Resumão da semana: Bolsa em alta, BB piora a LCA e LCI (78% e 70% do CDI, respectivamente), investimentos automatizados com a Vérios, Uber no Dr. Money e mais!

Voltamos a fazer um resumão da semana destacando alguns dos principais acontecimentos no mundo dos investimentos que ocorreram nos últimos dias, que foi particularmente agitado no mercado financeiro de renda variável.

Bolsa de Valores: 10 altas consecutivas

Ganhou os destaques no noticiário o fato de o IBovespa ter conseguido alcançar 10 altas consecutivas no decorrer da semana passada, tendo fechado a sexta-feira na região dos 57 mil pontos (57.002, para ser mais preciso).

No mês, os ganhos do Índice alcançam 10%, e, no acumulado do ano de 2016, a rentabilidade já soma impressionantes 31,50% – e olha que ainda temos quase um semestre inteiro pela frente

Como sempre ocorre nesses movimentos repentinos de alta, muitos investidores iniciantes, bem como os veteranos que perderam dinheiro comprando na alta e vendendo na baixa, querem ou começar a investir em ações (caso dos iniciantes) ou voltar a investir em ações (caso dos que não estudaram direito, foram dominados por suas emoções, tiveram prejuízo com ações, e ficaram com medo da Bolsa).

O fato é que o melhor momento para entrar na Bolsa já ocorreu, e demos o alerta quando a Bolsa estava abaixo dos 40 mil pontos. Muitos investidores aproveitaram as oportunidades e colheram os frutos de uma estratégia de investimentos cujos ingredientes principais são a disciplina, a paciência e a capacidade de aporte (ou seja, de fazer sobrar dinheiro no final do mês).

Muitos ativos de renda variável que estavam muito baratos há alguns meses tiveram uma valorização extraordinária em pouquíssimo tempo, conforme exemplificou o leitor Flavio no Twitter:

Flavio Twitter

Talvez a lição mais importante para quem deseja ingressar – ou reingressar – no mercado de renda variável não seja nem a de melhorar o conhecimento: talvez a recomendação mais importante seja mesmo a de treinar as emoções.

Sim, porque a coisa mais difícil é agir isolado do grupo que forma a maioria. Ou seja, comprar quando todo mundo só pensa em vender, e vender quando todo mundo só pensa em comprar. Como eu disse janeiro, num contexto que já se evaporou e que dificilmente voltará a curto prazo (Bolsa a 40 mil pontos):

A crise na Bolsa brasileira, se por um lado é ruim para quem comprou ações quando elas estavam no topo histórico, por outro abre oportunidades de compra que não se viam desde a crise de 2008. Muitas ações estão sendo duramente castigadas pelo mercado, e, para quem tiver estudo, paciência e estratégia, pode ser uma grande oportunidade de iniciar um processo de acumulação de riqueza.

Por isso que eu gosto de frisar: aproveite as oportunidades enquanto elas ainda estiverem disponíveis.

BB rebaixa novamente a remuneração da LCA, para 78% do CDI, e LCI, para 70% do CDI.

Dando continuidade à sua política de desestímulo aos investimentos isentos de imposto de renda – os quais, afinal de contas, não geram receita para o governo federal – o Banco do Brasil resolveu castigar mais uma vez os investidores em LCAs e LCIs, piorando um pouco mais as já parcas rentabilidades desses dois investimentos.

As LCAs caíram para 78% do CDI, e as LCIs, pasmem, para inacreditáveis 70% do CDI.

Como já havia explicado em outro artigo, existem uma tendência dos bancos de varejo de “forçarem” os investidores a migrarem suas aplicações financeiras para os famigerados fundos de investimentos:

“Um dos objetivos da menor remuneração dos percentuais de CDI líquido das LCAs e LCIs foi justamente pressionar os investidores a migrarem desses ativos isentos de imposto de renda para os fundos de investimentos tradicionais, já que, nesse último modelo de investimentos, os bancos lucram com as taxas de administração que são pagas pelos cotistas.

Isso foi revelado, inclusive, por um executivo de banco entrevistado pela reportagem do jornal Valor. A ideia é a de que, nos fundos, o banco ganha com a taxa de administração, já que, sem crédito, não haveria previsão de ganhar com a intermediação financeira, no caso das LCAs e LCIs”.

Considerando o fato de que o BB parece que não vai encerrar esse downgrade de taxas remuneratórias tão cedo, a alternativa é buscar investimentos com taxas melhores praticadas por CDBs de bancos médios e pequenos que paguem pelo menos 100% do CDI, desde que respeitado o FGC, ou fundos de investimentos que cobrem taxa de administração de 0,5% a.a., já que para aplicações superiores a seis meses, a rentabilidade líquida desses produtos supera a das LCAs desse patamar.

Outra alternativa, para quem prefere uma programação de prazo mais longo, é investir em títulos atrelados à inflação, principalmente os títulos do Tesouro IPCA, já que há uma expectativa de corte da taxa SELIC até o final do ano, o que faria com que esses títulos obtivessem um retorno superior a médio e longo prazos.

Gestão automatizada de investimentos em Tesouro Direito + ETFs com a Vérios

As plataformas de investimentos automatizados são soluções tecnológicas em que uma parcela do processo de investimento é deixada a cargo de softwares. Ou seja, inicialmente, você preenche um formulário indicando seu perfil de investidor, e, a partir desses dados, o sistema se encarrega de configurar o processo de investimento numa espécie de “piloto automático”, seguindo ordens e interpretando regras com base nas respostas fornecidas por você ao preencher o formulário.

No Brasil, existem algumas empresas que trabalham nessa área, seja para o investimento exclusivo em ações, através de um “robo trader”, seja para o investimento numa carteira de ativos contendo renda fixa e renda variável, por meio de um “robo advisor”.

Nessa última categoria se encaixa a proposta da Vérios, que lançou uma carteira de investimentos que aplica em Tesouro Direto e ETFs, e cobra taxa de administração de 0,95% a.a.

Para investir com a Vérios, é preciso acessar o site e responder a algumas perguntas para que o robô identifique o perfil do investidor e recomende o plano de investimento adequado. O valor da aplicação mínima inicial é R$ 50 mil .

A carteira inteligente pode ser ajustada para cinco níveis de risco, atendendo do investidor mais conservador ao mais arrojado. O patrimônio é diversificado em cinco classes de ativos, representadas por títulos do Tesouro Direto (Tesouro Selic – LFT, Tesouro Prefixado – LTN e Tesouro IPCA+ – NTNB). Uma parcela menor é investida em cestas de ações (ETFs) das bolsas brasileira e norte-americana.

Para concretizar o investimento é preciso abrir conta em uma corretora parceira da Vérios e assinar um contrato de gestão (de forma digital, não tem papelada). As aplicações são feitas no nome e CPF do cliente. “Cuidamos tanto da inteligência de gestão quanto da parte operacional de compra e venda de ativos, mas não temos acesso aos recursos dos clientes, que ficam custodiados com segurança na BM&FBovespa”, esclarece o CEO.

Depois é só logar no site da Vérios e acompanhar a posição, rentabilidade e custos dos investimentos. A startup calcula o retorno da carteira inteligente já descontando todos os custos. Até mesmo as taxas semestrais são descontadas um pouquinho todos os dias, para o investidor saber o rendimento real das suas aplicações.

O público-alvo desse produto é constituído por pessoas “que gostariam de investir melhor seu dinheiro, mas não têm tempo de acompanhar o mercado financeiro com frequência, ou simplesmente não gostam disso”.

O serviço poderá atrair aquelas pessoas que investem em fundos de investimentos bancários, especificamente os fundos multimercado, que aplicam em renda fixa e em renda variável, mas cobram taxas de administração quase sempre muito altas, acima de 1,5% a.a.

O mesmo já não se pode dizer para quem já investe diretamente em Tesouro Direto e em ETFs, e, mais do que isso, gosta do processo de investimentos e de gastar tempo realizando alocações e realocações de seu patrimônio.

Isso porque, nessas situações, é perfeitamente possível manter os custos operacionais extremamente baixos, na casa dos 0,06% a.a. a 0,20% a.a., e, assim, extrair uma maior rentabilidade líquida positiva em seus investimentos.

Vale lembrar que grande parte das corretoras que trabalham com Tesouro Direto não cobram mais do que 0,20% a.a. de tarifa de custódia, e, quanto aos ETFs, em operações a partir, por exemplo, de R$ 10 mil, uma taxa de corretagem de R$ 10 implicaria num custo fixo de apenas 0,1% sobre a operação, que é bastante baixo, ainda que se considere um custo de 0,69% a.a. de um ETF como o BOVA11.

De qualquer forma, não deixa de ser interessante a disponibilização de mais esse serviço no mercado financeiro, que poderá atender ao público que não gosta de acompanhar suas aplicações financeiras ou não tem tempo para isso.

Para mais informações sobre esse produto, acesse o site da Vérios.

Reflexões no blog do Dr. Money sobre o uso do Uber

Vale a pena ler o artigo do Marcelo Guterman sobre o uso do Uber, no blog do Dr. Money.

Ele escreve sobre as facilidades proporcionadas pelo uso do Uber, na questão do transporte particular de passageiros dentro da cidade de São Paulo, e de como isso foi benéfico para o cidadão comum, que pôde enfim ter mais alternativas de escolha ao uso de um carro próprio.

Aliás, o Dr. Money é um perfeito exemplo de como inovações criativas em serviços públicos (ou serviços particulares, de interesse público) podem contribuir para melhorar a qualidade de vida e reduzir custos financeiros, pois ele decidiu aposentar o uso do carro próprio. Como especialista em finanças pessoais, pai de sete filhos (!!!), e com experiência de sobra em planejamento financeiro pessoal, ele certamente sabe o que está fazendo. 😉

…………………….

Tenham todos uma ótima semana!

Print Friendly, PDF & Email

, , , , ,

36 Responses to Resumão da semana: Bolsa em alta, BB piora a LCA e LCI (78% e 70% do CDI, respectivamente), investimentos automatizados com a Vérios, Uber no Dr. Money e mais!

  1. Marcelo 25 de julho de 2016 at 1:19 #

    Como sempre, excelente post! Felizmente fiz aportes regulares tanto em ações como TD desde dezembro do ano passado e isso deu um up bom na carteira. Mas agora com a suba estou um pouco perdido na parte de ações e fiis, pois subiu muito e o tesouro ipca está me parecendo mais atraente no momento, pois ainda paga uma taxa boa… ainda estou garimpando alguma empresa / fii boa que não tenha subido tanto nessa alta, mas está difícil….

    • Guilherme 28 de julho de 2016 at 8:27 #

      Oi Marcelo, excelente estratégia.

      Sim, o Tesouro IPCA está pagando ótimas taxas ainda.

      Abç

  2. MJC 25 de julho de 2016 at 7:04 #

    Por coincidência eu estava olhando o Alkanza esse final de semana. É bem parecido com esse Vérios: você responde umas perguntas e ele calcula uma carteira diversificada nesse mesmo estilo. Daí ele vai fazendo os rebalanceamentos automáticos. Pelo que ele informou, o rebalanceamento é feito entre 3 e 6 meses. O investimento inicial não é tão alto como na Vérios, no caso do Alkanza é de 5mil. E os custos são mais baixos: 0,5% a.a. do valor investido + os custos de corretagem.

    Eu pensei em colocar o mínimo para fazer um teste, mas a corretagem pode deixar o negócio muito caro para uma carteira muita pequena.

    A parte boa dessa pesquisa de fim de semana foi que descobri a existência de fundos de índice do sp500. Nem sabia que tínhamos isso na bolsa brasileira!

    • Eduardo Veiga 26 de julho de 2016 at 16:22 #

      Tem a Magnetis que também presta o mesmo serviço por 0,4% aa, mais corretagens. Estou pensando em testar o serviço, achei útil principalmente por facilitar o rebalançeamento.

      Abraço

      • Guilherme 28 de julho de 2016 at 8:32 #

        Oi Eduardo e MJC, interessantes esses serviços adicionais, talvez mereçam um post mais aprofundado no futuro, assim como o ETF brasileiro que replica o SP500.

        Abç!

    • Pedro 1 de agosto de 2016 at 14:18 #

      É, mas faz as contas. Com uma carteira de 10, 20, 30 e 40 mil reais… 0,5% + corretagens vai ficar bem mais caro que o preço da Vérios. No preço deles tá tudo incluso: corretagens, custódia, os 0,30% da Bovespa sobre o Tesouro Direto, e até as taxas de administração dos ETFs. No fim fica mais barato que os outros.

  3. Frugal 25 de julho de 2016 at 9:38 #

    Altíssima essa taxa da Vérios.
    A Alkanza faz a mesma coisa e cobra metade da taxa.

    São ferramentas interessantes para quem está iniciando no mundo dos investimentos em ativos financeiros. No longo prazo podem ser muito úteis.

    Sobre LCA em bancão: Nao vale a pena, qualquer corretora tem coisa muito melhor.

    O brasileiro tem que aprender a ter conta em corretora, pro bem dele mesmo.

    • Guilherme 28 de julho de 2016 at 8:33 #

      Oi Frugal, verdade, a maioria só quer saber de ficar na zona de conforto dos bancos, onde eles cobram altas taxas.

    • Pedro 1 de agosto de 2016 at 14:19 #

      Frugal, dá uma olhada no meu comentário acima e faz umas contas.

      No preço da Vérios tá tudo incluso: corretagens, custódia, os 0,30% da Bovespa sobre o Tesouro Direto, e até as taxas de administração dos ETFs. No fim fica mais barato que os outros.

  4. Leonardo 25 de julho de 2016 at 13:00 #

    Uma dúvida: A redução da taxa no LCI e/ou LCA só se dá para aplicações novas? Certo? Ou seja as antigas é mantida a taxa até seu vencimento?

    • Vanessa Dias 25 de julho de 2016 at 14:44 #

      Tenho essa mesma dúvida.
      O banco pode mudar o que já está contratado?

      • Shadowflare007 25 de julho de 2016 at 16:55 #

        Quem contratou com a taxa antiga continua com a taxa antiga até o vencimento da aplicação.

        Quem tinha 84% da CDI ou mesmo os 83% continua os tendo, mas se resgatar alguma parte dos recursos ou tudo, ao reaplicar se sujeita a nova taxa de vergonhosos 78% da CDI.

      • Jacson 25 de julho de 2016 at 16:59 #

        Boa Tarde Vanessa, tenho 2 LCI do Banco Pine, já estou na renda fixa a 3 anos, ao meu entender, isso só acontece para os contratos novos, os que já existem não pode ser alterado. Mas pense sempre em comprar LCI e LCA de bancos médios, respeitando o valor do FGC de 250.000, ou seja, seu dinheiro fica protegido igual a poupança. Um abraço.

    • ccls 25 de julho de 2016 at 15:59 #

      Também tenho essa dúvida!

      • Guilherme 28 de julho de 2016 at 8:34 #

        Oi pessoal, é isso mesmo, as taxas novas só valem para novos aportes.

        O dinheiro antigo permanece com as taxas anteriores.

        Abç!

  5. Alexandre 26 de julho de 2016 at 10:40 #

    Permanecerá mantida a taxa de remuneração contratada (no caso da LCA BB, por exemplo, 84 ou 83%). No caso de novos investimentos, esses serão remunerados por uma taxa menor (atualmente 78% no caso da LCA do BB), exatamente como o forista acima explicou.

  6. Alexandre 26 de julho de 2016 at 10:46 #

    Aliás ontem procurei alguma opção de LCI ou LCA no portfólio da XP e não encontrei. Aparentemente o lastro acabou…

  7. Dub 26 de julho de 2016 at 14:30 #

    E aí, Valores Reais, tudo beleza?
    Me tire uma dúvida, vou receber 2 milhões de reais devido a vende de um terreno dos meus pais, pretendo tirar um milhão de reais para colocar em renda fixa, tenho a ideia de ficar recebendo um “salário” por mês.
    Lembrando que eu ainda sou novo, estagiário e não ganho uma quantia decente e nem certa todo mês.
    Onde você acha melhor eu investir LCI, LCA, Tesouro Direto?

    • Eu 26 de julho de 2016 at 16:28 #

      Provavelmente isso é mentira, o que indica que você é um troll.

      Se for verdade, indica que é burro de perguntar esse tipo de coisa na internet, pra pessoas que você não conhece e, principalmente, pra um volume tão alto. Então, se for verdade, procure um consultor financeiro!

    • Leonardo 1 de agosto de 2016 at 2:46 #

      Oi Dub,

      A CVM não permite que sejam dadas recomendações em blogs. Aliás, vi essa mesma pergunta em outros blogs e abre-se até a suspeita se não é uma pegadinha.

      O caso descrito por ti parece bastante irreal. Investir em LCI, LCA ou Tesouro Direto é uma pergunta muito ampla, mas são mecanismos de investimentos simples de entender. Procure por mais informações sobre esses investimentos. Há muita informação nos sites do Tesouro Direto e também no site da CVM.

  8. Rafael 26 de julho de 2016 at 22:35 #

    Grande Guilherme! Mais um ótimo texto! É mesmo muito importante chamar a atenção do pequeno investidor sobre essas grandes oportunidades na bolsa. Eu sempre ficava me perguntando qual a melhor hora de entrar na bolsa, sair da bolsa, comprar ou vender ações. Esse pensamento sempre me deixava frustrado pois essa hora nunca chegava ou já tinha passado rsrs. Particularmente eu só perdia meu tempo pensando nisso, em vez de aproveitar meu tempo livre.

    Considero que essa deve ser uma preocupação apenas daquele investidor que já atingiu a independência financeira, que infelizmente não é o caso da maioria de nós. Foco exatamente no que você disse; disciplina, paciência e a capacidade de aporte. Mas e ai!? Qual a solução que encontrei para não sofrer no mercado de ações? Eu não cheguei na independência financeira, então esses lucros extraordinários não poderão ser desfrutados, o que faria se vendesse as ações que me deram esses lucros? Como você bem disse as LCI e LCA já não são mais as mesmas, já não encontro mais, assim como os maravilhosos títulos do tesouro direto que comprei no início do ano que já acumulam extraordinários 35,18% líquidos! Que me darão 7,7%+IPCA até 2035!

    Ai vocês me perguntam o que fazer para ter paz de espírito no mundo os investimentos? Diversificação e Fidelidade! Esses são os meus dois pupilos. Encontre o seu perfil de investidor. O percentual de renda fixa que quer alocar, de FII e Ações. Essa Alocação de ativos te trará paz em saber que não precisa focar em cotações e sobe/desce da bolsa. No percentual de ações diversifique, eu coloco em 15 ações de setores diferentes, ações de empresas que estão no meu dia a dia. Ao ligar a luz do quarto (energia/transmissão), abro a torneira da pia (água), sirvo um prato de comida (frigorífico), abasteço o carro (combustível/ postos) vou ao bar tomar minha cervejinha e vejo que está lotado e todos estão bebendo muito! (consumo) os calçados que lotam os guarda roupas das mulheres que não param de comprar!

    O investimento em valor, em empresas que dão lucro atrás de lucro, dívida controlada, margens altas e que são cotadas há anos são uma ótima pedida, mas não para comprar hoje e vender em 1,2 ou 5 anos, são ações para a vida inteira, que te pagarão dividendos, juros sobre o capital próprio, bonificações em dinheiro e em novas ações, ter o prazer de ouvir comentários sobre os produtos das empresas que se investe, isso é investir em ações. Nunca entraremos na hora certa e nunca sairemos na hora certa. A não ser que se saiba o dia que irá morrer. Fidelidade ao aporte é a estratégia, no blog “além da poupança” é possível baixar 2 belas planilhas sobre investimentos, uma delas transforma seus investimentos em cotas dando a real noção de como andam sua aplicações, a outra sobre rendimentos mensais, permite ter total ideia de onde investir mês a mês, de acordo com a estratégia estipulada e o melhor de tudo no excel! Passando para o dropbox você pode levar para onde quiser, no blog tem mais detalhes, vale muito a pena dar uma olhada! Outra planilha que gosto muito esta no site da Bovespa no área educacional em planejamento pessoal, fiz uma vasta pesquisa e essa foi a melhor que encontrei! Muito bem trabalhada e fácil, também no excel.

    Com essa estratégia você não corre o risco de sofrer tanto caso a bolsa caia bem abaixo dos 40mil pontos e chegasse a absurdos como 20mil ou pior ficasse abaixo dos 40mil por anos perdendo oportunidades como as maravilhosas debêntures de 10% +IPCA com vencimento em 2025 que comprei em janeiro de 2016 ou os ótimos 14% de juros ! Nunca se esqueça, quando você deixa de ganhar os 14% não são só 14% mas 24% referente aos nossos lindos 10% de inflação caso o dinheiro fique parado em 1 ano. Assustador não é mesmo!? Se perdeu 10% já são 34%. Minha dica é, compre ações no percentual determinado na sua carteira de investimentos, pesquise sobre as informações financeiras da empresa, lucro, receita, ROE, margem, o site fundamentos e bastter são uma boa pedida, se não tem interesse em fazer isso, compre fundos com baixas taxas ou não invista em ações. Tentar ser trader amador é pedir para perder dinheiro. Tenha objetivos claros de curto, médio e longo prazo. Monte uma carteira de ações baseado em empresas que estão ao seu redor e que você entenda o negócio delas. Não compre ações do MC donalds se você gosta de Burguer king, ou não invista em Ambev se odeia cerveja. No longo prazo a cotação acompanha o lucro. Procure aportar em setores diferentes em proporções iguais, estude muito sobre investimentos em ações para apurar seu método. Tire da cabeça a idéia de ficar rico com ações.

    Não gire patrimônio pagando impostos, quero dizer que não fique entrando na moda do momento, bolsa sobe compra bolsa, bolsa cai vai para renda fixa, porque dessa forma você perde oportunidades dos dois lados. Respeite seu perfil de investidor e acredite a bolsa não vai quebrar, o Brasil não vai quebrar, pois nós investidores sabemos que essa conversa é a mesma dos consumistas que dizer não investir pois podem morrer amanhã.

    • Guilherme 28 de julho de 2016 at 8:41 #

      Rafael, mais um excelente post, quero dizer, comentário!

      Gostei do termo “fidelidade ao aporte”: é essa mesma a estratégia que deve ser o mantra do investidor.

      Na sua narrativa, você deu ótimos exemplos da enorme quantidade de boas aplicações que estavam disponíveis para os investidores: títulos isentos de IR que pagavam fortuna, ou títulos do TD que garantia excelentes rendimentos acima da inflação.

      O negócio é sempre estar antenado para as oportunidades e criar um ambiente propício para o estudo e o crescimento do conhecimento.

      Meus parabéns!

  9. Antidireito 27 de julho de 2016 at 15:42 #

    Beleza? Baseado nas postagens de cidades pequenas do Pobretão e do Roger da Cidadezinha montei um blog contando sobre minha batalha pra sair de SP e ir pra uma cidade pequena. Tem umas dicas de como fazer

    http://www.ahparao.com.br/

    Ass: Antidireito.

    • Marcelo 27 de julho de 2016 at 18:16 #

      não cliquem é baita fake esse blog do ahparao, tá postando em tudo que é blog e abre um monte de janelas cash

  10. Mari 28 de julho de 2016 at 22:50 #

    Ótimo texto, como sempre! Aproveitei como pude o momento para investir mas agora estou em uma situação complicada, assim como muitos brasileiros, e queria pedir um conselho 🙂
    Vou perder o emprego e ganhar uma indenização de aproximadamente 150mil mas não sei o que fazer com o dinheiro..tem alguma aplicação onde eu possa obter rendas mensais? Vale a pena comprar um imóvel visando o valor do aluguel? Vale a pena investir em um pequeno negócio? São muitas dúvidas, rsrsrs
    Peço sua ajuda e dos leitores do blog 🙂

    • Marcelo 28 de julho de 2016 at 23:27 #

      Mari, ninguém pode te dizer exatamente o que fazer, até porque isso é proibido pela CVM por quem não é credenciado e tem implicações legais envolvidas, você vai ter que descobrir entre tantas opções o que é melhor pra você entre Tesouro, FIIs, etc…com certeza todo mundo tem algo legal pra contar, mas cada um tem que descobrir do seu jeito….eu mesmo gosto bastante de tesouro direto e de Fundos imobiliários, mas vai de cada um abraço e força aí na sua caminhada, só de você pensar em proteger seu capital já tá acertando muito!

      • Guilherme 29 de julho de 2016 at 13:16 #

        Oi Mari, faço minhas as palavras do Marcelo, é preciso primeiro praticar o “auto-conhecimento”, refletir sobre o que você quer, quais são seus objetivos com o dinheiro, e depois, somente depois, estudar as alternativas de investimentos.

        Abç!

  11. Patricia 31 de julho de 2016 at 17:14 #

    Olá Guilherme!
    Gostaria da sua opinião (e dos demais que tenham alguma experiência no assunto) sobre investir no exterior. Como todos dizem aqui a idéia é compartilhar o conhecimento. Iniciei um curso online da XP mas ainda não entendi até que ponto seria interessante e economicamente viável esse tipo de diversificação… Estou achando meio complicada a questão dos impostos e taxas para criar contas (bancos, corretoras, offshores, etc)… Mas também vejo que muitos brasileiros têm iniciado esse movimento comprando imóveis no exterior.

    Alguém teria alguma orientação a respeito?

    Minha intenção seria diversificar mesmo, visando preservar uma parte do patrimônio e investir em uma moeda forte e estável para pagar os estudos de minhas filhas (9 e 7 anos).

    • Leonardo 1 de agosto de 2016 at 3:08 #

      Patricia,

      Eu também tenho interesse em investir no exterior, mas ainda não faço por enquanto pelas mesmas situações descritas por você, além de achar que o câmbio não está muito amistoso atualmente. É algo que só farei em etapas e com conhecimento muito consolidado uma vez que também é preciso conhecer as leis de outros países.
      Além disso, se aqui já há uma grande variedade de formas de investimento, nos mercados externos há ainda mais mecanismos de investimento e empresas globais.

      Blogs que conheço que tratam do tema são o viverdedividendos e o investidorinternacional, tem bastante informação lá.

      • Guilherme 1 de agosto de 2016 at 15:03 #

        Patrícia, também estou na mesma situação.

        Recomendo fazer o que o Leonardo fez: investir antes e primeiro em conhecimento, através dos blogs citados por ele.

  12. jose 31 de julho de 2016 at 20:17 #

    Boa Noite Guilherme.
    Tenho 50K e posso aportar 1000 reais por mes. Nao necessitarei usar o dinheiro no longo prazo. O que vc sugere como investimento? Pensei no tesouro direto mas sao tantos que nao sei qual escolher. Sou aposentado e tenho 61 anos. Grato pela atencao.

    • Leonardo 1 de agosto de 2016 at 3:16 #

      Boa noite, José!

      O Tesouro Direto não é tão difícil de entender, basicamente as variáveis são o tipo do papel (se pré-fixado; pós-fixado (SELIC); ou taxa pré-fixada + inflação), os prazos de vencimento e se você tem interesse em receber um cupom semestral referente aos juros do período.

      Dê uma olhada com mais calma, talvez de cara alguns prazos de vencimento já não te interessem e aí já diminui muito o leque das opções que possam ser escolhidas.

      No próprio site do Tesouro Direto tem um simulador que pode talvez auxiliar nessa decisão.

    • Brenno 1 de agosto de 2016 at 14:13 #

      Oi Jose. Tenta a Vérios que tá explicado no post. Eu abri uma conta lá na semana passada e estou gostando do serviço. AInda n dá pra ver a rentabilidade, pq demora pra cobrir os custos das operações. Mas é uma boa pra diversificar. Abs

      • Guilherme 1 de agosto de 2016 at 15:04 #

        Faço minhas as palavras do Leonardo. Com um mínimo de tempo investindo em conhecimento, é possível ter uma boa noção dos diversos títulos do Tesouro Direto.

  13. Matheus 13 de janeiro de 2017 at 7:33 #

    BB BAIXOU LCA PARA 75%
    E CDI DEIXOU A 78%

    MAS A GERENTE ME DISSE QUE A LCI SOMENTE PARA DEPÓSITOS ACIMA DE 10.000 OU SEJA, VC PODE COLOCAR 100.000 A 78% MAS SE NO MÊS SEGUINTE QUISER COLOCAR MAIS 5.000 ESSE ÚLTIMO ENTRA A 70%

    • Guilherme 13 de janeiro de 2017 at 16:27 #

      Realmente, é o BB piorando cada vez mais.

Deixe uma resposta

Powered by WordPress. Designed by Woo Themes