LCA do BB a 80% do CDI é o reflexo do panorama geral das Letras de Crédito: menor rentabilidade e menor oferta

No mês de janeiro desse ano, publicamos a notícia de que a LCA do BB tinha caído para míseros 80% do CDI, o que, somado à notícia, publicada no mês seguinte, de que o mesmo Banco do Brasil havia reduzido a remuneração da sua LCI para parcos 70%, era um forte indicativo de que esse tipo de investimento estava, digamos assim, com “seus dias contados”, não só nesse banco público, mas também no mercado financeiro como um todo.

Semana passada, então, veio a notícia, publicada no jornal Valor, de que, de fato, as letras de crédito estavam ficando cada vez mais difíceis de se investir. Isso se deve, dentre outros fatores, à redução da atividade econômica como um todo, o que acabou reduzindo as operações que serviam de base para a emissão dos papéis, que precisam ter lastro, seja lastro imobiliário, seja lastro agrícola.

Apesar da crise na atividade econômica, a demanda por esses investimentos continuou – e ainda continua – bastante forte, afinal, se trata de um investimento que combina duas características que normalmente se encontram dissociadas uma da outra: alta margem de segurança (até R$ 250 mil, pelo menos, por conta da proteção do Fundo Garantidor de Créditos), e alta rentabilidade nominal, por contar com (a) a isenção do imposto de renda, e (b) a indexação à taxa SELIC, que continua em patamares historicamente altos.

A ANBIMA publicou um estudo interessante semana passada, que revelou um forte aumento, de 2014 para 2015, nos investimentos justamente nesses ativos isentos de imposto de renda, com lastro imobiliário ou lastro agrícola. Confiram:

ANBIMA

Por conta da forte demanda, o que se viu foi, na verdade, uma redução nos prêmios, vale dizer, o oferecimento de rentabilidades cada vez menores. Talvez o exemplo mais eloquente disso seja o próprio BB, cuja trajetória decrescente da remuneração da sua LCA foi amplamente coberta aqui no blog: de 84% do CDI, caiu para 83%, e de 83% caiu para 80%.

Mas isso não se verificou somente no Banco do Brasil. Todos os outros grandes bancos de varejo, como CEF e Bradesco, e até os pequenos e médios bancos, optaram por tornar mais desvantajoso esse tipo de produto, seja diminuindo o percentual de rentabilidade, seja aumentando o prazo de carência, ou o aporte mínimo inicial.

Jurus LCA

De acordo com a tabela acima, extraída do site Jurus, para se obter uma rentabilidade expressiva em LCA, igual ou acima de 96% do CDI, é preciso abrir mão da liquidez, já que os papéis mais atrativos exigem que você fique com o investimento de dois até três anos.

Além disso, para esse ano de 2016 espera-se uma forte retração nesse tipo de investimento, também por conta do novo regulamento imposto pelo Governo, que, dentre outras coisas, eliminou a liquidez diária, conforme publicamos no ano passado.

Objetivo dos bancos: pressionar os investidores a migrarem das LCAs/LCIs para os fundos de investimentos

Não é segredo para ninguém que os bancos, principalmente os grandes bancos de varejo, praticamente nada tinham a ganhar com esse aumento crescente de volume de recursos investidos em aplicações financeiras isentas de imposto de renda e isentas de taxas de administração.

Por isso, um dos objetivos da menor remuneração dos percentuais de CDI líquido das LCAs e LCIs foi justamente pressionar os investidores a migrarem desses ativos isentos de imposto de renda para os fundos de investimentos tradicionais, já que, nesse último modelo de investimentos, os bancos lucram com as taxas de administração que são pagas pelos cotistas.

Isso foi revelado, inclusive, por um executivo de banco entrevistado pela reportagem do jornal Valor. A ideia é a de que, nos fundos, o banco ganha com a taxa de administração, já que, sem crédito, não haveria previsão de ganhar com a intermediação financeira, no caso das LCAs e LCIs.

Como já abordamos aqui no blog diversas vezes, fundos de investimentos são, em geral, péssimos produtos de investimentos, por conta da baixa rentabilidade, e alta taxa de administração cobrada, que é tanto maior quanto menor for o dinheiro aplicado – e muitas pessoas não percebem os efeitos perversos dos custos compostos dos investimentos.

Nesse cenário, ao menos no âmbito da renda fixa, a melhor alternativa é procurar investimentos fora do circuito bancário de varejo, ou seja, fora dos fundos de investimentos tradicionais.

Felizmente, hoje, o mercado contempla o investidor com um amplo leque de investimentos mais “saudáveis”, e isso inclui o Tesouro Direto em suas diversas modalidades (pré, pós-fixada, e atrelada à inflação), debêntures incentivadas de infra-estrutura, CDBs pré ou pós-fixados ofertados nas corretoras, e inclusive as LCAs e LCIs de bancos médios e pequenos, sempre respeitando-se o limite de segurança definido pelo Fundo Garantidor de Créditos, que atualmente é de R$ 250 mil por instituição e por CPF.

Quem estiver disposto a arriscar mais pode tentar comprar Certificados de Recebíveis Agrícolas (CRAs) e Imobiliários (CRIs), que não contam com a proteção do FGC, mas oferecem uma remuneração atrativa.

Uma coisa é certa: o investidor pessoa física precisa sair da zona de conforto e aprender a operar com (a) corretoras de valores, e (b) bancos de médio e pequeno porte. Isso porque são nas corretoras que você encontra taxas de custódia mais baratas para operar no Tesouro Direto, além delas também distribuírem títulos privados de renda fixa (CDBs, LCAs, LCIs etc.) com remuneração mais atrativa.

Conclusão

Apesar das dificuldades de toda ordem impostas, seja pelo Governo – dificultando a liquidez das LCAs e LCIs – seja pelos bancos, diminuindo a oferta e a rentabilidade, e aumentando os prazos de carência, ainda é possível encontrar remunerações atrativas nas Letras de Crédito para quem estiver disposto a abrir mão da liquidez, em troca de uma remuneração maior.

Porém, mesmo no contexto da renda fixa, a melhor alternativa é não ficar somente nesse tipo de produto. Com títulos públicos atrelados à inflação ainda pagando cerca de 6,5% a.a. + IPCA, títulos prefixados pagando acima de 13,5%, e muitos CDBs oferecendo remuneração acima de 100% do CDI, alguns até com liquidez diária, é possível construir uma carteira de investimentos rentável, razoavelmente segura, e com bom grau de liquidez.

Além disso, é preciso prestar atenção ao fato de que, no prazo de 2 ou 3 anos, que é o intervalo onde se situam as melhores taxas remuneratórias para as LCIs e LCAs, há uma probabilidade de a taxa SELIC cair ao longo desse período, o que faria com que a remuneração desses ativos também apresentasse uma curva descendente. Nesse sentido, fazer um “mix” de investimentos, alocando parte dos recursos financeiros também em outras modalidades – tais como títulos públicos ou privados indexados à inflação e até prefixados – pode fazer sentido, dependendo de seu grau de tolerância ao risco.

Bons investimentos!

Print Friendly

, ,

48 Responses to LCA do BB a 80% do CDI é o reflexo do panorama geral das Letras de Crédito: menor rentabilidade e menor oferta

  1. JJ 11 de abril de 2016 at 7:54 #

    Bom dia Guilherme,

    Excelente post. Parabéns! Eu iria fazer uma pergunta sobre comparação entre LCI/LCA e fundos DI com taxa administração inferior 1%, mas encontrei no site Clube dos Poupadores uma excelente planilha.

    Eis o link: https://www.clubedospoupadores.com/ferramentas/comparador-de-taxas-lci-lca-lft-cdb-fundos-di-e-poupanca.html

    Abraço,

    JJ

    • Guilherme 11 de abril de 2016 at 11:11 #

      Bom dia, JJ, obrigado!

      Realmente, essa planilha é ótima!

      Abraços

  2. Rodrigo 11 de abril de 2016 at 12:48 #

    Um detalhe importante é que os bancos com maiores taxas são os que estão em pior situação financeira ou sendo investigados pelo lava jato. Maior risco, maior remuneração. Não existe almoço grátis no sistema financeiro.

    • Guilherme 11 de abril de 2016 at 12:55 #

      Boa observação, Rodrigo.

    • Jorge Barrios 11 de abril de 2016 at 20:18 #

      Algum heads up quanto a bancos investigados pela lava jato para que eu fique bem distante? Estou analisando os LCIs mais vantajosos e estou disposto a encarar um banco médio, mas investigado da lava jato já fica complicado demais.

  3. Scantales 11 de abril de 2016 at 13:19 #

    Excelente Post!

    Abç

  4. Ramos 11 de abril de 2016 at 13:42 #

    Olá Guilherme, boa tarde!
    Sou um investidor novo e comecei a poupar nos tempos de vacas gordas, comecei em LCI/LCA do meu banco e agora estou no tesouro também. Quero tem contar do medo que tinha e tenho até hoje, procurei algum conhecido para me dar umas dicas e não achei ninguém, apliquei um pouco em uma corretora e esperei um ano para receber e ver que não daria problema, enfim para quem não entende parece coisa do outro mundo. Já estou entendendo bem melhor de renda fixa e agora quero começar em ações mas o medo e grande, como posso fazer no caso destas 3 ações que recebi de dica (quararapes, Ferbasa e Banrisul), empresas da área dizem que o momento é bom para investir, será? Tem como fazer um artigo com o passo a passo com dicas de quanto comprar e quanto tempo deixar aplicado nelas, quais taxas envolvidas, qual imposto, etc. Só a título de aprendizado. Falo isso porque foi com um artigo assim sobre tesouro que me ajudou a começar a aplicar (ele propunha começar com 100,00 num tipo de curso inicial) com este aritgo perdi o medo e segue o passo a passo e já tenho tirado bons lucros no tesouro. Abs

    PS: Peço isso porque você é o meu guru de confiança. rs

    • Guilherme 11 de abril de 2016 at 13:54 #

      Olá, Ramos, boa tarde!

      Inicialmente, quero lhe parabenizar pela iniciativa de ter começado a investir em produtos bons e rentáveis, como a LCI/LCA e o Tesouro. Fantástico! :-)

      Sobre sua dúvida no investimento em ações, eu particularmente prefiro o investimento em ETFs, que são fundos de ações, bem diversificados, com baixas taxas de administração, e que diluem bem o risco.

      Para iniciantes, como você, os ETFs são a forma mais prática de ingressas no investimento em ações.

      Segue aqui um artigo que explica os pormenores => http://www.valoresreais.com/2010/05/25/guia-basico-de-introducao-ao-mercado-de-acoes-no-home-broker/

      Obrigado pelas referências! 😀

      Abraços!

    • Leonardo 20 de abril de 2016 at 11:28 #

      Ramos,

      A dica do Guilherme é boa. ETF facilita o gerenciamento pois você só precisa acompanhar o índice Bovespa. Esteja atento também a questão da tributação que não é na fonte como no Tesouro Direto.

      Outra dica que te dou é não levar essas recomendações de “especialistas” como oportunidades. Pelas empresas que citou, o recomendador foi a Empiricus. A Empiricus erra e acerta como qualquer outro investidor. Sinceramente, não acredito que essas ações sejam as adequadas para iniciantes na Bolsa. Na Bolsa, a verdade é que estamos sozinhos: as decisões de entrada e saída das ações são inteiramente nossas (é a chamada estratégia), cada pessoa tem objetivos diferentes. A flutuação de valor pode ser grande, e isso é bem diferente da renda fixa cujos valores normalmente só crescem. Comece devagar. Também sou iniciante na bolsa, comecei em 2014.

      Abraço!

      • Guilherme 20 de abril de 2016 at 12:21 #

        Assino embaixo das palavras do Leonardo.

        A frase é batida e soa como clichê, mas é inteiramente verdadeira: “nada substitui a experiência adquirida, própria, operando por conta na Bolsa de Valores”.

        É através de erros e acertos que vamos refinando nossa estratégia de investimentos.

  5. Renato C 11 de abril de 2016 at 14:03 #

    De acordo com o jurus.com.br, a XP Investimentos está oferecendo Letras de Crédito do BNDES a taxas acima de 90%. O que ocorre, entretanto, é que o valor mínimo é de 50k e, além disto, existem “janelas” em que estas letras ficam disponíveis e indisponíveis.

    Agora, por exemplo, parece estar indisponível. Semana passada estava disponível. E daqui a algumas semanas deve estar disponível novamente…

    Não sei se é possível comprar estas letras por fora da XP…

    • Guilherme 11 de abril de 2016 at 14:36 #

      Oi Renato, talvez outras corretoras também trabalhem com ela, tais como a Geração Futuro.

      Essas “janelas” são de fato complicadas, pois dão a impressão de que colocam o investidor “sob pressão”, ou seja, ou investe naquele exato momento, ou perde a oportunidade.

  6. Izabel 11 de abril de 2016 at 18:06 #

    Parabéns pelo post!
    Engraçado que isso aconteceu comigo semana passada. Invisto no sofisadireto. Na quinta feira passada havia disponível LCI a 91% do CDI com prazo de 365 dias. Observei que diminuiu a taxa paga, pois em janeiro a LCI deles com o mesmo prazo pagava 93% do CDI. Hoje já não está disponível. Essas janelas também acontece por lá. A impressão que dá é exatamente de pressão mesmo. Tipo: ou investe agora ou vai acabar! Só que eu desanimei porque a taxa diminuiu… na Rico há CDBs que estão pagando 119% do CDI. Tudo bem que este último incide IR, mas mesmo com o IR ainda está mais vantajoso do que os 91% pagos pela LCI do Sofisadireto.
    Obs. até o ano passado eles enviavam email avisando que estava disponível LCA e LCI. Agora não avisam mais! A gente tem que ficar atento às “janelas” diretamente pelo site.

    • Guilherme 11 de abril de 2016 at 21:49 #

      Oi Izabel!

      Realmente, tem que ficar de olho nas tais “janelas”, e, particularmente, é como você bem disse, alguns CDBs com percentuais mais altos acabam tendo uma remuneração líquida melhor.

      Abraços!

  7. Ivan Teixeira 12 de abril de 2016 at 16:56 #

    Fiquei curioso com a afirmação de CDBs que rendem mais de 100% do CDI e tem liquidez diária. Não conheço nenhum assim. Alguém poderia me dizer se tem algo assim e em que banco e valores?

    • Jorge Barrios 12 de abril de 2016 at 21:25 #

      Pesquise por Sofisa Direto.

  8. André 13 de abril de 2016 at 1:58 #

    E ainda para completar o BB vai a partir de junho elevar em 50% o valor para isentar pacote de serviços, passando de 100k para 150k. A 12 meses era 80k. Parecem que estão dizendo “vá embora” para os clientes

  9. rafa 13 de abril de 2016 at 18:01 #

    Andre,,

    pode ser mais explicito?

    entendi que precisaria de 150000 no banco para isenção de pacotes … é isso ?

  10. Investidor 14 de abril de 2016 at 14:37 #

    Infelizmente parece que é isso mesmo, a partir de 05/05/16: 100% de desconto no pacote de serviços para clientes BB Estilo apenas para volume de investimentos maior que R$ 150.000.
    http://www.bb.com.br/docs/pub/trf/DescontoEstilo.pdf
    Um completo absurdo! O BB está fazendo de tudo para que seus clientes mudem para outros bancos…

  11. Simone 14 de abril de 2016 at 15:05 #

    Oi André, primeiramente, parabéns pelo excelente artigo! Nunca investi na vida, mas agora que estou com um bom dinheiro na poupança, pretendo investir parte em LCI e parte no tesouro direto. Gostaria de saber sua opinião. Obrigada!

    • Guilherme 16 de abril de 2016 at 18:32 #

      Simone, como você nunca investiu antes, eu sugiro primeiramente formar sua reserva de emergência numa aplicação conservadora e com alto grau de liquidez, como fundos referenciados DI ou Tesouro SELIC.

      Abraços!

  12. Junior 15 de abril de 2016 at 23:06 #

    Boa noite Guilherme,
    tenho uma previdencia privada do BB. É uma PGBL, com taxa de administracão de 1,5 % num fundo variável de renda fixa, ciclo de vida 20/20. Alguns meses atrás deu rendimento negativo!
    Atualmente estou no percentual de desconto de 15% no IR se resgatar.
    Se eu fiizer este resgate posso quitar um financiamento imobiliário na Caixa.
    Você recomendaria isto?
    Tenho 58 anos, sou profissional liberal, e as aposentadorias em vista seriam a do INSS e este aporte mensal que faço nesta previdência privada do BB. (Este é um outro assunto que tenho que cuidar!) Mas penso que ficar livre deste financiamento é uma maneira de diminuir meu custo mensal pois o que pago neste financiamento poderia ser aplicado em outro tipo de construção de poupança para o futuro. E também ficaria com um patrimonio garantido (meu apartamento) quitado.
    Uma outra possibilidade é a venda de um lote, que não tem liquidez, pode demorar anos para vender.
    O que você pensa? Agradeço a atenção. Abraço

    • Guilherme 16 de abril de 2016 at 18:34 #

      Olá Junior,

      Diante das alternativas que você colocou, concordo com sua opinião, ou seja, tirar o dinheiro da previdência PGBL, que está rendendo muito pouco, e usá-lo para quitar o financiamento imobiliário.

      Essa taxa de administração está bastante alta para um fundo de renda fixa.

      Abraços e bons investimentos!

  13. Junior 17 de abril de 2016 at 23:32 #

    Mais uma vez, obrigado Guilherme!
    Que bom poder contar com sua atenção.
    É claro que as decisões são de minha responsabilidade e quando a gente tem uma pergunta é porque 50% da questão já está resolvida.
    Pelo que acompanho aqui no Valores Reais, tenho a confiança construída na observação de que este blog trabalha e contruibui para a felicidade das pessoas.
    Grande abraço

    • Guilherme 20 de abril de 2016 at 12:17 #

      Muito obrigado pelas palavras, Junior.

      Forte abraço!

  14. Alex 19 de maio de 2016 at 18:20 #

    Boa noite Guilherme,

    Investi 50 mil na LCA, pois havia lido alguma coisas e achei que seria o certo. Deixei outros 15 mil em um CDB.

    Gostaria de saber se fiz certo?

    Grande Abraço!

    Alex

    • Guilherme 5 de junho de 2016 at 17:31 #

      Olá, Alex, boa noite.

      Penso que você poderia investir os R$ 15 mil, em vez do CDB, no Tesouro IPCA+ ou no Tesouro SELIC, que rendem mais.

      Abraços!

  15. Conservador 3 de junho de 2016 at 12:57 #

    A título de informação: fiz aplicação em LCA hoje (03/06/2016) e abaixou ainda mais. Tá pagando 78% do CDI agora. Cada vez mais difícil investir em renda fixa.

    • Guilherme 5 de junho de 2016 at 17:32 #

      Grato pela notícia, Conservador.

      De fato, BB cada vez mais desestimulando o investimento em LCA.

  16. Matheus 7 de junho de 2016 at 21:58 #

    Aplico todo mês uma quantia no LCA do BB e este mês percebi igual nosso amigo Conservador que baixaram para 78% do CDI. Pedi para o gerente segurar o meu devido a histórico com o banco e ele não quis nem saber, respondeu com aqueles textões prontos. Fiquei irritado na hora, no mesmo mês que aumentaram para 150.000 mínimo para tarifas de conta isenta, mudei na hora meu pacote para o básico e estou considerando mudar de banco.

    O gerente de uma agência Bradesco Prime me ofereceu LCA a 81,50% alguém sabe me confirmar se o Bradesco pratica sim uma taxa mais alta que o BB ou estão só tentando me puxar pra lá e depois de uns meses cravam as unhas de novo?

    • Guilherme 8 de junho de 2016 at 11:04 #

      Matheus, a taxa do BB realmente está mais interessante, agora, é preciso verificar os prazos de carência, bem como aportes mínimos para ver se compensa migrar para o Bradesco, ou então aplicar em bancos de médio e pequeno porte, que apresentam taxas melhores.

      • Matheus 13 de junho de 2016 at 17:03 #

        Eu fiz uma cotação com uma gerente do Citibank e me ofereceu LCI a 86% com carência de 6 meses. O que acham disso? Compensa sair do BB depois de 20 anos para um banco menor? Alguém tem alguma reclamação ou elogio deste banco?

        • Guilherme 13 de junho de 2016 at 18:56 #

          Matheus, a taxa está atrativa, considerando o prazo do investimento. Agora, é preciso saber se essa LCI é do próprio Citibank, ou de algum banco menor.

          Se você procura retornos maiores em seus investimentos, é indispensável sair dos grandes bancos de varejo.

  17. Flávio lamas 16 de junho de 2016 at 18:59 #

    Alguém sabe se o banco intermedium está sendo investigado ou algo assim? Pois ele tem oferecido melhores taxas de lci e tem índices de crescimento desde sua fundação soh aumentando!

  18. Helio 4 de julho de 2016 at 16:45 #

    LCA a 78% no BB para julho/2016.
    O que está ocorrendo???????

  19. heverton 5 de setembro de 2016 at 17:29 #

    Boa tarde,

    Hj concentro todo meu investimento no lca do bb a uma taxa antiga de 84,25% do di, contudo como falaram hj esta mesma taxa está em miseros 78% para aportes novos. Estou pensando em mudar p o tesouro direto e ate cogito dx o banco do brasil por outro banco solido, mesmo depois de anos de clientela. Estou querendo investir no tesouro direto, posso investir pelo BB e pelas corretoras, oq tenho q ficar atento se for de corretoras?? Tenho receio de investir em algo q n seja solido q nem um banco. O fundo garantidor tb garante dessas corretoras, quais as mais solidas do mercado?? Obg.

    • Guilherme 6 de setembro de 2016 at 10:51 #

      Heverton, para escolher uma corretora, verifique no Google qual é a reputação dela, se já teve problemas no passado com clientes etc.

      O FGC não cobre o TD, mas o TD é um dos investimentos mais seguros do mercado, e talvez o mais seguro.

      • heverton 6 de setembro de 2016 at 17:12 #

        O gerente do bb me ofereceu aplicar em previdencia privada a uma taxa acumulada em 12 meses por volta de 13,3% (enqto o lca a 84,25% rende por volta de 12% ao ano), so q o dinheiro so vai render isso se ficar 1 ano parado. Nao achei mto futuro ja q 1.3% a mais ao ano equivale a pouco mais de 2 mil reais se investirmos 200 mil na previdencia. To pensando em buscar taxas de cdi melhores em outros bancos como Bradesco, Santander e Itau, pois ja tenho uma quantia razoavel. E tb to querendo aprender mais sobre o Tesoudo Direto, existe um tutorial basico para o TD?? A aplicacao no TD eh de no minimo 2 anos sem movimentar o capital, confere?? Outra coisa, qnd se investe no TD vc ja sabe o valor exato ou aproximado q ira render no final da validade da aplicacao??

        • Sandro 10 de novembro de 2016 at 19:42 #

          Heverton, sei que sua pergunta já foi feita a algum tempo atrás, mas se ainda servir, o tesouro direto não tem essa carência de dois anos não, pelo contrário, sua liquidez é diária.
          No site do TD você encontra uma calculadora para fazer simulações de valores para resgate.
          Lembrar que previdência privada sempre tem taxa de administração, e, as vezes, de carregamento, o que corrói totalmente esse rendimento bruto informado pelo gerente.
          No próprio site do TD você também encontra um passo a passo de como investir.
          Abraços

          • heverton 10 de novembro de 2016 at 21:15 #

            Vlw a informacao

    • Cerri 6 de setembro de 2016 at 11:05 #

      Eu não sou o maior perito no assunto mas nunca confiei no FGC e não acho que todos deveriam se sentir seguros com ele. Pouquíssimas situações necessitaram a utilização deste fundo e nunca por nenhum valor absurdo como de um banco razoável quebrando. Se isso acontecer seriam dezenas ou centenas de bilhões em prejuízos (sendo otimista)

      Por acaso o FGC tem esse dinheiro todo parado em caixa? Iria simplesmente pagar todo mundo de imediato? Vi que uma pequena corretora quebrou em 2012 e as poucas pessoas que lá possuíam valores demoraram mais de 2 anos para ver o dinheiro.

      Ainda assim. O FGC vai cobrir suas perdas ou só o dinheiro atualizado? Duvido muito que ele te pague dois anos depois o valor atualizado com os rendimentos que vc Teria num LCA.

      E na atual situação do país se chegarmos ao ponto de ter bancos quebrando vai ser um caos. Será mesmo que esse fundo consegue pagar todo mundo? Eu acho que não. Infelizmente é mais seguro deixar seu dinheiro num banco grande e seguro mesmo rendendo menos do que “arriscar” ganhar um farelo a mais com o risco aumentado desproporcionalmente.

      Bom, eu tenho esse receio que relatei. Se estiver equivocado por favor me corrijam.

      • heverton 6 de setembro de 2016 at 17:12 #

        Entendi

  20. Eduardo 19 de abril de 2017 at 2:36 #

    Hoje, 19/04/17, a LCA do BB está oferecendo 71% do CDI (acabei de simular a aquisição de uma). Uma coisa que era altamente atrativa se tornou um investimento pífio. Uma pena !

Deixe uma resposta

Powered by WordPress. Designed by Woo Themes