4%. Não é excelente (e quem sabe eu até deveria procurar um investimento melhor que esse), mas botando na ponta do lápis, a poupança tem rendido algo como 0.6 a 0.7% ao mês com a TR, contra algo como 0.8 a 0.88% deste fundo, considerando o CDI atual de 14,25% e alíquotas de 15 a 22.5% de IRPF, então apesar de tudo ainda faz sentido fugir da poupança. O fundo tem sim cobrança de come cotas.

        Com relação ao papel do fundo RF vs. CDB, a ideia é que o fundo RF é um fundo de curtíssimo prazo, para resgate de valores pequenos (geralmente de R$ 100 ou R$ 200, e mais raramente valores de R$ 500 a R$ 900), e aceito um rendimento menor em troca de um valor mínimo de aplicação reduzido (R$ 100) para permitir que todo mês eu aplique o valor que foi resgatado ao longo do mês anterior. Já o CDB é o meu colchão de emergência “principal”, aquele usado para despesas maiores, inesperadas ou às vezes não (por exemplo, o pagamento da franquia de um seguro no caso de um acidente; também usei este ano para pagar o IPVA do carro à vista). Antigamente conseguia 98% do CDI nesse CDB, mas ultimamente o banco só tem liberado 93%, ainda um pouco melhor do que o fundo RF. As regras do banco exigem R$ 2.000 por aplicação, inviabilizando o uso em curtíssimo prazo, e embora permitam resgate mínimo de R$ 100, em geral resgato apenas em múltiplos de R$ 1.000.

        Enfim, resumindo, ambos são parte do meu colchão de emergência, mas o fundo RF é voltado para movimentações pequenas e de curtíssimo prazo, enquanto o CDB, devido à aplicação mínima bem mais significativa, é usado para movimentações maiores e de prazo mais longo.

        • Caroline 1 de fevereiro de 2016 at 16:59 #

          Obrigada pelas respostas! Muito interessante.
          Quanto à poupança, fiz diversas simulações tanto com CDB e Tesouro Selic para retiradas a partir de 31 dias, e a poupança sempre perdeu.

        • Julio 2 de fevereiro de 2016 at 12:58 #

          Uma aplicação de 50000 a 100000, aplicados para uns 5 anos, qual seria na sua opinião um bom tipo de estratégia de investimento?

          • José 4 de fevereiro de 2016 at 11:02 #

            Julio, depende da sua resposta às seguintes questões:

            1. Qual o seu grau de confiança no fato de que não vai precisar sacar em menos de 5 anos? Qual a probabilidade de precisar sacar?

            2. Você acha que a taxa de juros Selic tende a cair antes que você precise do dinheiro?

            3. Você acha que a inflação média nos próximos 5 anos ficará abaixo ou acima de 8% a.a.?

            Se acha que vai precisar sacar, talvez seja mais indicado o Tesouro Selic, onde o rendimento vai acompanhar a Selic ao longo do período de investimento, independente da data em que resolver resgatar. Porém, se precisar sacar antes, caso aplique em Tesouro IPCA+, poderá eventualmente colher um resultado inferior à taxa “combinada” no ato da compra + IPCA. Mas se a taxa de juros cair antes que você resolva resgatar o dinheiro, um título IPCA pode nesta hipótese pagar um juro até maior que o combinado, no caso do resgate antecipado.

            Logo, se for sacar antes de 2019 (daqui 5 anos), o mais conservador é o Tesouro Selic; o Tesouro IPCA+ 2019 pode ser um investimento pouco mais agressivo, caso acredite que a taxa de juros vai cair antes de resgatar. (Quando a taxa cai, o preço desses títulos sobe, para que renda menos desde a queda do juro até o vencimento).

            Mas se estiver bem confiante de que não vai, de jeito nenhum, querer nem precisar resgatar antes de 15/5/2019, aí a situação inverte: o mais conservador é o Tesouro IPCA + 2019. Porém, se a inflação média no período for maior que 8% a.a., supondo que se mantenha a Selic em 14,25%, aí o Tesouro Selic pode até render mais que o IPCA + 2019!

            Se for resgatar só no vencimento, a questão é: qual valor será maior? IPCA médio no período + 6,26 % a.a.; ou a taxa Selic média no período?

            Se IPCA + 6,26 ficar maior, Tesouro IPCA + 2019 vai render mais, no caso de manter até o vencimento. Caso contrário, Tesouro Selic vai render mais.

            • José 4 de fevereiro de 2016 at 11:07 #

              Putz! Que distração a minha! 2019 é daqui a três anos, e não cinco como eu disse anteriormente. Calculei como se estivéssemos em 2014, acho que tô precisando de férias kkkkkkkkkkkkkkk.

            • José 4 de fevereiro de 2016 at 11:17 #

              Então, já que calculei errado, esquece tudo o que eu disse sobre o Tesouro IPCA + 2019.

              Vai vencer 2 anos antes do tempo que você pretende manter o dinheiro investido, aí vai ter que reinvestir e, caso não o faça numa aplicação isenta, talvez não dê tempo de conseguir a menor alíquota de IR para o valor reinvestido. Fora que, lá em 2019, talvez as taxas não estejam tão boas quanto antes. Muito embora isso impactaria também um investimento feito hoje no Tesouro Selic, que é totalmente pós-fixado.

              Pronto, falei pra ti o que sei sobre Tesouro Direto, levanta aí algumas informações sobre outras alternativas de renda fixa (fundo DI, CDB, entre outras) e compare. No presente momento, eu pessoalmente não investiria em ações por causa do quanto a renda fixa está forte atualmente, dispensando de assumir o risco das ações. Mas sobre isso é como se diz: cada cabeça uma sentença.

              LCI e LCA, além de não estarem mais tão boas quanto há alguns meses, geralmente são de prazo curto, acho difícil você encontrar uma dessas letras com vencimento após 2020, como deseja.

              • Guilherme 14 de fevereiro de 2016 at 10:50 #

                Excelentes comentários e discussões aqui, SwineOne, José e Caroline!

                Sempre aprendo muito com as estratégias utilizadas por vocês, leitores, e quase sempre acabo incorporando às minhas práticas financeiras muitas de suas dicas.

                Grande abraço a todos! 😀

    • Lindolfo Rodrigues 17 de fevereiro de 2016 at 9:08 #

      Eu também faço isso, só que o salario que eu recebo esse mês é para pagar as contas do proximo. Uso CDB da Sofisa como colchão e buffer.
      Esse processo de usar o salario desse mês para pagar o proximo, sim você precisa de um “investimento” inicial para pular o mes, eu aprendi com o YNAB:
      http://classic.youneedabudget.com/support/article/rule-four-live-on-last-months-income
      Na versão nova eles deram um nome novo:
      http://www.youneedabudget.com/learn/guide/age-your-money-and-extend
      É realmente muito poderoso, principalmente porque o salario fica rendendo no minimo 1 mês. Meu objetivo é pular mais um mês, até que o salario desse mês seja para pagar as contas de daqui 6 meses. No decorrer do mês você precisa fazer alguns ajustes de budget, mas tem funcionado muito bem comigo.

      • Guilherme 18 de fevereiro de 2016 at 8:15 #

        Lindolfo, excelente estratégia! Aliás, fiquei impressionado com as dicas do YNAB. Fazia *MUITO TEMPO* que não lia ideias tão criativas sobre um tema tão “batido” como orçamento doméstico. Muito obrigado pela indicação dos links!

    • Alex 19 de maio de 2016 at 17:15 #

      Boa tarde,

      Voce poderia me ajudar. Hoje fiz uma aplicação de 50 mil na LCA do Banco do Brasil.

      Estou com receio de ter feito besteira.

      Desde ja agradeço.

      Alex

      • Sandro 8 de dezembro de 2016 at 12:39 #

        Fez, a taxa do LCA do BB está péssima. Quer boas taxas de aplicações, abre conta em uma corretora. Tive um LCA que encerrou em Julho, era ruim também, aí resolvi aprender sobre taxas e tudo melhorou bastante.

  2. Gustavo 1 de fevereiro de 2016 at 8:36 #

    Bancos grandes pagam muito mal… Recomendo bancos como o Sofisa, que tem CDB com 100% cri a partir de 1 real….

    http://Www.sofisadireto.com.br

    • Caroline 1 de fevereiro de 2016 at 11:00 #

      A questão dos bancos como Sofisa é que você não consegue fazer aplicações como a poupança, colocando todo mês uma quantia que se somará ao valor aplicado anteriormente.

      Cada nova aplicação é um novo investimento.

      Tentei fazer um comparativo entre ter um investimento que aumentará o volume todo o mês ou ter vários investimentos pequenos. Por exemplo, todo mês coloco 1.000, no final de 05 meses eu terei um investimento de 5.000 mais os rendimentos. No entanto, com o CDB da Sofisa eu terei no final de 05 meses 05 investimentos de 1.000 mais os rendimentos de cada investimento.

      Não encontrei diferença entre os rendimentos que se somaram e os que ficaram separados, Mas ainda tenho a impressão que calculei errado.;

      • Gabriel 2 de fevereiro de 2016 at 14:52 #

        Olá Caroline

        Gostaria de informa-la que na verdade essa diferença que você observou não gera nenhuma diferença nos rendimentos.

        De fato, o sistema dos bancos grandes como o BB também considera cada aplicação como um novo investimento. A diferença é que isso fica oculto do público que utiliza o serviço e só é visível pra quem trabalha no banco e pode usar o sistema interno deles.

        Se restar dúvidas sobre a igualdade dos rendimentos você pode utilizar a Calculadora do Cidadão disponível no site do Banco Central. A opção de Aplicação com Depósitos Regulares te dará o valor em que as quantias são supostamente somadas ao valor já aplicado, enquanto que a opção Valor Futuro de um Capital dará o resultado das aplicações individuais. Quando você somar os resultados de todas as aplicações individuais este será igual ao da aplicação com depósitos regulares pois matematicamente é a mesma operação.

        Abraço e bons investimentos!

        • Caroline 3 de fevereiro de 2016 at 14:35 #

          Gabriel, muito obrigada pela resposta.

          Muito bom saber que na verdade as aplicações dos grandes bancos também são consideradas novos investimentos.

          Com a LCI do BB rendendo apenas 70% do CDI, a aplicação no Banco Sofisa com rendimento de 100% do CDI e liquidez diária se mostra mais rentável.

          A minha dúvida era justamente o fato de os valores aplicados ao LCI se somarem ao anterior, o que não acontecerá com a Sofisa, conforme o Banco informou.

          • ricardo 14 de março de 2016 at 21:14 #

            Caroline, e outros interessados, os valores são separados pq cada “aplicação ” gera um título cdb com um respectivo valor. Diferente da poupança que é uma conta onde se depositam vários valores. Mas a soma das rentabilidades será igual.

    • Andrey 4 de fevereiro de 2016 at 0:42 #

      Gustavo, desde 10/2011, tenho investido no Sofisa, em fundos que rendem de 100 a 112% do CDI, com os quais obtive rendimento superior a 60%, nesse período.
      Tenho também uma conta corrente no BB, desde 1996, com a mesma titularidade. Mas, mesmo assim, não posso fazer DOC/TED, sem ter que pagar uma taxa, que o BB cobra nessas transações.
      Assim, mesmo que o Sofisa disponibilize fundos com várias opções de liquidez, inclusive liquidez diária e não cobre tarifa de DOC, não compensaria fazer investimentos de valores baixos, como eu gostaria.
      Dessa forma, lendo esse excelente artigo, de imediato, interpretei a poupança, como sendo meu fundo Sofisa com liquidez diária, mesmo que os valores resgatados só estejam na minha conta do BB no dia seguinte ao resgate.

      • Caroline 4 de fevereiro de 2016 at 16:36 #

        Andrey,com a conta digital você não paga TED/DOC e nem pacote de serviço.
        Acabei de transformar minha conta do Banco do Brasil em digital. Essa questão de ter que pagar TED sempre pesava na hora de transferir o dinheiro para corretora.
        Dá uma pesquisada sobre a conta digital. Vários bancos oferecem.
        Abri um conta no Sofisa e vou utilizar o CDB com liquidez diária em substituição à poupança (claro q só vou sacar depois de 30 dias por causa do IOF).

        • Carlos Macapuna 6 de fevereiro de 2016 at 10:42 #

          Olá bom dia,

          Eu tenho uma conta no BB desde 2004, universitária por sinal, e recebo meu salário nesta conta. Pago uma taxa de manutenção mensal bem baixa. Mas em compensação não tenho sequer um doc/ted isento.

          Tenho três perguntas.

          – Posso transformar essa conta em digital? Acredito que sim. Mas como fica meu recebimento de salário, cartão de crédito e meus investimentos? Além disso, como recebo meu salário nesta conta, preciso sacar dinheiro.

          – Uma alternativa… Posso criar outra conta digital no mesmo banco? Assim eu transferiria valores para a conta digital e depois transferiria para o banco Sofisa, por exemplo, e não pagaria taxa de transferência.

          – Estão falando bastante em utilizar o Sofisa, mas hoje só tem CDB, está indisponível LCI/LCA, demora a ficar disponível?

          Muito Obrigado

  3. José 1 de fevereiro de 2016 at 9:14 #

    Guilherme, estou surpreso que meu comentário anterior tenha rendido parte de um artigo. Fico feliz que a dica tenha sido útil. O objetivo do presente comentário é alguns esclarecimentos, para a hipótese de alguém resolver seguir o “sistema do José” hehehe.

    Só que o meu sistema mudou com a redução da alíquota da LCI BB. Bons economistas poderiam me considerar meio louco por investir em LCI BB, já que o recomendado é LCI de bancos pequenos. Mas acontece o seguinte (digo isso para ilustrar como cada caso é um caso): meu expediente é das 7:30 às 16:30 (fuso Brasília -1, então equivale a 8:30 a 17:30 no horário de Brasília), então a oportunidade de visitar fisicamente um banco na hora do expediente é RARÍSSIMA. Não tem jeito, tenho que fazer quase tudo por internet ou auto-atendimento. E o dinheiro que ponho na LCI é tão pouco que a diferença de rendimento caso aplicasse num banco pequeno acho que não pagaria nem o combustível para ir até o banco abrir conta. Só para ilustrar, quero mudar minha conta para o pacote digital do BB, e sabe quando vou poder fazer isso? Nas próximas férias, que serão em JULHO.

    Mas agora, considerando que 77,5% da Selic vale mais que 70% do CDI, o sistema muda. O dinheiro que poderá ser necessário em menos de 1 mês continua indo para a poupança (preciso ainda verificar as alíquotas do IOF para calcular se não seria melhor o Tesouro Selic); e o que poderá ser necessário, mas só daqui a mais de 1 mês, Tesouro Selic. A LCA BB dificilmente vai compensar, a não ser que eles mudem a alíquota, pois a primeiríssima camada do colchão de liquidez nunca vai atingir R$ 50 k. Essas opções eu consigo fazer por internet, sem diferença de custo, então qualquer quantia advinda das diferenças de rentabilidade líquida e real é bem vinda, por isso que compensa fazer os cálculos.

    Tesouro direto, por enquanto só Selic pois minha reserva de emergência está alguns anos luz abaixo dos recomendados 6 meses.

    Quanto à poupança para a primeira camada, parece um paradoxo: até 1 mês é justamente o prazo em que ela não rende NADA. Nesse contexto, o jurinho da poupança, embora menor que a inflação, é uma pequeno prêmio para a eventualidade de conseguir gastar menos do que o calculado para o mês. O custo dessa oportunidade também é apenas um pequeníssimo trabalho a ser feito via internet, transferindo o salário da CC para a poupança com resgate automático. Aliás, hoje depois deverei fazer esse agradável “trabalho”, próprio do famoso e popular “pay day” kkkkkkkkk. Só pra descontrair um pouco.

    • SwineOne 1 de fevereiro de 2016 at 16:53 #

      José,

      Verifique algumas corretoras como Easynvest, Sofisa, XP, etc., que acredito que permitem a abertura de uma conta sem a sua presença física, apenas por telefone/fax/email, e acho até que algumas fazem o processo de forma 100% online. Em bancos pequenos é possível conseguir percentuais próximos de 100% do CDI (até mais, em raros casos).

      • Shadow 1 de fevereiro de 2016 at 17:17 #

        Acredito que só fique interessante trabalhar com corretoras, para valores menores e mensais, tendo como pacote de serviços uma conta digital, onde doc e ted são ilimitados e gratuitos. A diferença de rentabilidade pode não compensar a taxa de transferência que se paga.

        Se o amigo só poderá fazer a mudança do pacote em julho, vale a pena ir fazendo o cadastro nas corretoras, mas não tornar um hábito realizar transferências pagando por pelos Teds (doc perdeu o sentido de ser, a partir do momento que o ted não tem mais limite mínimo.)

        • José 2 de fevereiro de 2016 at 10:20 #

          SwineOne e Shadow, valeu pelas dicas!

      • Gustavo 2 de fevereiro de 2016 at 12:42 #

        Sofisa é um banco, e o processo de abertura da conta é totalmente Online.

    • Guilherme 14 de fevereiro de 2016 at 10:56 #

      Olá José, eu é quem fico feliz de ter leitores tão ativos e com sistemas de investimentos tão bem estruturados.

      É uma honra poder aproveitar esses comentários em artigos para o grande público leitor dos posts!

      Parabéns pelas discussões aqui no blog, juntamente com o SwineOne e demais leitores: eu aprendo bastante só lendo os comentários de todos vocês!

      Abraços!

  4. Julinho 1 de fevereiro de 2016 at 9:27 #

    Essa parte de investir na poupança ao inves de TD em menos de 30 dias não me parece fazer muito sentido.

    O IOF incide sobre o rendimento. por exemplo, caso o saque ocorra no 15º dia, por exemplo, a poupança terá rendido 0%, e o TD terá rendido algumas migalhas, mesmo com o IOF.

    • Julio 1 de fevereiro de 2016 at 14:49 #

      LCA do BB era 83% do CDI, mês passado foi para 81, e este mês foi para 80%, putz ta difícil. Assim. Será que abaixa mais?

    • José 2 de fevereiro de 2016 at 10:05 #

      Julinho, após ler seu comentário resolvi pesquisar as alíquotas do IOF. Realmente, elas não constituem um grande problema, já que incidem sobre o rendimento, há de sobrar algumas migalhas como você disse.

      Mas percebi um outro detalhe: dá uma conferida no simulador do site do TD, experimenta simular um resgate antecipado cerca de 15 dias depois da aplicação. Conforme a taxa de administração do seu agente de custódia (que incide sobre o principal, no ato do investimento), a rentabilidade fica menor que a taxa, resultando em rentabilidade líquida negativa! Você acaba resgatando algumas migalhas a menos do que o valor bruto investido.

      Por exemplo, supondo que você trabalhe com o BB (taxa 0,5%), vamos simular um investimento de R$ 1.000,00 em Tesouro Selic, aplicação em 2/2/2016 e resgate em 20/2/2016.
      Valor investido bruto: R$ 1.005,00
      Valor líquido do resgate: R$ 1.004,42.

      Se fizesse a mesma coisa com a poupança, aplicaria e resgataria exatamente o mesmo valor nominal, atingido apenas pela inflação desse curto período. Porém, caso acontecesse de gastar um pouquinho menos do que o previsto, receberia uma migalha sobre a diferença.

      Poder-se-ia pensar em corretoras, mas para valores tão pequenos… É como disparar um míssil para matar uma mosca.

      • José 2 de fevereiro de 2016 at 10:11 #

        Aliás, dessa simulação acho que dá para tirar uma lição: já que a taxa de administração é anual, eis aí mais uma vantagem de manter o investimento por pelo menos 1 ano: além de cair em alíquota menor de IR, eliminar o IOF (claro, para isso basta 1 mês), você ainda dilui ao máximo a taxa de administração ao longo do tempo. Em investimento, tempo é dinheiro. 0,5% é pouco para quem ganha 14%. Mas só se ganha 14% mantendo a aplicação por pelo menos 1 ano! Uma vantagem que talvez passe despercebida, quando as pessoas planejam suas táticas.

  5. David 1 de fevereiro de 2016 at 10:51 #

    Acho que o ¨sofrimento¨ de ter um planejamento de investimento em fixa é apenas os primeiros 90 dias por causa das carencias das LCI e LCA…

    Pois, até pensando em liquidez diária e imediata, a LCI/LCA funciona do mesmo jeito que a poupança, mas com vantagem de pagar o dia que está la (e n apenas no aniversário) e claro, um percentual do CDI maior… Tenho LCI/LCA aki com resgate automático na CC, igual temos na Poupança e isso eh uma bela vantagem.

    Se eu fosse começar hoje, eu tentaria colocar uma grana na poupança para ser usado apenas se a barriga doer mesmo heheh e o resto colocaria em LCI/LCA ou até Tesouro SELIC, visto que a LCI do BB ta realmente muito abaixo do Tesouro SELIC para 6 meses ou menos (77% do CDI/SELIC, visto que o IPRF eh 22,5%). Torcendo para passar os primeiros 90 dias e a grana que estiver na poupança te ajudar (ou ate vc n precisar dela), ai sim, jogar essa grana em LCI que paga mais que a poupança e contar com a liquidez da aplicacao inicial ja com resgate auto em sua CC…

    []s

  6. Julio 1 de fevereiro de 2016 at 13:17 #

    qual bancos destes mais conhecidos como Itau, Santander, Bradesco, tem uma valor de lca maior em termos de relação ao cdi?:

    • Polux 1 de fevereiro de 2016 at 22:47 #

      Lca penso que nenhum mas o Lci da Caixa ainda está 80% do Cdi.

  7. Diogo 1 de fevereiro de 2016 at 17:00 #

    Lci do BB ja era!! Vou agora eh para o unicred. O dinheiro investido antes da mudança continua rendendo bonzinho!

    • Julio 2 de fevereiro de 2016 at 13:05 #

      O que é Unicred?

  8. Shadow 1 de fevereiro de 2016 at 17:36 #

    Excelente texto como sempre Guilherme! Uma pena ser recorrente a precarização dos serviços do Banco do Brasil, está difícil continuar aplicando nos produtos financeiros do amarelinho.

    Quanto a essas camadas de colchão de segurança, como o que abunda não prejudica, quero compartilhar também as divisões de camadas que pratico, pois podem ser úteis a algum desavisado, rs.

    Como primeira camada, aplico num fundo de renda fixa do próprio BB, e procuro deixar como saldo um valor ligeiramente superior ao dos meus proventos. Deixo o mesmo como primeira opção da priorização de resgate automático e assim elimino qualquer cobrança de IOF e tenho sempre um salário disponível para passar o mês. Praticando a frugalidade, sempre no fim do mês, sobra salário que é levado para a outra camada do colchão, se for o caso, ou para alguma aplicação de maior prazo. A ideia é todo início de mês ter como saldo no fundo o dobro da minha renda.

    Já a segunda camada, coloco em LCAs, LCIs com vencimento médio de 3 a 4 meses, de maneira que todo mês tenha um vencendo, fico limitado a 1/3, 1/4 de liquidez do capital fazendo isso, mas a rentabilidade média tem compensado. Consideravelmente maior do que fundos com liquidez diária, porém mais modestos do que aplicações em renda fixa com vencimento entre 1 e 2 anos.

    E a terceira camada, divido irmãmente entre um CDB que rende por volta de 102~100% da CDI e o tesouro selic, sempre balanceando entre um e outro. A ideia é tentar levar por dois anos sem precisar usar para me aproximar dos 85~87% da CDI. Essa terceira camada é a mais conservadora e rende menos do que a segunda camada, porém tem liquidez diária* D+0 (CDB, se eu pedir o resgate pela manhã, rs) ou em D+1 o tesouro selic.

    Parabéns a todos os envolvidos aqui no valoresreais pelo compartilhamento de experiências que observo aqui nos comentários, sempre aprendo uma coisa ou outra, fora as notícias em primeira mão e praticamente exclusivas!

    • Guilherme 14 de fevereiro de 2016 at 10:59 #

      Excelente estratégia, Shadow!

      O que me deixa feliz é que nós, investidores, temos estratégias bastante parecidas com nossos investimentos, e a prova disso é a existência de sistemas com múltiplas camadas do colchão de segurança.

      Valeu pelas palavras!

      Abraços!

  9. Uender 1 de fevereiro de 2016 at 21:40 #

    Dinheiro menos de 30 dias poupança? Senhor, no mínimo 30 dias senão nao rende nada, então mesma coisa que deixar parado na conta corrente. Outra coisa se for ver os comentários no dia 26 não foi bem o Renato que alertou para LCI a 70%. TD selic para mais de 2 anos? Com vários CDB/LC com no mínimo 120% do CDI sem taxa da bmf em bancos médios com FGC até 250 mil, melhor rever a estrategia em destaque pelo Blog! Abraços

    • José 2 de fevereiro de 2016 at 10:16 #

      Mais ou menos a mesma coisa que deixar parado na corrente. Se gastar tudo em menos de 30 dias, mesma coisa. Mas na eventualidade de conseguir gastar um pouco menos que o previsto, aí tem diferença… Pequena, primeiro por causa da própria rentabilidade da poupança que é menor que a inflação, segundo porque só vai incidir sobre a “sobra”, mas melhor que nada.

      • Uender 2 de fevereiro de 2016 at 20:44 #

        Vai a dica, procure concentrar todas as despesas no Cartão de Crédito, pois além de ficar mais fácil o controle dos gastos você pode colocar o vencimento da fatura no dia em que recebe o salário, dai dependo da pontualidade do seu pagador, não é preciso retirar o dinheiro de alguma aplicação para cobrir os gastos mensais, e o restante pode ser aplicado. Abraços

  10. João 2 de fevereiro de 2016 at 19:30 #

    No momento, uma boa notícia para investidores de LCA e LCI.

    Infomoney 02Fev2016:

    http://www.infomoney.com.br/onde-investir/renda-fixa/noticia/4560561/juca-desiste-aumentar-investimentos-pela-694

    • José 4 de fevereiro de 2016 at 10:48 #

      Que bom que o Jucá desistiu dessa besteira. Devo acrescentar que a notícia é boa, mas não só para quem investe em letras de crédito, é boa para a economia de um modo geral:

      “Se ocorrer o aumento da tributação será muito ruim, pois o agronegócio é o único setor da economia que está bem. Se o crédito rural já estava escasso, vai ficar pior”

      Fonte: http://www.abag.com.br/sala_imprensa/interna/abag-investidor-pessoa-fisica-impulsiona

  11. Carlos Macapuna 2 de fevereiro de 2016 at 20:27 #

    Olá,

    Essa mudança na taxa do LCI serve para novos investimentos ou para todos?

    Se eu já tinha investido 1,000 quando a taxa era 80%, ela permanece? E a taxa de 70% seria apenas para novos inestimentos?

    • ricardofurtadof 3 de fevereiro de 2016 at 9:00 #

      só para os novos aportes. o seu antigo continua com 80%

  12. Francisco Batista 3 de fevereiro de 2016 at 18:31 #

    Só pra avisar q no Banco Sofisa tem LCI disponível, resgate a partir de 1 ano e pagando 93% do CDI.

    A quem interessar.

  13. Mario 3 de fevereiro de 2016 at 20:42 #

    Pior que eu só descobri isso hoje depois que fiz a aplicação . E os outros bancos grandes públicos e privados como a Caixa , Bradesco e Itaú ? Também vão baixar as taxas para 70% ?

  14. Leo 4 de fevereiro de 2016 at 15:31 #

    Em relação a LCI/LCA, o que eu não entendo, sinceramente, é uma porção abissal de gente indo atrás de corretoras para fazer esse tipo de investimento.
    Caso você more em cidades pequenas isso passa a ser totalmente valido, mas referindo ao pessoal que mora nas grandes metrópoles, muitos bancos de pequeno e médio porte tem agências/escritórios e dão a opção de abertura de conta-investimento sem cobrança nenhuma.

    Um investimento onde você está emprestando dinheiro ao banco não faz sentido para mim você ter que pagar taxas, simples assim.
    Além do que, sinceramente, só o fato de você estar eliminando uma terceirizada (corretora) só trás benefícios, menos dor de cabeça, menos possibilidade de problemas, etc.

    • Francisco Batista 4 de fevereiro de 2016 at 15:58 #

      Concordo em partes. Quem mora em cidade pequena ou interior, tudo bem. Mas as vezes quem mora numa cidade grande não quer ter q se dirigir a uma agência ou escritório pra ter q abrir uma conta.

      99,9% das corretoras e alguns bancos médios/pequenos oferecem a opção de abertura de conta online, alguns até dispensam o envio de documentação.

      Lembrando q muitos bancos e corretoras não cobram tarifas em se tratando de renda fixa, caso da LCI/LCA.

      • Leo 4 de fevereiro de 2016 at 16:06 #

        Sempre quando uma LCI está para vencer eu revejo os bancos e dou uma olhada nas corretoras. As mais ‘indicadas’ internet a fora sempre tive um péssimo relacionamento, atendentes grossos e com um péssimo atendimento no geral, informando coisas erradas, etc,
        Dessas corretoras, de uma forma ou de outra, acabam cobrando algum tipo de taxa, sendo com % em cima do próprio investimento, sendo com administrativa (mais raro), sendo cobrando tarifa em TED’s para quando você for retirar o dinheiro.
        Já no banco pequeno/médio, você normalmente lida com um só gerente e eles costumam sempre ser extremamente prestativos.
        De fato você vai ter que ir UMA vez em cada agência para abrir conta, mas depois disso, acabou o estresse, para ao meu ver um atendimento melhor com um canal direto.

  15. Jack Bauer 5 de fevereiro de 2016 at 8:49 #

    Alguém sabe quanto estão pagando os outros bancos grandes para LCI/LCA?

  16. Ana Carolina 5 de fevereiro de 2016 at 14:25 #

    Gostei muito do texto. Muito esclarecedor. Me dei conta da necessidade de poupar e investir há pouco tempo, infelizmente. O valor que tinha na poupança, acumulado sem muita disciplina, transferi parte para o Tesouro IPCA 2019 e uma parte menor para o Tesouro Selic, mas queria fazer uma reserva para emergências. Como sempre ouço falar para não colocar tudo num investimento só, e pretendo investir daqui em diante um valor mensal de aproximadamente R$300,00, tenho estudado sobre dois fundos do meu banco: o BB Multimercado Juros e Moeda Estilo e o BB RF DI Mega. O primeiro, apesar da taxa de adm maior (1%a.a.) tem batido o CDI, com um rendimento de 14,23% no últimos 12 meses. O Mega possui uma taxa de adm de 0,5% mas ficou em torno dos 12% nos últimos 12 meses. Gostaria de uma opinião de quem já está há mais tempo do que eu nesse meio de investimento se esse é o melhor caminho a percorrer. Minha preocupação em tentar algo mais rentável em outro banco é justamente a questão do custo da TED, que afetaria parte do meu rendimento.

    • Leo 5 de fevereiro de 2016 at 22:34 #

      Ana, para a porção que pretendo alocar em fundos, sugiro trocar por investimentos em LCI/LCA de bancos pequenos caso não precise de liquidez mensal e, se a liquidez mensal for uma questão, vale a pena fazer um cálculo de quanto esses fundos vão gerar e quanto uma LCA de 70% do BB vai, pois ainda com uma % DI péssima, talvez ainda bata os fundos por conta da isenção de IR.
      Já em bancos de médio/pequeno porte, você encontra LCI/LCA com 90% DI pra cima.

      Uma calculadora que dá uma *estimativa* da diferença desses valores que acho muito boa: http://www.abcdodinheiro.com.br/2015/03/poupanca-x-fundo-di-x-cdb-x-tesouro.html?m=1

      • Ana Carolina 12 de fevereiro de 2016 at 10:36 #

        Obrigada pela dica, Leo! Procurando, encontrei um LCI vinculado ao IPCA do Banco Intermedium. Você já ouviu falar?

        • Leo 12 de fevereiro de 2016 at 11:00 #

          Ana,

          Nas minhas pesquisas quando procurava instituições para investir me deparei com o Intermedium e quase optei pelo mesmo, mas não foi o caso e por isto, não tenho muito como te dizer sobre ele.
          Contudo, eu estranhei um pouco essa LCI IPCA quando vi na época, apenas por ser o único banco que oferece esse modelo. Acaba sendo uma mistura entre uma LCI fechada com uma de liquidez semestral. Mas não entendi direito o intercâmbio entre a operação normal de rendimento da LCI em função ao índice IPCA. Fiquei com uma pulga atrás da orelha.

          Pesquise também sobre o rating dos bancos. É fácil achar artigo na net sobre isso. Última vez que vi o Intermedium estava com BBB- , que é o limítrofe para um banco estável e um inconsistente, de risco maior.
          Dê uma boa pesquisada em todos os bancos da sua região vendo seus ratings e entrando em contato para saber suas % di nas LCI/LCA.
          É uma pesquisa que reflete no seu bolso e na segurança do seu investimento 😉

    • Francisco Batista 6 de fevereiro de 2016 at 9:27 #

      Ana,

      Eu optaria por aplicar em LCI/LCA de algum banco médio, pq se compararmos a taxa de administração dos fundos, no final vai dar praticamente a mesma coisa da LCI/LCI mas com uma desvantagem muito grande: a cobrança do IR. Isso sem falar no fundo BB Multimercado Juros e Moeda Estilo q vc ainda corre outros riscos pelo fato de ser um fundo multimercado.

      Você poderia começar aplicando esse valor mensal no Tesouro Selic, quando tivesse uma quantia um pouco maior, migrar para LCI/LCA.

      Suponho q vc seja correntista do BB do segmento Estilo. Algumas corretoras tem conta no BB, como por exemplo a Rico. Nesse caso, vc não pagaria TED, simplesmente faria a transferência da sua conta pra deles.

      • Ana Carolina 12 de fevereiro de 2016 at 10:41 #

        Obrigada pela dica, Francisco! No caso do fundo multimercado, como este não opera com ações, só com moeda, pensei que o risco dele fosse menor…
        Procurei na net por LCIs de bancos menores e o mais interessante que achei foi o do Intermedium, vinculado ao IPCA, como pus no comentário acima.
        O Sofisa, que é da minha confiança por já ter operado antes, no momento, não está oferecendo LCI, só CDB. Estou pensando em investir o mínimo no Banco Intermedium e continuar colocando o que juntar daqui pra frente no Tesouro Selic. O que eu tenho aplicado lá hoje já é pela Rico mesmo.

        • Francisco 14 de fevereiro de 2016 at 13:32 #

          Ana, entre no internet banking Sofisa e depois vai em NOVO INVESTIMENTO. Sempre tem LCI por lá, eu mesmo apliquei semana passada.

          Desconsidere aquela mensagem na página inicial onde informam que não há LCI disponível.

          • Carlos Macapuna 14 de fevereiro de 2016 at 14:05 #

            Eu criei a conta na Sofisa antes do Carnaval, mas até hoje não teve lastro. Não tem LCI/LCA disponível.

            Andei lendo em outros fóruns “denúncias” que o LCI da Sofisa não está atrelado a lastro imobiliário (é como se fosse uma gambiarra), não sei se isso tem a ver com o fato de não ter lastro…
            Só sei que hoje tem apenas CDB disponível pra investi na Sofisa.

  17. Mari 7 de fevereiro de 2016 at 14:02 #

    Poderia citar alguns bancos de medio porte por favor?

  18. Jerônimo 7 de fevereiro de 2016 at 14:27 #

    A LCI foi a 70% do CDI, quanto a LCA ficou a quanto porcentos do CDI?

    • mario 9 de fevereiro de 2016 at 14:17 #

      LCA do BB foi pra 80% . Mas pouca gente tem acesso a essa LCA pois é necessário ser cliente Estilo para conseguir essa taxa .

  19. mario 9 de fevereiro de 2016 at 14:20 #

    Ainda não entendi por quê apenas o Banco do Brasil abaixou as taxas . Isso não vai ser ruim para o banco ? Já que outros bancos grandes não baixaram (ou ainda não abaixaram ) as taxas ? Prevejo muita gente tirando dinheiro do BB para a Caixa , Bradesco ou Itaú .

    • Francisco Batista 9 de fevereiro de 2016 at 18:03 #

      Pode ser o q BB não esteja precisando captar recursos, por isso diminuiu a % tanto da LCI como LCA.

      Com relação a LCA ainda foi pior, pois agora está restrito ao segmento Estilo, saindo das agências varejo, e aplicação inicial a partir de 50 mil.

      • Ana Carolina 12 de fevereiro de 2016 at 10:48 #

        Na realidade, Francisco, continua sendo cobrado das agências novas captações de LCI. Do dia 01 para cá foi criada uma ação de mobilização da força de vendas LCI. O rendimento caiu bem, mas o banco estima vender o mesmo ou mais do que vinha fazendo com o rendimento maior.

  20. Valter Ribeiro 12 de fevereiro de 2016 at 8:28 #

    É o governo usando um banco público para desestimular os investimentos em LCI, já que sobre estes não incide imposto de renda.
    Isso parece uma estratégia do governo para quase “forçar” os investimentos em títulos públicos o que, na situação atual, soa no mínimo perigoso.

  21. Joanna 16 de fevereiro de 2016 at 8:23 #

    Gostaria de saber se o rebaixamento do LCI e LCA afetam as aplicações anteriores à data da mudança.

    • mario 16 de fevereiro de 2016 at 13:33 #

      Não. As aplicações anteriores á data da mudança permanecem com as mesma taxas até a data do vencimento .

  22. Renato C 17 de fevereiro de 2016 at 14:26 #

    No passado, o Santander tinha CDB Recompensa a partir de mil reais pagando 100% do CDI para investimento por 1440 dias.

    Houve mudança e passou-se a exigir investimento de 10 mil para remuneração de 100% do CDI.

    Eis que, em fevereiro deste ano, houve nova mudança e o CDB Recompensa exige 100 mil para remuneração de 100% do CDI.

    Já a LCI do Santander paga 81% do CDI para prazo de 1 ano (não há prazo maior do que este), exigindo valor mínimo de 30k.

    É, as porteiras dos grandes bancos se fecharam… o Bradesco também pagava 100% do CDI em seus CDBs Fidelidade. Muito provavelmente devem ter modificado ou aumentado o valor mínimo para investimento.

    Partiu Tesouro Direto! rs

    • Guilherme 18 de fevereiro de 2016 at 8:16 #

      Realmente, Renato, os grandes bancos estão cada vez menos interessantes para investimentos.

      #PartiuTD rsrs 😀

  23. Rafael_BR 28 de fevereiro de 2016 at 0:38 #

    Aplicações na caixa LCI estão pagando 82% do DI. investimento minimo 30k. Itau CDB DI 90% DI aplicação 50k. Esta ficando cada vez mais difícil conseguir boas taxas para aplicação 1 ano. melhores taxas so para aplicação 3 a 4 anos.

  24. Geraldo 11 de março de 2016 at 10:45 #

    Me tirem uma duvida.

    Vou investir R$100.000,00 em LCI,

    O banco paga 0,80% da DI. Olhando no site da CETIP A di ta 14,13% portanto terei
    0,8*14,13= 11,304% a.a que da 0,942% ao mes.

    a poupança da 0,6 0,7% LCI vai dá 0,94? é esse o calculo? livre de IR. Saquevel apos 3 meses?

    • Leo 11 de março de 2016 at 11:57 #

      Isto mesmo Geraldo.
      Talvez valha a pena, como muita gente já comentou, fazer uma pesquisa em bancos pequenos com um bom rating, pois dependendo de onde você mora terão boas opções para fazer diretamente no banco, sem abrir conta em corretoras (o qual eu particulamente não gosto, pois é mais um intermediário para dar problema e para pagar taxas). Bancos pequenos estão pagando entre 90% a 98% da DI com prazos a partir de 6 meses.
      O importante é verificar o rating do banco pequeno. Visto isto, como você tem seguro do FGC até 250mil, aliado a um bom rating do banco, torna-se um investimento de baixo risco.

      Por fim mas não menos importante, atente que esta rentabilidade não é sua rentabilidade real, e sim ilusória. Conforme a inflação aumenta, os mesmos 100 mil passam a valer menos e seu poder de compra diminui.
      Para calcular se ganho real você deve subtrair a rentabilidade anual da inflação anual medida pelo IPCA. A projeção do teto do governo é de 6,5% (o que quase sempre acaba acima do teto), por tanto você deve diminuir 11,304% (seu exemplo) de 6,5% para obter seu ganho real.

      • Geraldo 11 de março de 2016 at 12:06 #

        Eu entendi a parte da rentabilidade real, só que comparavel com poupança onde hoje se encontra tal valor. To equiparando essas dois investimentos que pra mim sao mais seguros.

        Ontem foi ao ITAU e eles nao trabalham com LCI. Me disse que só bancos publicos, pela sua informaçao ele estava equivocado.

        Onde eu posso ve a lista de bancos que trabalham com tao frente de investimento, para saber se existe agencia onde moro e essa rating deles?

        Poderia explicar um pouco mais sobre esse rating?

        • Leo 11 de março de 2016 at 12:27 #

          Nunca pergunte nada para um gerente de banco, eles nunca vão lhe dar a informação correta, muito provavelmente 😛

          Nos bancos grandes, de fato, só os públicos (BB e CEF), embora, isso seja verdade em partes, pois na realidade o Itaú e alguns outros oferecem sim LCI/LCA, porém apenas nos segmentos de alta renda (algo superior a 300 mil ou 500 mil, dependendo do banco), como Itaú Personnalité, Santander Van Gogh, etc.

          Você encontra muitos artigos na internet sobre isto, de uma forma menos superficial do que as minhas explicações aqui. Contudo, as agências internacionais de rating dos bancos são a

          http://www.standardandpoors.com/pt_LA/web/guest/home

          https://www.moodys.com/

          https://www.fitchratings.com.br/

          Cada uma tem sua tabela própria de rating e você encontra a relação disto facilmente no google também…
          Essas agências, explicando a grosso modo, são agências internacionais que dão ‘notas’ para os bancos, e essas notas são o respaldo de credibilidade que eles têm. A segurança de investir neles. Bancos grandes têm a nota máxima, AAA, enquanto bancos pequenos têm normalmente entre A e BBB, abaixo disso já são bancos especulativos com risco maior e maior chance de quebrarem (o que, não significa efetivamente que isto irá acontecer)

          Um site que possuí uma boa quantidade de amostras de investimentos de renda fixa no geral, é o http://jurus.com.br/

          Embora, para tratar diretamente com o banco, você precisa saber se eles tem agências / escritórios de capitação onde você mora.
          Quando estava procurando LCI/LCA para mim, busquei todos os bancos que tinham na minha cidade e fui ligando/mandando emails um por mim.
          Pesquisar bastante e com calma, e principalmente, por conta própria, é o melhor conselho que você pode ter.

  25. Jailson 1 de abril de 2016 at 11:05 #

    Tem bancos pequenos pagando 123% e teve um que pagou 135%. Tem que pesquisar. Mas nunca se sabe, todo ano quebra um desses bancos…

  26. Joao 18 de abril de 2016 at 13:39 #

    Muito bom esse blog, consegui tirar minha dúvida e entender o porque minha LCI no BB reduziu tanto de janeiro para abril, a minha LCI vendeu inicio de fevereiro e a apliquei novamente, assim sendo não ganho mais 80% do CDI e sim 70% Afffff eu não confio em por meu dinheiro suado em bancos menores, deixarem no BB, há alguma previsão de subir a CDI ?

    • Guilherme 20 de abril de 2016 at 12:18 #

      João, por enquanto, não. A previsão é que esses percentuais fiquem nesses patamares.

      Se soubermos de alguma novidade, informaremos no blog. 🙂

      • João 20 de abril de 2016 at 16:46 #

        Obrigado, vou acompanhar semanalmente o blog, final de ano pretendo aplicar na LCA, pois terei 100.000, afinal a LCA pelo menos está dando 80% do CDI e isso é o de melhor no momento..valeu

  27. Eduardo 22 de abril de 2016 at 11:25 #

    Alguém tem a confirmação de que em maio o BB vai alterar os valores de aplicação para isenção/desconto de tarifas dos pacotes de serviços?
    Aumentarão em 50%?!!

    • Juca 22 de abril de 2016 at 14:45 #

      O que significa isso amigo ? Vai melhorar ou piorar as aplicações ?

      • Guilherme 23 de abril de 2016 at 20:10 #

        Sim, Eduardo, é isso mesmo.

        Juca, essa alteração mexe apenas na tarifa do pacote de serviços. Não muda nada para as aplicações.

  28. LICIDALVA SOLEDADE 22 de abril de 2016 at 15:39 #

    Preciso de ajuda. Tenho 8 mil no BB DI vencimento 10.07.2020 e 5 mil no BB Curto Prazo 200. Devo remanejá-las agora e para qual?

    • Guilherme 23 de abril de 2016 at 20:11 #

      Licidalva, essas aplicações me parecem que cobram altas taxas de administração.

      Você tem uma reserva de emergências já formada? Se não tiver, pode remanejar essas aplicações para um investimento com taxa de administração mais baixa, que pode ser um fundo DI do próprio banco.

  29. Erik 25 de abril de 2016 at 11:30 #

    Amigos, conheci esse site há poucos dias, e quanto conteúdo bom tem aqui, sobre educação financeira. rsrs
    Sou estagiário, não ganho essas coisas todas mas quero começar a investir, já consigo ter a maturidade em poupar o pouco que tenho (- eu acho rsrs) e com essa maneira queria ajuda de vocês.

    Tenho 500 reais agora ( abril) e no dia 10 de maio, terei mais 500 reais para investimento sendo assim 1mil reais.

    Queria saber se há alguma aplicação financeira, que possibilite um ganho a mais que a poupança (em um curtíssimo prazo – resgatar no inicio de julho. ), mesmo que seja referindo a “migalhas” – não deixa de ser ganhos.

    Obrigado.

    • Guilherme 25 de abril de 2016 at 13:22 #

      Olá Erik, seja bem-vindo! 🙂

      Sobre sua dúvida, sim, é o Tesouro SELIC, que você consegue acessar investindo por meio do Tesouro Direto.

  30. Anne 6 de maio de 2016 at 13:02 #

    Gente, estive lendo sobre a baixa da LCI e fiquei impressionada, pois coloquei toda a minha poupança (quase toda, na verdade!) na LCI, indicada pelo gerente do banco. Entretanto, não entendo patavinas sobre rendimentos, apenas acompanho com certa frequência o saldo de tal aplicação e tenho visto uma redução deste rendimento. Gostaria de saber se vocês me indicariam outra forma de aplicação. Tenho 60 mil disponíveis, entretanto tenho intenção de utiliza-lo em curto a médio prazo para compra de casa. Alguma sugestão?
    Obrigada!

    • Guilherme 9 de maio de 2016 at 20:09 #

      Anne, no seu caso, o Tesouro SELIC é o mais indicado, porque rende mais que a LCI, e tem liquidez diária.

      • Leonardo Fried 9 de maio de 2016 at 21:51 #

        Apenas corrigindo: Rende mais que a LCI do BB de 70%
        LFT deixa de ter maior rendimento que LCI/LCA a partir dos 75% do CDI, sendo que ainda dá pra encontrar muitos bancos A+ pra cima com % acima dos 90 CDI

        • Guilherme 10 de maio de 2016 at 6:23 #

          Leonardo, obrigado.

          Mas depende do prazo e do percentual pago, como você disse.

          A partir de 12 meses de prazo, o Tesouro SELIC já rende mais que uma LCI/LCA a 80% do CDI.

          Como a Anne tem o objetivo de utilizar o dinheiro a curto e médio prazos, eu parti do pressuposto de que ela precisa de liquidez no investimento, e nesse caso as LCIs e LCAs com prazos de carência muito grandes ficam de fora. 😉

          Mas sua observação é válida, no sentido de se atentar para a taxa do CDI que, no caso do BB, deixou de ser atrativa.

          Abraços

          • Leonardo Fried 10 de maio de 2016 at 8:25 #

            Guilherme,

            De fato, se tratando de carencia/resgate, que é o ponto ‘fraco’ desse investimento, LFT é mais jogo, embora curto/médio prazo seja algo impreciso certas vezes e um tanto particular; médio prazo para alguém é visto como 3 meses, já para outros 6, 12 meses.
            Se a pessoa tiver disponibilidade para tirar um dia e fazer ligações/mandar emails para bancos da região, acredito que ainda consiga boas % com prazos interessantes.
            Eu mesmo estou com uma LCI de 94,5% com duração de ‘apenas’ 6 meses.
            No mais, pitaco pessoal meu: dada a atual circunstância, acho LCI/LCA o melhor investimento hoje, pois há a segurança do FGC amortizando os riscos aliada a vantagem da isenção de imposto que, ao meu ver podem sim revogar talvez a partir de investimentos feitos após 2017, com essa possível mudança de equipe do BC.
            Por isso caso nada mude até o fim deste ano, eu devo provavelmente renovar meus investimentos com LCI/LCA para prazos longos, como dois anos..
            No entanto é aquele negócio, a pessoa tem que ver se não vai precisar do dinheiro no prazo estipulado, se não é seu colchão de segurança, etc.
            No fim sempre é a máxima de que não há ‘o melhor investimento’ e sim o que melhor se encaixa com suas necessidades

            • Guilherme 10 de maio de 2016 at 13:50 #

              Olá, Leonardo, pontos muito bem observados!

              Tudo depende basicamente do prazo que ela tem para o dinheiro render, bem como de eventuais necessidades de saques antecipados.

              Para quem consegue manter um investimento sem mexer no dinheiro durante os prazos existentes para as Letras, essas acabam sendo a opção mais rentável, se pensarmos exclusivamente sob a ótica dos investimentos atrelados ao CDI/SELIC.

              Já para investimentos que estejam com data de vencimento no horizonte de 2019 para frente, o Tesouro IPCA apresenta maior probabilidade de ter um retorno maior.

              Mas, no final, é como você bem disse: não há ‘o melhor investimento’ e sim o que melhor se encaixa com suas necessidades.

              Abraços!

      • Julio 10 de maio de 2016 at 10:06 #

        Pessoal

        Tesouro Selic é melhor que LCA a 80% do CDI, considerando o IRRF?

  31. Guilherme 10 de maio de 2016 at 13:52 #

    Para investimentos superiores a 1 ano de prazo, e com taxa zero de custódia no TD, sim, rende mais.

    Para prazos menores, embora renda menos, o TD Selic tem a vantagem de ter liquidez imediata.

  32. Pamella 18 de maio de 2016 at 9:03 #

    Vocês podem me dar dicas?
    Tenho R$ 3.000,00 para “investir”, atualmente estão na poupança. Tenho conta no BB e nunca fiz nenhum investimento. Para o Tesouro Direto, atualmente pelo que vi a data mínima é 2019 e preciso do dinheiro investido antes disso! Vale a pena colocar na LCI do BB mesmo estando a 70% do CDI? Vocês tem dicas para como eu posso fazer um investimento com esta pequena quantia e prazo de 6 meses?

    • Guilherme 18 de maio de 2016 at 11:50 #

      Oi Pamella!

      Bom, sobre esse valor, você pode investir no Tesouro Direto e resgatá-lo antes da data de vencimento.

      A data de vencimento, nesse caso, indica apenas a data em que o investimento será resgatado pela instituição, e não a data em que será possível a venda.

      Na verdade, se você investir hoje, dia 18 de maio, e precisar do dinheiro no dia 26 de maio, você poderá realizar a venda, total ou parcial, de forma antecipada, do título do Tesouro.

      No seu caso específico, eu recomendo o Tesouro SELIC, que rende mais que a LCI do BB.

      Abraços!

  33. Alex 19 de maio de 2016 at 17:07 #

    Boa tarde,

    So conheci esse site hj. Estou com medo de ter feito besteira. Apliquei 50 mil na LCA do Bando do Brasil. Fiz errado?

    Abraços.

    Alex

  34. Alex 19 de maio de 2016 at 17:12 #

    Boa tarde,

    Conheci o site hoje e acho que fiz besteira. Apliquei 50 mil na LCA do Banco do Brasil. Alguém pode me dar uma luz se fiz errado?

    Abraços.

    Alex

    • Francisco Batista 19 de maio de 2016 at 17:41 #

      LCA do BB está pagando 80% do cdi se não me engano.

      • Guilherme 19 de maio de 2016 at 20:06 #

        Alex, depende do objetivo que você tem com esse investimento.

        Há aplicações que estão apresentando rentabilidade melhor no momento.

        • Alex 20 de maio de 2016 at 8:48 #

          Bom dia Guilherme,

          meu objetivo é deixar esse dinheiro rendendo em alguma

          aplicação. Não tenho intenção de usa-lo por agora. Tenho outros

          15 mil que foi me indicado a ser aplicado em um CDB do BB.

          Minha dúvida é se fiz certo seguindo as orientações do gerente

          indicando essas aplicações. Esses 15 mil eu poderia colocar em

          outra aplicação do BB?

          O montante que está na LCA, vc indicaria eu retirar ele depois de

          90 dias e colocar em outra aplicação?

          Desde já agradeço pelas excelentes dicas. Estou adorando ler

          todas as dicas de vcs, apesar de ser bem leigo no assunto ainda.

          • Guilherme 20 de maio de 2016 at 11:25 #

            Alex, bom dia,

            Bom, provavelmente você ainda não tem uma reserva de emergências estruturada.

            Assim sendo, considero prudente continuar deixando o dinheiro na LCA, mas coloque esse investimento com priorização de resgate automático, já que assim você evita de ficar com o dinheiro parado na conta-corrente.

            Sobre esses outros R$ 15k, os CDBs do BB geralmente pagam taxas muito baixas.

            Eu sugiro realocar esse capital no Tesouro SELIC, até para você entender como funciona o Tesouro Direto.

            Abraços

            • Alex 20 de maio de 2016 at 15:58 #

              Boa tarde Guilherme,

              Obrigado pelas informações. Na verdade estou começando

              a investir e a ler sobre agora. Não entendo muita coisa.

              Achei esse blog e estou desde ontem lendo tudo que

              posso. Mesmo sem entendeu muita coisa do que dizem.

              Seguirei seu conselho. Tem algum post sobre Tesouro

              SELIC para eu poder ler mais sobre?

              Tenho um irmão que esta com 70k para investir. Ele,

              assim como eu, não entende nada de aplicações. Como

              vc sugere que ele distribua esse montante? Pergunto

              isso para ele não cometer os mesmo erros que fiz.

              Agradeço a vc pelo blog, as dicas, dúvidas, conselhos.

              Como ja vi em algum comentário, nunca é tarde para

              começar a investir.

              Obrigado Guilherme!

              • Guilherme 20 de maio de 2016 at 21:52 #

                Alex, boa noite.

                Na seção de Arquivos do blog temos a listagem de todos os artigos escritos => http://www.valoresreais.com/arquivos/

                Dê CTRL + F, e procure os termos “Tesouro Direto”, e você encontrará todos os artigos escritos a respeito.

                Sobre o seu irmão, primeiramente ele tem que saber as necessidades dele, ou seja, para quê ele quer investir esse dinheiro.

                Eu acho que ele ainda não tem reserva de emergências, então sugiro começar por ela, num investimento conservador de alta liquidez, como fundos referenciados DI com baixa taxa de administração.

                Abraços!

                • Alex 22 de maio de 2016 at 11:55 #

                  Bom dia Guilherme

                  Obrigado pela resposta. Quanto ao meu irmão, vc acha q ele deve aplicar td esse montante no q vc sugeriu?

                  Ele realmente não tem nenhuma reserva, assim como eu tb não tinha.

                  Obrigado mais uma vez pela ajuda.

                  Abraços.

                  • Guilherme 23 de maio de 2016 at 8:15 #

                    Bom dia, Alex,

                    Sim, todo o montante.

                    • Alex 23 de maio de 2016 at 18:24 #

                      Boa noite Guilherme,

                      Salvo engano, minha mãe tem 2 aplicações no BB e estão em CDBs, pois seu gerente indicou e ela confia piamente nele. Pelo que percebi por todos os comentários, ela esta deixando de ganhar dinheiro aplicando nesses CDBs. Estou correto? Qual seria aplicação para 60k que ela tem nesses CDB? Esse dinheiro ela deixa como reserva para emergências, podendo ser resgatado caso seja necessário antes do vencimento.

                      Obrigado pela ajuda! Estou adorando o blog.

  35. Guilherme 1 de junho de 2016 at 13:34 #

    Oi Alex, desculpa pela demora em responder.

    Bem, em relação ao dinheiro da sua mãe, eu vejo que ela o utiliza como reserva de emergências.

    Os CDBs devem estar pagando não mais que 90% do CDI.

    Nesse caso, procure um fundo referenciado DI com taxa de administração de no máximo 1% a.m., que é uma alternativa mais rentável para essa quantia.

  36. jamile 7 de junho de 2016 at 22:38 #

    Olá,

    Tenho pesquisado sobre investimentos tentando compreender melhor tudo isso (não achei fácil, rs ).. e, então, achei muito interessante esse site e ,sobretudo, os comentários.
    Gostaria, se possível de alguma dica/orientação.:

    Tenho uma soma de 8000 na poupança, mas que até o fim do ano possivelmente será 15000 e me preparo para investi-la. Penso em um investimento seguro, no qual não pretendo mexer por pelo menos 7 anos.
    No site do Tesouro direto pesquisei algumas opções: PREFIXADO 2023 (taxa a.a:12,56) e PREFIXADO 2019 (T a.a:12,38) ; TESOURO IPCA +2024 (T a.a:6,03) e TESOURO Selic 2021
    No que entendi, achei as taxas de prefixado maiores, mas (parece) que esses valores ao final do vencimento podem não ser reais por conta de inflação..
    Então, por isso estou inclinada p Selic ou *IPCA (até então gostei do IPCA) para manter meu poder de compra, a depender dos rendimentos deles.

    Sobre esses investimentos, ainda tem descontos de taxa administrativa do banco(anual), uma outra taxa “do site” e imposto de renda, que no meu caso será 15%. (até onde ‘sei’)

    Agora também tem os outros investimentos como CDB, LCI, LCA, sobre os quais, ao que entendi, não incide imposto de renda, o que parece bom. Logo, meu próximo passo era pesquisar nos bancos da cidade os valores mínimos p investir, rendimentos e as taxas administrativas quando houver.

    Agradeceria muito alguma crítica/orientação.. pois estou tentando aprender??

    Ah, todo mês tenho um saldo para depositar, por isso não penso em um investimento que faça retiradas. A partir do próximo ano farei nova poupança para investir ,com foco que possa retirar, se necessário.(talvez Selic)

    Obrigada,

  37. jamile 7 de junho de 2016 at 22:41 #

    Perdão se, possivelmente, fiz muitos comentários errados.. realmente to tentando aprender ainda .. 🙂

    • Guilherme 8 de junho de 2016 at 14:20 #

      Oi Jamile!

      Nenhum questionamento é errado. Errado é não fazer questionamento! 😀

      Sobre suas dúvidas, vamos lá:

      Inicialmente, a primeira atitude a ser tomada é fazer uma reserva de emergência com o equivalente a 6 meses de suas despesas médias mensais, em um investimento conservador de alta liquidez.

      Para esse fim, eu sugiro investimentos bancários tais como: fundos referenciados DI com baixa taxa de administração e CDBs pós-fixados ao DI que paguem pelo menos 90% do CDI.

      Formado o fundo de emergências, o foco pode passar a ser o Tesouro Direto, e eu recomendo o Tesouro IPCA, por conta da proteção contra a inflação.

      Sobre os CDBs, só uma correção: eles não são isentos de IR. Mas as LCIs e LCAs são.

      Bons investimentos!

  38. Jamile 11 de junho de 2016 at 4:16 #

    Obrigada 🙂
    Então, com o q tenho hj na poupança.. eu retiraria parte para investimento em uma “reserva de emergência” para eu “sacar” caso precise. (mas q segue a taxação de IR, caso tire antes da data prevista)?
    E o que sobrar, junto e invisto tudo em Título IPCA como estava pretendendo.. p data de vencimento .. lá p 2024 como pretendia?

    Assim, não conheço ainda essas primeiras opções que vc falou. Qnto às datas de vencimento do investimento de emergência.. eu colocaria mais recente? não perderia em rendimento?
    Tb gostaria de perguntar qnto ao IPCA no Tesouro Direto.. se é seguro? estável, o rendimento dele? se no meu caso é mesmo o mais indicado

    Minha situação é q sou acadêmica.. q recebo “apoios”, q posso dizer estáveis, p me manter.. pouco, mas q por economizar só gasto dois terços.. a minha ideia é investir.. e conseguir rendimentos mais altos possíveis p qndo terminar esse período de estudos investir “sei lá” na entrada de um imóvel ..

    Muito obrigada, mesmo :))

    • Guilherme 11 de junho de 2016 at 13:49 #

      Olá, Jamile,

      Para os investimentos da reserva de emergência, tais como fundos referenciados DI com baixa taxa de administração e CDBs pós-fixados ao DI que paguem pelo menos 90% do CDI, não haverá isenção de imposto de renda.

      Para maximizar os rendimentos, a ideia é só realizar saques quando for necessário.

      Quando você saca, você deixa de ganhar rendimentos sobre a parte sacada, por evidente. Assim, tente não mexer nessa reserva de emergências.

      Sobre o Tesouro IPCA, sim, é seguro. É também relativamente estável, se você escolher um título com data de vencimento próxima, por exemplo, em 2019.

      Abraços

  39. jamile 12 de junho de 2016 at 2:48 #

    entendi,
    obrigada 😉

  40. Eli 19 de julho de 2016 at 9:24 #

    Olá! Parabéns pelo site, muita informação útil aqui!
    Gostaria de uma orientação sua. Tenho 25k na poupança do BB que gostaria de investir, se possível no mesmo banco. Mensalmente poderei adicionar 1k ao dinheiro já aplicado. Não pretendo usar esse dinheiro pelos próximos dois anos. Pensei em dividir o dinheiro em duas aplicações diferentes, não sei se seria vantagem. Não quero assumir riscos, somente gostaria de um rendimento superior ao da poupança!
    Obrigada.

    • Guilherme 19 de julho de 2016 at 10:05 #

      Oi Eli, obrigado!

      Vou responder na mesma linha de resposta de outra leitora:

      Primeiro você precisa saber dos objetivos com esse dinheiro, o que você pretende com ele. Investir pra quê? Aposentadoria? Casa própria? Viagem? Estudos?

      Precisa também verificar se você já possui uma reserva para emergências, e por quanto tempo você conseguiria se sustentar se dependesse exclusivamente dessa reserva.

      Você já ouviu falar sobre renda fixa? Tesouro Direto? CDB? Fundos DI? Sabe a diferença entre eles? Temos vários artigos aqui no blog a respeito, procure na seção de Arquivos => http://www.valoresreais.com/arquivos/

      Lamento não poder te dar uma orientação precisa agora, mas entendo que você precisa antes responder a essas questões fundamentais antes de investir seu dinheiro nessa aplicação financeira.

      Precisa também estudar sobre alocação de ativos e avaliar uma coisa chamada “grau de tolerância ao risco”. Aqui no blog temos diversos artigos a respeito também.

      Penso que você mesma pode responder a todas as perguntas acima, inclusive a que você formulou, depois de estudar e adquirir conhecimento financeiro suficientes sobre seu estado atual nas finanças pessoais e investimentos.

      Abraços!

      • julio 19 de julho de 2016 at 10:46 #

        Guilherme

        Vc fala muito do tesouro Selic, vc pode recomendar ou falar algo sobre a easyinvest?

        • Guilherme 20 de julho de 2016 at 8:03 #

          Oi Julio, trata-se de uma corretora que já está há um bom tempo no mercado, e tem custos operacionais baixos. Há leitores que utilizam os serviços dela, e não têm reclamações por enquanto.

  41. Edgar 26 de julho de 2016 at 23:17 #

    Já li várias coisas e cada um diz que algo é melhor, ai vamos pesquisar mais e recebemos um aviso de que tem algo melhor e assim por diante… Enfim, meu caso de forma sintética, tenho 116 mil na poupança no BB, tenho mais 40 mil em dinheiro vivo (não confio no governo), meu objetivo é comprar a casa própria (algo em torno de 220 mil) em até 24 meses, atualmente me faltam os 64 mil, acredito que em até 12 meses vou conseguir um empréstimo “paterno” do valor (que será quitado com juros menores que o de mercado), assim chegaria nos 220, nesse meio tempo pretendo adicionar 1.5 mil por mês na poupança, enfim, a dúvida é, deixo tudo como está já ou invisto em algo, se for para investir, qual a melhor solução (que não incida IR).

    • Ig 10 de agosto de 2016 at 18:44 #

      têm muita coragem em investir em banco que é do nosso governo, ainda mais em tempo de crise e instabilidade.

      • Edgar 10 de agosto de 2016 at 19:11 #

        Francamente, que comentário inútil…

        No meu caso, o FGC garante o rombo, então qual risco há no BB que não exista nos outros bancos, só questão de usar 2 neurônios.

  42. Mari 1 de agosto de 2016 at 16:00 #

    Boa tarde, tenha uma quantia na poupança 50%, em LCI 46% e CDB 4%. Não tenho planos de gasto a curto prazo e gostaria de saber se estou agindo corretamente e se vocês tem sugestão de investimento – atualmente não declaro imposto de renda.

    • julio 1 de agosto de 2016 at 16:19 #

      Acho que é interessante, ver investimentos em corretoras easyinvest, sofisa, bancos daycoval, que dão um maior retorno.

      Porém, na sua pergunta devemos saber para o que você gostaria de investir no futuro?

      • Mari 1 de agosto de 2016 at 18:31 #

        Bom, a ideia é dar entrada em um apartamento em uns 5 ou 6 anos.

  43. Joel 2 de setembro de 2016 at 17:47 #

    Olá!
    Muito bom o texto!
    Tenho uma dúvida, se possível esclarecê-la:
    Os bancos são obrigados a estabelecer um período de carência para uma LCI?
    Pergunto porque conheci um banco que tem uma LCI com um bom rendimento (de 96% a 98% do CDI), porém não é possível fazer resgates antes da data final do LCI.
    Ou seja, não há período de carência.
    Será que existe alguma legislação que diz algo sobre o período de carência?
    Obrigado

    • Guilherme 3 de setembro de 2016 at 14:03 #

      Oi Joel, obrigado, sim, há um prazo mínimo obrigatório de carência de 90 dias da data do aporte.

  44. ottorino 16 de outubro de 2016 at 15:46 #

    Eu tenho 330.000 R$ que apliquei em LCA con taxa de 84,50% do CDI no BB. que vence em Fevereiro de 2018 Tenho outra aplicaçào em CDB com taxa de 97% que vence em Julho de 2017 CDB com 97% do CDI è melhor que LCA com 84,5% do CDI. Quando faltam 2/3 meses vou aplicar este dinheiro no Banco Itaù que paga 100% do CDI

  45. IZA 9 de novembro de 2016 at 19:16 #

    SOU UM POUCO LEIGA NO QUESITO INVESTIMENTO, PORÉM É ALGO QUE MUITO ME INTERESSA. RECEBO MIL REAIS POR MÊS. MEU CARTÃO É UNIVERSITÁRIO DO BB DESDE 2006 MAIS OU MENOS. TENHO QUASE 10 MIL APLICADO NO LCI (PRETENDO TIRAR PARTE DAQUI A 5 ANOS PARA COMPRAR UM CARRO). UMA PARTE FOI APLICADO QUANDO ERA 80% E OUTRA PARTE QUANDO BAIXOU PARA 70%. PENSEI EM TER DUAS APLICAÇÕES, UMA PARA LONGO PRAZO E OUTRA PARA QUANDO PUDER TIRAR A QUALQUER MOMENTO, PORÉM SEM PRAZO DEFINIDO (TENHO 2 MIL PARA INVESTIR NESSE DE CURTO PRAZO).
    MINHA DÚVIDA SÃO DUAS:
    1. DEIXO APLICADO NO LCI OU TEM ALGO MELHOR?
    2. ONDE APLICAR OS 2 MIL? PENSEI EM ALGO COMO RENDA FIXA OU CDB.

  46. Marcelo 25 de dezembro de 2016 at 20:33 #

    Olá tudo bem, investir 358 mil numa LCA a 86 porcento durante 1 ano, será q fiz bom negócio?

    • Mario 15 de janeiro de 2017 at 10:15 #

      Qual o banco vc investiu a 86%?

    • Dinêi Gazoni 4 de março de 2017 at 21:49 #

      Espero que tenha diversificado as suas leis, uma vez que o fgc assegura 250k.

      • Dinêi Gazoni 5 de março de 2017 at 7:56 #

        Lcis. ..droga de corretor. 🙁

  47. Carlos 7 de fevereiro de 2017 at 13:27 #

    Olá. Qual melhor aplicação do BB de renda fixa para resgate a partir de 6 meses?
    Quero investir R$ 40.000.

  48. Celso 4 de março de 2017 at 13:14 #

    Cdi valendo12.13% e lci 70% do cdi, …., 100 mil rendendo 680 pila por mês, …. BB cada vez pior….

    • JONAS 13 de abril de 2017 at 23:55 #

      CDI ATE DEZEMBRO VALERÁ 8.5% DO CDI, TIRE E COLOQUE NA POUPANÇA

  49. JONAS 13 de abril de 2017 at 23:54 #

    TENHO 105 MIL EM UMA LCI RENDENDO 70% DO CDI, AGORA CDI CAIU PRA 11.13% E ATÉ DEZEMBRO TERÁ 8,5%, DEFINITIVAMENTE ACABOU AS RENDA FIXAS NO BRASIL, AGRADEÇAM AO TEMER!

  50. Ricardo 20 de abril de 2017 at 15:54 #

    Jonas: com a inflação controlada a 4-5%, por que você acha que a Selic tem que continuar a 14,25%?
    Outra coisa: na Europa, você tem juros NEGATIVOS, ou seja, deposita um valor na renda fixa e tem MENOS ao final do período.
    O Brasil, hoje, tem taxa ao redor de 5% além da inflação! coisa que vc não consegue nos EUA, Alemanha, Japão, etc.
    A Renda Fixa continua, sim, no Brasil.

Deixe uma resposta

Powered by WordPress. Designed by Woo Themes